13 junho, 2006

BPI de Valbom

Um dia destes, fui tentar abrir uma conta no balcão do BPI de valbom, porque queria ajudar uma pessoa que é promotora externa desse mesmo balcão, e, depois de algumas tentativas falhadas, sugeri uma opinião de tentar com um amigo, ter uma conta conjunta e manobrar a conta em nome desse meu amigo, e criaram-se mais uma tonelada de dificuldades. Depois, no meio da conversa, la se falou em depositar dinheiro, e a conversa foi até ao ponto de o Gerente do Balcão, me dizer que se eu depositasse la 200.000 mil euros, ele me emprestaria a mesma importancia com um spread muito baixo, e eu pensei ca para mim, este andou na escola, para aprender a vigarizar as pessoas, mas, continuei, e depois de assitir aos empregados do balcão a tratar as pessoas a cuspir, e a falar tão alto que toda a gente sabia o que se la passava, remeti_me ao silencio. Depois de ir ao "sistema" verificou que eu ainda tinha uma divida (porque eu tinha dito que estava a sair de duas falencias) ao BPI rent, e que seria melhor ir ou ao campo alegre, ou, a rua da saudade tratar do assunto, uma vez que eu tinha mostrado vontade de resolver o problema. Depois de todas estas peripécias, nao abri a conta porque era melhor o meu amigo cancelar a conta que tinha no balcão do algarve (como se nao pudesse ter duas tres ou mais contas), e então depois abrir a conta nesse balcão, o que depois de o meu amigo ter cancelado a meu pedido a referida conta, esperamos (sentados felizmente) um mes, e, nao se podia abrir a conta que o sitema não permitia. Bem, la acabei eu por ir procurar o BPI rent para pagar as minha dívidas, e depois de apanhar uma chuvita, dei de caras com um balcão no campo alegre, em que me recebeu um senhor de meia idade, muito educado, muito humilde, muito esforçado (este nao era pinguim), e, lá me disse que eu nao podia ir ao BPI rente, porque todas as coisas sao tratadas pelos balcões e eles nao atendem o publico. Perguntei eu então como resolveria o problema, ao que me foi dito com a mesma simpatia e humildade, tem de recorrer a um balcão, e como o sr nao é cliente do banco, pode tratar em qualquer um. Posto isto e pela simpatia demosntrada, e pela competencia, la disse eu ao homem que me tratsse por favor então do assunto, que amanha la iria eu pagar os cinco mil euros que lhes devo ( a divida a 3 ou 4 anos era de 500, mas enfim, ninguem brinca com os senhores da guita, que nos xulam ate onde podem), e, eles dão o recibo com a referencia do processo.
Porque será que se junta tanta incompetencia num só balcão? Porque será que os empregados do balcão de valbom sao mal formados, e, pra la mandam um gerente incompetente a ver se aguenta um barco ja naufragado?
Enfim, eu que nao percebo nada disto, vou abrir um conta, nao pelo banco mas pelas pessoas que me atenderam, no campo alegre, porque as pessoas humildes sao sempre as que eu respeito, quantos aos outros, ficam com o brilho pepsodente, ficam com o sorriso de fode de mansinho, mas a mim, nao me veem.

Ja agora vale a pena pensar nisto.

Beijos a quem é de beijos!

1 comentário:

Holland disse...

Isso de começar a falar alto com as pessoas e transmitir a toda a gente os assuntos que alguem tá a tratar é uma falta de respeito e profissionalismo extremamente grave, e é daquelas coisas que me revolta profundamente quando vejo.
Quanto ao resto é realmente impressionante o contraste na educação e amabilidade das pessoas que nos atendem, seja qual for o establecimento/entidade para que trabalhem. Nem uma coêrencia podemos apontar porque já fui por exemplo muito melhor atendido em 'cafés de esquina' do que em bares supostamente 'finess'.

Profissionalismo, desenvoltura e amabilidade são fundamentais em qualquer negócio em que haja contacto directo com o cliente.

Abraço :)