10 dezembro, 2007

Momentos felizes


Há pessoas que se dão ao trabalho de nos conhecer, e depois, criarem raizes dentro de nós de uma forma avassaladora.
Hoje fui cantar os parabens ao meu amigo Augusto de coimbra, pessoa que quando me conheceu, manteve uma certa distancia, e que, com o tempo, criou raizes, porque se deu a conhecer, e porque se deu também ao trabalho de me conhecer.
A anfitriã, com o seu besnico, recebeu-me sempre como de costume, com uma alegria e uma felcidade que me derrete todo, e depois de comes e bebes, la estivemos nas nossas conversas afiadas, sem esquecer a ternurinha da Catarina que é um docinho, e que tem os olhos mais bonitos que duas safiras espelhadas. Uma alma bonita, numa pessoa nao menos bonita, que me deliciou com a sua companhia e com a sua ternura, com aquele sorriso e beijocas que ficarão cá guardados.
Almas assim, que não sabem o que é fazer mal, mesmo quando são atingidos pelo mal dos outros, são poucas infelizmente, e são essas que queremos perservar no nosso seio, capazes de aguentar o sofrimento infligido, sem sermos iguais aqueles que mal nos fizeram, pois se nos queremos pautar pela diferença, é essa a postura, ainda que ás vezes apetecesse dar umas boas lambadas a quem tanto mal faz por aí.
Mais uma vez, PARABENS Augusto, e que esta data se repita por muitos e muitos anos, cheios de felicidade e prosperidade.

Um grande abraço.

Miro

1 comentário:

Shootingstar disse...

E são estes magníficos momentos que nos fazem sentir magníficos, extraordinários e sobretudo muito felizes por viver!!!