31 agosto, 2006

Sinais do vento

O vento soprou ao ouvido e disse-me:
Não faças nada que ela vem aí...
Eu estava desesperado mas contive-me
e deixei as horas passar, e engoli

O vento voltou a dizer-me ao ouvido
que as novas eram boas eram reais
mas eu que estava tão sofrido
nao queria aceitar o que falais

era ja noite dentro ia em viagem
para um canto especial da minha vida
recebi então uma mensagem
que me deixou comovida

apressei-me a chegar ao meu cantinho
li em voz alta duas vezes a mensagem
e as lagrimas que corriam devagarinho
traziam um ar novo uma miragem

reli o texto varias vezes sem parar
porque acreditar não queria
no que acabava alguém de me dar
era o que o vento me dizia

Sentindo a mudança verdadeira
só a fé e a perseverança nos domina
porque a esperança foi a derradeira
com que a nossa alma se ilumina

nada faria sentido se assim não fosse
nada do que evoluí estaria certo
e talvez um dia os que estão perto
sintam que só com fé se tem a posse

dizia um Senhor bem nosso amigo
que se tivessemos fé mesmo pequenina
nao haveria ninguém ao virar da esquina
que nos possa fazer perigo

e é nessa aprendisagem
nessa divina sabedoria
que vou ganhando coragem
que de outra forma nao teria


beijos a quem é de beijos

Miro

30 agosto, 2006

Embriagado

Estou embriagado com o teu cheiro
estou bebado so de pensar em ti
mas por fim sei que nao estou inteiro
apesar de tanto tempo que sofri

Não vou desistir de lutar pelo amor
apesar de dizeres que não és capaz
vou até onde eu puder ter paz
vou até onde aguentar a dor

posso sair da tua vida por agora
posso ate deixar de navegar
mas tenho a certeza que tua alma chora
sei que tu também estas a chorar

pergunto porquê qual a razão
de tanto sofrimento que passamos
será que nao poderemos ter na mão
a paz e o amor que almejamos?

porque nao deixam em paz a nossa vida
porque teimam e fazer de nós encruzilhada
será que por verem que a pessoa amada
é sensivel, fragil, e fica meio perdida?

pensarão que se vence o amor
com mesquinhes e maldade
que conseguem sem pudor
contrariar a nossa vontade?

Será que o ódio os move
contra tudo o que é belo
sem pensarem que um dia chove
em dobro levam no pelo

que se cansem e desgastem
que lutem em euforia
ao pensarem que nos castrem
perdem sempre a alegria

e nós que sofremos demais
por sempre nos fazerem mal
um dia receberemos a mais
o amor e a felicidade por igual.

por isso, quanto mais mal fizerem
mais teremos de aguentar nossa dor
pois depois sereis vos a sofrerem
e nós felizes, cheios de amor

agradecemos aos carrascos de agora
a felicidade que nos estão a prometer
pois o que estamos a sofrer
nos será dobrado pela vida fora

beijos a quem é de beijos


Miro

28 agosto, 2006

Recado

Ficaste no meu leito deitada
entre o amor que te dei pela tarde dentro
e mesmo sentindo que eras a minha amada
fiquei como um parvo a olhar um monumento

entregas-me a alma completamente
mas dizes nao saber se és minha mulher
eu fico estupido, e surprendentemente
acho que isto nao pode estar a acontecer

percebo os anseios e as dúvidas que persistem
mas creio no langor dos teus afectos
e por mais incredulas as dores que resistem
sairão de ti como simples insectos

sei que alguém que ainda nao desiste
de magoar o amor que nós sentimos
mas o nosso amor que mais persiste
e da maldade um dia e que nos rimos

quem tenta com atimanhas e agulhas
maquinar contra a nossa união
vai ter por certo muitas amarguras
quando vier a tempestade e a monção

semeiam mal, semeiam em nós a dôr
semeiam pensando que ficam impunes
mas quando vier ter com eles o cobrador
dirão que nao fizeram mal estão imunes

e nao sabem qual a razão, qual a certeza
das dores que entretanto sofrerão
e depois é ve-los em tristeza
dizendo que nao percebem a razão

mas sejam eles irmaos, ou o que forem
sejam eles os mais intimos queridos
se nos fazem mal ao se interporem
estão a fazer de nós os mais sofridos

que parem de usar maldades ou agulhas
que retirem as facas afiadas espetadas
pois as dores que hoje nos são provocadas
podes crer que amanha serão as tuas

para de semear maldade, acaba já
inverte o que tens feito o mais depressa
pois sabes que mesmo sendo uma irma
mais responsabilidade e mais dor te arremessa

para com esse efeito que é loucura
para com esse pensamento que é mau
e ve se te consegues por a pau
para que Deus nao mande alguém a tua procura

pois todos somos devedores
das vidas que então levamos
ao semear mal pomos os cobradores
a andarem em cima de nós muitos anos

Perdoo-te mas ve se paras com isso
ve se consegues pensar
que amar nao é fazer feitiço
é simplesmente perdoar
é sem dar-mos por isso
ajudar a quem nao nos quer ajudar

beijos a quem é de beijos....

26 agosto, 2006

Vagueio

Vagueio por aí em pensamentos longinquos
à espera de encontrar um rumo verdadeiro
percorro este e o outro mundo inteiro
na esperança de encontrar outros distintos

Percorro caminhos nunca por mim vistos
sempre com a ansiedade de aprender
de sentir que todos os meus requesitos
são afinal coisas simples a meu ver

dou por mim em conversas anormais
de mim com o meu pensamento
e jamais em algum momento
as considerei como banais

dessas conversas que tenho
me sai a intuição e o saber
e as vezes nao me detenho
porque quero compreender
porque fico tão estranho
com o que me veem dizer

é dessa forma que sinto a vida
que sinto o amor e a razão
e embora minha alma esteja sofrida
faço tudo com o meu coração

nunca permito que a magoa, ou o rancor
entrem e fiquem guardados em mim
por isso em tudo o que faço ponho amor
só espero que a maldade tenha um fim

continuarei a sofrer add eternum, enfim
enquanto houver maldade perto de mim
mas descansarei vagueando no teu amor
até que um dia acabe o ultimo sofredor.

vagueio com a mente e com o corpo
por paraisos que ainda nao encontrei
tento fazer deles o meu porto
sao as imagens do lugar onde te amei

Beijos a quem é de beijos

Miro

24 agosto, 2006

O perfume de uma flor

Cheiro os aromas primaveris nas axilas do teu corpo
o cheiro a rosas apurado, deixa-me envolto num langor de desejos
mas é o jasmim do teu peito que sobressai quando te encosto a cabeça
e sinto no suor que escorre do amor que acabei de fazer o sal que me tempera
Provei o ambar dos teus lábios humedecidos dos beijos que troquei contigo
mas o movimento ondulante do teu corpo no meu, em frenezim constante
faz-me sentir um mar de emoções que pensei estarem perdidas.
Deslizo os meus dedos pelo teu corpo como uma descarregar de energia pura
onde o lugar ao sentimento abrange uma imensidão de prazer
e refugio-me em ti, quando me dizes em voz tenue que me amas,
e aí, é quando me sinto um guerreiro exausto das lutas a retemperar sua força
para poder combater pelo amor que me pertence, que me é devido, que és tu!
Sinto que o perfume de uma flor afinal nao é das rosas, mas sim de ti que emana,
sinto que o perfume de uma flor és tu!

Miro

beijos a quem é de beijos

22 agosto, 2006

Não sei o que dizer

Não sei o que dizer da vida
a quem nao tenha fé e muito amor
as vezes até parece perdida
no fim, saio sempre vencedor

Ja me deram provas infinitas
as vezes em situações bem amargas
e por muito que pareçam esquesitas
as linhas estavam lá bem traçadas

Não sei o que vos possa eu dizer
talvez apenas que o que sinto ca dentro
nao se pode de alguma forma descrever
nao se pode mostrar nem dar ao vento

Gostava de partilhar as emoções
sem ter as dores associadas
para que tirassem conclusões
das vossas analises precepitadas

Gostava de poder provar materialmente
tudo o que sentia dentro de mim
mas nao se pode infelizmente
a fé, não se conquista assim

gostava de vos dizer que para amar
nao chega dizer palavras á toa
se nunca conseguirmos chorar
então nao amamos a pessoa

amar é sofrer por quem se ama
não é distribuir sorrisos hipocritas
é saber que ca dentro ha uma chama
que te empurra para alguém que tu gostas

e quando se ama, tudo o que faz doer
nao será mais que mostrar a todo o ser
o importante é sempre o emocional
porque o verdadeiro é sempre incondicional.

Não sei o que dizer, mas digo
conforme me disse alguém
amai até vosso inimigo
como Ele nos amou também.

beijos a quem é de beijos

MiRo

20 agosto, 2006

Penso logo dói-me a cabeça ;)

Esta frase saíu-me para um tópico de um chat de irc, e resolvi regista-la como mais uma daquelas que me sai, que acho que me foram "ditas".

"Se valorizamos o amor, então nao procuremos a paixão, porque a paixão é efemera, e o amor não!"

Beijos a quem é de beijos

Miro

19 agosto, 2006

Para além da vida

Ouvi uma canção que dizia
que sempre te amaria
cantei-a tão firmemente
para ti e para muita gente

dizia essa canção
que era por toda a vida
que te dava o coração
ate a minha despedida

mas hoje eu posso dizer
que no dia em que morrer
nao te deixarei sozinha
pois estarei contigo
sempre como amante e amigo
para além desta vidinha

Seguiremos adiante
para além do que é comum
e sempre no mesmo instante
seremos dois em só um

hoje ja me sentes na ausencia
do meu corpo fisico em ti
e quase te perdi
ao perder a resistencia

mas hoje olho e vejo
um caminho mais liberto
sem gente má de nós perto
e meu coração arejo

porque para te dar um beijo
quase fiquei a chorar
e com o mesmo desejo
eu te queria amar

foi rejeição amargura
foram meses desesperados
foi tanta tristeza pura
por amor foram superados

Hoje aprendemos também
mais uma lição sublime
eu lutei como ninguém
e o teu coração esteve firme

e só assim eu diria
que com mais esta ferida
temos mais amor este dia
amor para além da vida

Miro

14 agosto, 2006

Um dia saberei

Um dia saberei se fui correcto
um dia, esse o mais incerto
me dirá se ja chegava
a dor que nao parava

um dia saberei,
se a mulher que amei
era ou nao razao de dôr
um dia, encontrarei novo amor

Um dia, quem saberá
olharei para o passado outra vez
verificando que quem mal me fez
tudo o que me causou sofrerá

um dia, estarei de novo feliz
e nesse dia, poder olhar e sentir
que tudo o que simplesmente quis
acabei por conseguir

Quem vem, ou quem vai
nao depende de mim
apenas do peito me sai
o amor que nao tem fim

quem aproveita e guarda
o que temos para dar
as vezes nao é a esperada
mas é a que ca vem ficar

quantas vezes nos olhamos
pensando como padrão
que aquela que almejamos
foge a toda a convenção

ter fé, e saber esperar
quem tem amor para dar
um dia receberá tanto
que ficara num pranto

beijos....


Que se foda a taça

Miro

10 agosto, 2006

Queria escrever uma carta

Queria escrever uma carta
onde ficassem marcadas as palavras
que possam mais tarde ser lembradas
para que o amor nunca mais parta

Queria escrever uma poesia
rasgada do meu peito que sofria
para amanha eu me lembrar
da dôr que estou a passar

queria escever um contracto
nas alturas em que me chamas chato
para te lembrar a palavra amor
pois qual cegueira embriagada
ficas com a mente paralizada
por quem nao te quer ver no melhor

queria que estas palavras registadas
ficassem sempre bem guardadas
no meu e no teu coração
e quando nos queiram mal
bastaria mostrar que afinal
ja sabemos a lição.

Queria escrever uma carta linda
dizendo que o nosso amor nao finda
e que nao é ilusão
que p'ra sempre durará
e mais ninguém haverá
que consiga a desunião

queria escrever-te e escrevi
espero que os teus olhos saibam ler
porque o que acabei de escrever
é o amor que tenho por ti

Beijos a quem é de beijos

Miro (com fé e com certeza de que amanha vou ser feliz)

08 agosto, 2006

Li um poema

Li um poema que me fez chorar
talvez porque nele me fui encontrar
senti a minha dor em outro peito
vi o sangue a jorrar em lagrimas sem jeito

Da-mos o melhor de nós a quem nao quer
entregamos a nossa alma a quem vier
e como se estivesse marcado na vida
quem muito da, so arranja ferida

Dizia um amigo também sofrido
que quando amamos é fodido
nao sabem aproveitar o melhor
e só quando lhes aparece algum estupor
percebem pela propria pele e pela dor
que apenas dependia deles ter amor

Mas o ser humano é egoísta
e se tem a sorte de ter mais em vista
esquece o pouco que ja teve algum dia
e depois só perdendo é que avalia

Quantas lagrimas entretanto são jorradas
quantas palavras então nao foram gastadas
para fazer ver a luz que tanto temos em nós
e só depois de perderem sabem que estão sós

É triste dar tanta entrega, tanto amor
é triste ver que a quem se ama nega
até que um dia lhe bata a porta a dôr
que o faça entender a nossa entrega

beijos a quem é de beijos....

Até um guerreiro se cansa


Miro (guerreiro cansado)

06 agosto, 2006

O que os outros pensam

Sei que dei tantos conselhos sobre a postura que deveríamos ter perante situações de humilhação pessoal, como por exemplo, quando estamos apaixonados por alguém, ou quando nos damos a alguém, e, esse alguém por exagero e por falta d sensibilidade, nos magoa e nos poe de rastos emocionalmente. Sempre disse que, ninguém tem o direito de fazer sofrer aqueles que gostam de nós, e, muito menos, desprezar quem nos deu amor. Naturalmente que ninguém é obrigado a gostar de ninguém, e, eu nao sendo mais que ninguém, também estou sujeito ás leis que regem a vida, e por isso, também poderei ser indesejado por alguem que eu possa desejar.
Naturalmente que nas situações normais, eu agiria de uma forma desprendida, e de uma forma simplista, pratica, como é meu apanágio, e seria fácil dizer para quem não quer há muito, ou, se não falta quem queira (como ainda ontem aconteceu), e se alguém nao quer, então mais perde, porque o que eu tenho para dar é tanto que se nao querem receber, provavelmente é porque nao o merecem, mas, como disse, isto seria numa situação normal.
Não andei dois anos a tirar um curso, e a aprender montes de coisas que ja fiz uso delas, para não saber o que é um caso normal, e o que é um caso anormal, no entanto, sei que o que parece a quem nao entende estas coisas, é que o MIRO que era todo firmeza, o Miro que era todo decisão e força, parece que virou panaca, que virou mole, e que nao se sabe bem porque, deixa-se estar em baixo, na merda, a pensar sempre na mesma coisa, e, sempre a espera que a vida se encarregue de dar a volta, provavelmente (segundos os outros) de uma coisa que nunca vai acontecer.
Seria fácil, eu desistir e deixar de pensar nas coisas que me rodeiam, ou de lutar por aquilo em que acredito, e, passar em frente, empurrando a vida até que se acertem as agulhas e eu encontrasse a pessoa que nunca me faria sofrer, que me olhasse de uma forma simples, mas que sentisse que eu era a pessoa mais importante para o seu universo, e que pela certa me faria feliz, e, logo, eu deixava de estar amargurado com a vida, deixava de sofrer por nao ter quem eu quero, deixava de pensar tantas vezes se o esforço vale a pena, e, estaria provavelmente a seguir um caminho, para encontrar alguém mediano, com quem levasse uma vida serena, apagada, sem fogo, sem grande amor, mas apenas, uma vida calma, reduzida a pequenez dos sentimentos, sem o fulgor e a felicidade que eu procuro e almejo.
É mesmo disto que se trata, de felicidade, com fulgor, com força, alegria, prazer, ternura, amor, carinho, cumplicidade, partilha, entendimento, inteligencia, confiança, etc., ou seja, ter ao lado alguem que ao longo da nossa passagem por este planeta, possamos sempre ter conversa, ter o que dizer, ter os silencios que falam, ter os momentos em que calados dizemos mais que muita gente a falar, ter os toques que nos enchem a alma, ou seja, amor. Se lutar por isto (sabendo que a sitação que provocou a separação nao é uma situação normal), pode ser considerado de alguém que é frouxo, de alguém que anda perdido atras de uma quimera, se lutar por isto, mesmo fazendo sofrer, é considerado um erro, e que deveria abandonar a partir noutra direcção, deixem-me dizer-vos meu amigos, que, se repararem ao vosso lado, se virem bem as vidas dos que vos rodeiam, se calhar nao conseguis ver ninguem que tenha isto, que tenha esta felcidade, que tenha esse prazer de ter ao lado alguem que tanto preencha, e por isso, digo eu que nao percebo nada disso (sabendo que nao é uma situação normal), estou a lutar por aquilo que a grande maioria nao tem, nunca teve, e provavelmente nunca terá, porque provavelmente nao lutou e sofreu para ter, porque provavelmente evitou as provas que lhes deram e fizeram uma fuga em frente, mas, eu, sabendo que Deus me ajuda, quero atingir mais do que ja tive, e porque sei que o mereço, aguento o fel de hoje, porque depois me será dado todo o mel até para além da minha existência terrena, e isso, sei que poucos atingem, sei que poucos nao querem, porque sofrer para depois disfrutar, ninguém quer, e, normalmente todos fugimos á dôr, porque também fugimos ao amor, e, eu, mesmo cheio de dôr, digo, vale a pena porque um dia receberei tudo o que semeio, e se, como na lei natural, o que se semeia for multiplicado, bem.... não vou caber em mim de tanta felicidade.
Amo-vos, mas espero que agora me compreendais melhor, que agora percebam que ser forte as vezes nao é abandonar mas resistir, não é partir mas ajeitar, ser forte as vezes, ou quase sempre, é saber aguentar a dôr, é saber percebe-la, saber porque a temos, e depois então, mesmo que toda a gente ache que estamos errados, acreditar em nós mesmos, no nosso íntimo, na nossa luz, na nossa intuição, e amanha, receber os juros, ou a multiplicação do que semeamos.

Beijos a quem é de beijos


Miro .. Agradecido aos que me tentam demover da minha luta, e que me incentivam a desistir, pois segundo a compreensão deles, era o que deveria acontecer para nao me verem infeliz, e isso só prova que me amam. Também eu vos amo, e acreditem nao é burrice nem teimosia estúpida, é a necessidade de confirmar o que sinto, senão nada faria sentido.

05 agosto, 2006

Diria eu

ter provas de fé, ensina a vencer
ter provas de fé, são duras de roer
acreditar e ter fé, para aprender
ter fé simplesmente para viver

como poderíamos ajudar
e amparar alguém
se nao tivernmos fé
e acreditarmos no bem?

Como é possivel alguém ajudar
se nao tivermos fé e acreditar
que com a vontade firme de querer
daremos aos outros a vontade de viver

senao nos educarmos na fé
se nao cultivarmos essa força
nunca poderíamos por de pé
o nosso amor a quem nos ouça

a minha prova de fé a ter-te em mim
terei de acreditar em ti mulher
que és parte de mim porque Deus quer
que serás a minha companhia até ao fim

a tua prova de fé que irás vencer
é acreditar em tudo o que estas a sentir
e que nao adianta esmorecer
has-de vencer, e comigo vais florir

não adianta esquivar ou desistir
nao adianta mudar de rumo ou fugir
ainda que minha vontade de partir
seja maior que a de um leão a rugir

cansado de lutar sempre a teu lado
sabendo que por sorte venceremos
e que Deus nos deu o amor bem colocado
e com felicidade nunca mais nos separemos

parece as vezes uma terminavel razão
parece impossível de conseguir
mas a fé e o destino determinarão
a nossa maior razão de existir

E se de bondade tu és feita
e se de amor tens tu la dentro
nunca haverá nenhuma maleita
que nos atire ao relento

e só poderemos ensinar
a todos os que podem aprender
que o verbo que temos é amar
amar e só amar ate morrer

Beijos.........

E.... até ja!

Miro

03 agosto, 2006

Onde é o meu lugar?

Se aqui nao estou bem
se nao me consigo realizar
se me impedem também
de eu poder trabalhar

Onde é o meu lugar?

Se nao consigo criar
as raizes que pretendia
se nao me deixa amar
as pessoa que eu queria

Onde é o meu lugar?

Se me impedem de ser feliz
se nao me deixam em paz
se travam tudo o que fiz
ate nao me sentir capaz

Onde é o meu lugar?

Se até a que me ama
nao sabe porque razao
impedem a sua chama
de me amar como então

Onde é o meu lugar?

Se os que me querem bem
me separam do amor verdadeiro
que estou eu que nada tem
a fazer neste cativeiro?

Onde é o meu lugar?

nao será onde tenha paz?
onde nao haja ninguém
que com o mal se compraz
e nao incomodem ninguém?

Será o meu lugar onde?

Será que por momentos
o meu lugar esteja perto
onde haja sentimentos
onde tudo bata certo?

Se é aí o meu lugar
quero ja ir a voar
porque estou muito esgotado
de lutar sem ter ao lado
alguém que me possa entender
e que saiba e sinta o que estou a sofrer

Então, se te achar,
aí é o meu lugar

Beijos a quem é de beijos

Miro

02 agosto, 2006

Se não estou louco

Se nao estou louco,
ouvi as vozes dos que nos querem bem.
Se nao estou louco,
vieram e disseram tudo que me convém
Se nao estou louco,
é amor a fluir em familia, ausente e presente
Se nao estou louco,
vieram dar amor, é um batalhão de gente
Se não estou louco,
queiseram fazer-se ouvir e pedir perdão
quiseram que eu disse-se que sim e que não
fizeram-me confidências intimas secretas
trouxeram-me um alento as minhas descobertas

Se não estou louco,
aqueles que te amam, vieram dizer-me
que me amam também querem ver-me
feliz ao lado de quem eles almejam
embora eu disse-se que ja nao estou cá
que esta tormentosa vida é má
e ja nao quero que me vejam

e foi aí que me disseram
se eu nao estou louco vieram
para me fazer entender
o que alguem pode sofrer

deram-me alento e ajudaram
fizeram-me chorar de alegria
recordando-me a magia
da força com que fazia
a alegria dos que mudaram

Se nao estou louco virá
e nao vai ser amanhã
o meu amor verdadeiro
e aqui aguardo eu
o momento que é meu
e sorrir ao mundo inteiro

beijos a quem é de beijos

Miro

Sei que é assim

Por mais que eu queria fugir á minha realidade, sei que não posso, sei que nao consigo. Sei que por mais que cada um de nós tente fugir ao que sente e ao que tem de ser, nao vai conseguir, e cada dia que passa, mais atormentado vive por nao seguir o que tem de seguir. Sei que, e experimentei na pele, que o fugir a nossa realidade, é como um comboio que sai dos carris, e entra em areia, o que se sofre para o meter outra vez na linha, as vezes até faz pensar que vale a pena ir a pé. Sei e tenho a certeza, que nenhum sofrimento é despropositado, que nenhuma dôr se tem sem uma razão, que nenhuma coisa acontece por acaso, e, muitas das vezes, queremos fugir ao nosso destino,queremos afastar-nos de um rumo ou direcção, mas, fica sempre cá dentro a dôr, a chama e a voz que nos diz que estamos a errar, e cada vez que contrariamos isso, sofremos e fazemos sofrer. Ontem ouvi uma palestra que focou algumas coisa da vida, e uma delas foi que um espírito obssessor de outra pessoa, disse a quem ia cuidar de uma criança, porque ia ele cuidar de uma pessoa tão feia, e o que estava obsediado, respondeu com amor, que era um ser a precisar de ajuda como outro qualquer, e que o faria por amor, e um dia, o espirito obssessor disse-lhe que essa criança, a quem ele chamava feia, tinha sido sua mãe noutra encarnação, e isso só prova que de facto nao deveria ter sido grande mãe para ele lhe chamar feia. Outra parte da palestra, é que nao adianta ter medos de enfrentar o que temos de enfrentar ou de assumir o que temos de assumir, porque se é esse o nosso caminho, nao poderemos fugir dele, e quanto mais o adiarmos mais sofremos e fazemos sofrer.
Sei disto tudo, sei que nao posso fugir ao que me esta destinado, sei que sofro, sei que dói, mas, neste momento, se nao houver uma mudança radical de actitudes e pensamentos, nao tenho alternativa e saio, saio do caminho, saio da frente, saio do espaço, e, como alguém disse, que o que tem de ser será, então se fôr que não demore, e se nao fôr, que nao demore também a esclarecer de vez, pois a energia começa a faltar, e se para arranjar energia tenho de sair e de me desligar do mundo como ja o fiz a um ano atras para conseguir ultrapassar as dificuldades financeiras, então eu saio, se calhar ate vou trabalhar para longe que é uma forma de me abstrair de tudo e das ligações que tenho, quer familiares, que afectivas, e, das duas 3, ou o que tem de ser será, ou, se calhar fico a ganhar raizes noutro sitio, e me deixo enterrar por la.

beijos a quem é de beijos e ..... esta meditação acaba sexta feira, dia de todas as decisões.

Miro

01 agosto, 2006

Estranha sensação

Hoje foi mais um daqueles dias menstruais, em que nada me apetecia fazer, nem aturar ninguém, e, acabei por me deixar a meditar em casa toda a manhã, até que recebi um convite para ir almoçar com uma amiga. Depois do almoço, aconteceu algumas coisas "anormais" como sentir que uma pessoa tinha necessidade de desfazer o mal que haveria feito, e isto nao foi a primeira vez que aconteceu, porque ja aconteceu no domingo em frente ao meu amigo Luis no pédagua. O estranho é que depois de acontecer isso, fiquei com uma acalmia estúpida, e ao mesmo tempo com uma sensação de anestesia, que me fez sentir que nada a partir daquele momento era importante, e que, o mais importante era a minha sanidade e o meu amor proprio recuperado, sentindo que tudo a minha volta parecia nao fazer sentido, e toda a amargura e dôr que sentia, era despropositada e irracional.
Tal foi a força com que senti isto, que, sem querer me desliguei de tudo, e a determinada altura senti que nao me interessava mais nada na vida, que nada fazia sentido, que a dôr nao fazia sentido, que o amor se calhar nao faz sentido, que as empresas nao fazem sentido, que a familia nao faz sentido, que esse vazio enorme me fez pensar que, afinal a matéria seja ela qual fôr, é apenas um complemento de nós e nunca a nossa essência.
Podemos almejar uma companheira para fazermos a nossa caminhada terrena, podemos almejar um grande amor com ela, no sentido de ser mais sorridente essa caminhada de dor e de frustraçoes, mas, nunca poderá ser mendigada, ou desesperadamente tentada mesmo sabendo que foi por motivos alheios que nos separamos, ou por vontades mesquinhas.
Não se pode ser feliz a sombra de muita subjugação sentimental, ou a força de fazer a caminhada dos outros, mas sim, se essa caminhada se cruzar com a nossa, e se por acaso alguem a desviou, e a pessoa que estava connosco nao volta ao caminho, então era porque de facto ainda nao era o momento, ou então porque as escolhas feitas nao se cruzam com as nossas, e as vibrações nao são iguais.
Por algum tempo associei a minha desunião de forma diferente, e achei que apesar de nao querer que quem quer mal vença,porque sempre achei que o amor vencerá, e eu disse amor, isso pressupõe que tenha de haver amor das duas partes e não de uma, e se assim fôr, então se as duas partes remarem no mesmo sentido, o barco chega ao porto e acalmara, se por ventura um rema e o outro vai a boleia, então não partilha do esforço, e aí nunca saberá o que é o amor verdadeiro de quem vai a remar, e partilhar com ele, todo o amor que ele emprega na força dos remos para chegar ao fim.
Como disse a um ano atras, o helicopetero esta prestes a levantar, quem quiser agarrar a escada, faça o favor, porque senão... um dia destes se calhar, o heli parte e apanho um avião para longe, e como nada tenho a olhar para tras, fixo-me distante.

Beijos a quem é de beijos

Miro