06 agosto, 2006

O que os outros pensam

Sei que dei tantos conselhos sobre a postura que deveríamos ter perante situações de humilhação pessoal, como por exemplo, quando estamos apaixonados por alguém, ou quando nos damos a alguém, e, esse alguém por exagero e por falta d sensibilidade, nos magoa e nos poe de rastos emocionalmente. Sempre disse que, ninguém tem o direito de fazer sofrer aqueles que gostam de nós, e, muito menos, desprezar quem nos deu amor. Naturalmente que ninguém é obrigado a gostar de ninguém, e, eu nao sendo mais que ninguém, também estou sujeito ás leis que regem a vida, e por isso, também poderei ser indesejado por alguem que eu possa desejar.
Naturalmente que nas situações normais, eu agiria de uma forma desprendida, e de uma forma simplista, pratica, como é meu apanágio, e seria fácil dizer para quem não quer há muito, ou, se não falta quem queira (como ainda ontem aconteceu), e se alguém nao quer, então mais perde, porque o que eu tenho para dar é tanto que se nao querem receber, provavelmente é porque nao o merecem, mas, como disse, isto seria numa situação normal.
Não andei dois anos a tirar um curso, e a aprender montes de coisas que ja fiz uso delas, para não saber o que é um caso normal, e o que é um caso anormal, no entanto, sei que o que parece a quem nao entende estas coisas, é que o MIRO que era todo firmeza, o Miro que era todo decisão e força, parece que virou panaca, que virou mole, e que nao se sabe bem porque, deixa-se estar em baixo, na merda, a pensar sempre na mesma coisa, e, sempre a espera que a vida se encarregue de dar a volta, provavelmente (segundos os outros) de uma coisa que nunca vai acontecer.
Seria fácil, eu desistir e deixar de pensar nas coisas que me rodeiam, ou de lutar por aquilo em que acredito, e, passar em frente, empurrando a vida até que se acertem as agulhas e eu encontrasse a pessoa que nunca me faria sofrer, que me olhasse de uma forma simples, mas que sentisse que eu era a pessoa mais importante para o seu universo, e que pela certa me faria feliz, e, logo, eu deixava de estar amargurado com a vida, deixava de sofrer por nao ter quem eu quero, deixava de pensar tantas vezes se o esforço vale a pena, e, estaria provavelmente a seguir um caminho, para encontrar alguém mediano, com quem levasse uma vida serena, apagada, sem fogo, sem grande amor, mas apenas, uma vida calma, reduzida a pequenez dos sentimentos, sem o fulgor e a felicidade que eu procuro e almejo.
É mesmo disto que se trata, de felicidade, com fulgor, com força, alegria, prazer, ternura, amor, carinho, cumplicidade, partilha, entendimento, inteligencia, confiança, etc., ou seja, ter ao lado alguem que ao longo da nossa passagem por este planeta, possamos sempre ter conversa, ter o que dizer, ter os silencios que falam, ter os momentos em que calados dizemos mais que muita gente a falar, ter os toques que nos enchem a alma, ou seja, amor. Se lutar por isto (sabendo que a sitação que provocou a separação nao é uma situação normal), pode ser considerado de alguém que é frouxo, de alguém que anda perdido atras de uma quimera, se lutar por isto, mesmo fazendo sofrer, é considerado um erro, e que deveria abandonar a partir noutra direcção, deixem-me dizer-vos meu amigos, que, se repararem ao vosso lado, se virem bem as vidas dos que vos rodeiam, se calhar nao conseguis ver ninguem que tenha isto, que tenha esta felcidade, que tenha esse prazer de ter ao lado alguem que tanto preencha, e por isso, digo eu que nao percebo nada disso (sabendo que nao é uma situação normal), estou a lutar por aquilo que a grande maioria nao tem, nunca teve, e provavelmente nunca terá, porque provavelmente nao lutou e sofreu para ter, porque provavelmente evitou as provas que lhes deram e fizeram uma fuga em frente, mas, eu, sabendo que Deus me ajuda, quero atingir mais do que ja tive, e porque sei que o mereço, aguento o fel de hoje, porque depois me será dado todo o mel até para além da minha existência terrena, e isso, sei que poucos atingem, sei que poucos nao querem, porque sofrer para depois disfrutar, ninguém quer, e, normalmente todos fugimos á dôr, porque também fugimos ao amor, e, eu, mesmo cheio de dôr, digo, vale a pena porque um dia receberei tudo o que semeio, e se, como na lei natural, o que se semeia for multiplicado, bem.... não vou caber em mim de tanta felicidade.
Amo-vos, mas espero que agora me compreendais melhor, que agora percebam que ser forte as vezes nao é abandonar mas resistir, não é partir mas ajeitar, ser forte as vezes, ou quase sempre, é saber aguentar a dôr, é saber percebe-la, saber porque a temos, e depois então, mesmo que toda a gente ache que estamos errados, acreditar em nós mesmos, no nosso íntimo, na nossa luz, na nossa intuição, e amanha, receber os juros, ou a multiplicação do que semeamos.

Beijos a quem é de beijos


Miro .. Agradecido aos que me tentam demover da minha luta, e que me incentivam a desistir, pois segundo a compreensão deles, era o que deveria acontecer para nao me verem infeliz, e isso só prova que me amam. Também eu vos amo, e acreditem nao é burrice nem teimosia estúpida, é a necessidade de confirmar o que sinto, senão nada faria sentido.

7 comentários:

Undisclosed disse...

"Agradecido aos que me tentam demover da minha luta, e que me incentivam a desistir, pois segundo a compreensão deles, era o que deveria acontecer para nao me verem infeliz, e isso só prova que me amam."


Numa interpretação melhor, e menos agressiva para aqueles q querem o teu bem, eu diria que provavelmente te estão a alertar para os riscos que o desafio que estás a chamar para ti mesmo.
Falando por mim, admiro a tua coragem, a tua perseverança, admiro a tua força de mudar o mundo...e quero acreditar em ti, não acho é que o consigas, porque o mundo que tu queres mudar não é só teu...
De qualquer maneira e como te disse já, surpreende-me...n te magoes é mais! A resistência é de admirar mas ate o homem mais forte do mundo se esvai em sangue com 10 cortes de folha de papel...

acbelix disse...

Exactamente por saber que nao querem que me magoe mais, é que eu escrevi este post. Como deves saber, ja noutras alturas, outras coisas aconteceram, e, ninguem diria que se resolviam, no entanto a minha intuição dizia-me que sim, e depois de 5 meses de sofrimento, consegui o que muito pouca gente teve, e só por isso valeu a pena, porque como costumo dizer, a maioria nao tem dois meses de felicidade plena em toda a vida, e, eu ja tive muito mais que isso, e sei que terei muito mais ainda. Arriscar com consciencia, nao deixa de ser um risco, e poder-se falhar, mas nao é o caso, é ter a certeza interior que é este o caminho, e mesmo que fosse arriscar com consciencia, valeria a pena sempre mesmo que me deixasse com os cornos metidos numa parede, pois ficaria na dúvida se voltaria a ter o que tive, e aí seria bem pior viver com a dúvida, do que bater com a cabeça numa parede, mas pelo menos nunca mais lembrar o que passou.
Um abraço gaijo, e sei bem que o que dizes, é sentido e porque te preocupas comigo.

Anónimo disse...

Mano,
Sei que o que procuras é aquilo que toda a gente quer e que todos têm o direito a ter...a Felicidade.
Não acho que devas desistir, de seguir os teus sonhos. Eu própria sou uma sonhadora e tu sabes.
Por vezes temos é que parar e olhar bem para o caminho que estamos a percorrer. Não p'ra sabermos se é o mais rápido ou o mais longo, mas p'ra sabermos se é o caminho onde nos encontramos que nos leva aos nossos sonhos.
E depois mano...deste tantos conselhos que ajudaram tanta gente a encontrar a tão almejada Felicidade...se quizeres eu ainda me lembro de alguns :))))

Beijos mano e só não quero que a tua vida se resuma a sofrimento.

Florbela disse...

Concordo com o "undisclosed" quando ele diz que quer acreditar em ti, só não acha é que consigas mudar o mundo, porque o mundo que tu queres mudar não é só teu... aliás, não é "o teu". Sabes bem que, também eu, admiro tua coragem e tua perseverança. Mas como também está registrado aqui, só não desejo que tua vida continue a resumir-se a um constante sofrimento.
Não fiz o curso que fizeste mas sabes que creio, assim como tu. Desejo de coração que tua felicidade esteja ao teu alcance, afinal, felicidade é um estado de espírito!

Anónimo disse...

Vim reler este texto porque o acho muito tirado de dentro da alma. Em silêncio o li e deixo
"É mesmo disto que se trata, de felicidade, com fulgor, com força, alegria, prazer, ternura, amor, carinho, cumplicidade, partilha, entendimento, inteligencia, confiança, etc., ou seja, ter ao lado alguem que ao longo da nossa passagem por este planeta, possamos sempre ter conversa, ter o que dizer, ter os silencios que falam, ter os momentos em que calados dizemos mais que muita gente a falar, ter os toques que nos enchem a alma, ou seja, amor."

Aqui me identifiquei, faço silêncio e mastigo as palavras para ficar com o sabor.
Um beijo
Maria do Mar

_margarida disse...

Que texto longo é moralista. está bem construido, gostei da parte em que falas do amor não correspondido. :) nos likns podes colocar em vez de "_margarida" sonho fiel? :) no meu blog coloquei o link do teu blog com uma frase.

Menina do Rio disse...

Todos sabemos da nossa própria dor.Porque muitas vezes ela dilacera, nos oprime de tal maneira que não nos apetece nada. Mas as dores são liçoes na nossa caminhada. Não que seja necessário ser talhado ate se esvair em sangue como citou o undisclosed. Estou certa que tua dor tem sentido, o sentido que buscas dar a tua vida e que serás recompensado.Sei que não estás sozinho e que o que almejas está a caminho. As vezes ocorre de tentarem nos tirar parte de nós mesmos e nos sentimos como se faltasse chão, mas o que nos cabe ninguem tira porque está dentro em nós. Quando temos força de vontade e persistencia contornamos todos os obstáculos e chegamos ao nosso intento, mesmo que tentem nos afastar de nosso caminho.
Um doce beijo pra ti