29 junho, 2006

Partilhar uma história

Na pior altura da minha vida em termos financeiros, estava eu com a minha namorada no pedagua, e, naturalmente como andam sempre por la os vendedores de flores, naquele dia, eu que estava bem romantico e em melaço com a minha gaija, queria oferecer-lhe uma rosa, e nao tinha nem um euro no bolso para poder comprar uma rosa que dentro de mim estava uma vontade enorme de oferecer, para que a minha gaija sentisse que de facto era importante para mim, mas, infelizmente nao o pude fazer.
Estava triste por dentro e a cantar por fora, como muitas vezes o fiz no pedagua, algumas delas com a alma a sangrar, mas, nao deixava exteriorizar esses sentimentos, e la anima eu uma montanha de gente, que nao tinha culpa dos meus problemas, e portanto ia la para se divertir e relaxar. Com tanto sofrimento interior por nao poder oferecer uma rosa, e ainda quando se aproximava algum deles ter de fazer o papel de quem nao esta de acordo com isso, era coisa que me matava por dentro, mas nunca disse nada a ninguém até hoje, e a minha surpresa, é que quando entra um indiano a vender rosas, com um sorriso lindo de uma pureza incrivel, e chega a minha beira, tira uma rosa, e eu, envergonhado, sem saber como fazer disse-lhe nao quero, e ele continuou com o sorriso e disse, eu ofereço-ta. Nao sabia onde me meter, mas, por dentro estava a dar gritos de alegria, por poder oferecer uma rosa a pessoa que estava comigo, e com quem partilhava um amor transcendente, que como alguem disse, nao era deste mundo, nem era para gente deste mundo compreender. A rosa essa, oferecia-a com todo o amor, o que foi feito dela a seguir, nao é importante, no entanto, levava uma carga emocional demasiado forte, para quem um dia tudo podia ter, e naquele dia, nem um euro tinha para comprar uma rosa, e que deus lhe pos no caminho alguem para ele poder satisfazer o seu desejo, e provar o seu amor.
Como sempre disse, nada é por acaso, e agora, esse vendedor de sorriso lindo, sempre que entra no pedagua, e eu posso comprar rosas, compro, nem que as ofereça a quem nao merece, mas pelo simples facto de que um dia ele me fez sentir o homem mais sortudo do mundo, e mais protegido por Deus.
Se ter fé é acreditar nas coisas boas da vida, se ter fé, é acreditar que todo o sofrimento que passamos é por um motivo bem mais importante para nós, se ter fé é acreditar que um dia seremos muito felizes, bem... eu tenho fé, e acredito que um dia, Deus compensa toda a nossa actitude de bondade para com os outros, e o amor que damos mesmo a quem nao o merece.
Sei que sou chato, mas, quando amo, nao brinco em serviço, e tudo faço para que a pessoa que amo, esteja bem e tenha o melhor.

beijos quem é de beijos, e abraços a quem é de abraços

Serei sempre MI(ro), mesmo depois de sair deste planeta que ainda tem tanto para evoluir, e como a vida nao termina, quero apenas dar continuidade ao amor que semear cá, mesmo que sejam poucos anos, mas isso comparado com a eternidade...... enfim, são só uns segundos os 96 anos que ca vou passar.

Miro

Mudar a vida

As vezes, quando nos sentimos fustigados pela vida, quando tentamos tudo para atingir objectivos e nao os conseguimos, devemos repensar o nosso rumo e ver onde é que estamos a forçar a barra que nao uqer andar para a frente. Se dizemos a um bebado que nao beba que lhe faz mal, mas ele teima em dizer que nao é bebado, então nao teremos muitas soluções de o ajudar enquanto ele nao admitir que esta mesmo doente. Se dissermos a um drogado que a droga lhe faz mal e que a deixe, ele nao deixa, portanto, so quando estiver com risco de vida ou apanhar a sida é que se consegue faze algo por ele. Se dizemos a alguém que esta todo marado, que tem de se cuidar, que nao esta bem e que esta doente, enfim, como não dói nada, as pessoas dizem que eu estou parvo, que sou um chato, que devia era parar, etc e tal. e eu armado mesmo em parvo insisto, porque quero ver toda a gente bem, ainda que eu fique mal, porque é dando que rebemos, amando é que somos amados, perdoando é que somos perdoados, mas.... ainda nao atingi a perfeição, e sou humano, e provavelmente deixo de resistir a tanta porrada, porque ja a tive materialmente, e agora tenhoºa emocionalmente, e se alguem tem de ser ajudado, chego a simples conclusão que só quando dói e que as pessoas acordam e deixam ser ajudadas.
Posto isto, tenho é que mudar de vida, e levar a minha sem me preocupar com quem esta mal, com quem sofre, porque enquanto nao sofrem dores reais, nao são capazes de perceber o que sofrem mesmo, e por isso desgastam-me tanto que, vou recarregar baterias, e quando estiverem na merda, se eu ainda tiver força, talvez ajude. Mas pode ser que mais logo mude de opinião e que isto seja apenas um desabafo!

beijos a quem é de beijos e abraços a quem é de abraços!

MIRO ... e mais nao digo

28 junho, 2006

Capacidade de libertação dos obssessores

Continuando a indagar o livro dos espiritos de Alain kardec, vemos a partir da pergunta numero 464, e de referir que espiritos somos todos nós encarnados e desencarnados, portanto, isto nao se aplica apenas aos que ja partiram para o lado de lá, mas aos que ainda deste lado estãoo também:

464. Como distinguirmos se um pensamento sugerido procede de um bom Espírito ou de um Espírito mau?

“Estudai o caso. Os bons Espíritos só para o bem aconselham. Compete-vos discernir.”

465. Com que fim os Espíritos imperfeitos nos induzem ao mal?

Para que sofrais como eles sofrem.”

a) - E isso lhes diminui os sofrimentos?

Não; mas fazem-no por inveja, por não poderem suportar que haja seres felizes.”

b) - De que natureza é o sofrimento que procuram infligir aos outros?

“Os que resultam de ser de ordem inferior a criatura e de estar afastada de Deus.”

466. Por que permite Deus que Espíritos nos excitem ao mal?

Os Espíritos imperfeitos são instrumentos próprios a por em prova a fé e a constância dos homens na prática do bem. Como Espírito que és, tens que progredir na ciência do infinito. Daí o passares pelas provas do mal, para chegares ao bem. A nossa missão consiste em te colocarmos no bom caminho. Desde que sobre ti atuam influências más, é que as atrais, desejando o mal; porquanto os Espíritos inferiores correm a te auxiliar no mal, logo que desejes praticá-lo. Só quando queiras o mal, podem eles ajudar-te para a prática do mal. Se fores propenso ao assassínio, terás em torno de ti uma nuvem de Espíritos a te alimentarem no íntimo esse pendor. Mas outros também te cercarão, esforçando-se por te influenciarem para o bem, o que restabelece o equilíbrio da balança e te deixa senhor dos teus atos.”
É assim que Deus confia à nossa consciência a escolha do caminho que devamos seguir e a liberdade de ceder a uma ou outra das influências contrárias que se exercem sobre nós.

467. Pode o homem eximir-se da influência dos Espíritos que procuram arrastá-lo ao mal?

“Pode, visto que tais Espíritos só se apegam aos que, pelos seus desejos, os chamam, ou aos que, pelos seus pensamentos, os atraem.”

468. Renunciam às suas tentativas os Espíritos cuja influência a vontade do homem repele?

“Que querias que fizessem? Quando nada conseguem, abandonam o campo.
Entretanto, ficam à espreita de um momento propício, como o gato que tocaia o rato.”

469. Por que meio podemos neutralizar a influência dos maus Espíritos?

“Praticando o bem e pondo em Deus toda a vossa confiança, repelireis a influência dos Espíritos inferiores e aniquilareis o império que desejam ter sobre vós. Guardai-vos de atender às sugestões dos Espíritos que vos suscitam maus pensamentos, que sopram a discórdia entre vós outros e que vos insuflam as paixões más. Desconfiai especialmente dos que vos exaltam o orgulho, pois que esses vos assaltam pelo lado fraco. Essa a razão por que Jesus, na oração dominical, vos ensinou a dizer: “Senhor! Não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal.”

470. Os Espíritos, que ao mal procuram induzir-nos e que põem assim em prova a nossa firmeza no bem, procedem desse modo cumprindo missão? E, se assim é, cabe-lhes alguma responsabilidade?

“A nenhum Espírito é dada a missão de praticar o mal. Aquele que o faz fá-lo por conta própria, sujeitando-se, portanto, às conseqüências. Pode Deus permitir-lhe que assim proceda, para vos experimentar; nunca, porém, lhe determina tal procedimento. Competevos, pois repeti-lo.”

..............

472. Os Espíritos que procuram atrair-nos para o mal se limitam a aproveitar as circunstâncias em que nos achamos, ou podem também criá-las?

“Aproveitam as circunstâncias ocorrentes, mas também costumam criá-las, impelindo-vos, mau grado vosso, para aquilo que cobiçais. Assim, por exemplo, encontra um homem, no seu caminho, certa quantia. Não penses tenham sido os Espíritos que a trouxeram para ali. Mas, eles podem inspirar ao homem a idéia de tomar aquela direção e sugerir-lhe depois a de se apoderar da importância achada, enquanto outros lhe sugerem a de restituir o dinheiro ao seu legítimo dono. O mesmo se dá com relação a todas as demais tentações.”

..........................

Por hoje ficamos por aqui, mas, como sempre disse, um lençol preto com uma nódoa preta, nao faz diferença, nem se nota, um lençol branco com uma nódoa preta, enfim ve-se a alguns kilometros. Eu tento andar o mai branco possivel, e faço tudo por nao permitir que manchem muito o meu lençol.

Beijos a quem é de beijos, e abraços a quem é de abraços

Miro

A dignidade

Não se prova dignidade, sem que para isso sejamos postos em confronto com ela. Como pode alguém dizer que é sério, correcto, digno, se nunca foi posto a prova? como pode alguém dizer que não é ladrão enquanto tem os bolsos cheios de dinheiro?
Naturalmente, para se provar que se é sério, é exactamente quando, como aconteceu comigo, não tinha de comer, não tinha dinheiro para nada, e nao roubei, nem burlei ninguem, apenas pedi. Não adianta dizer que somos fiéis quando tudo corre as mil maravilhas, mas, quando aparece alguem que mexe connosco, ja somos capazes de esquecer a dignidade, de esquecer a fidelidade, e passarmoºnos a comportar como meros abjectos que calcam tudo e todos em nome nao se sabe de que, mas quedeverá ser pela satisfação do ego, ou então pela vaidade de achar que podemos atropelar quem quisermos para satisfazer os nossos caprichos ou vaidades.
As provas estão sempre aí, e se as soubermos aguentar, muito bem, se nao as sabemos aguentar, então nao merecemos o lugar que nos estaria destinado, e deveremos aguentar-nos no sitio onde nos deixaram sair temporáriamente a ver se ja conseguíamos ser de facto correctos sérios e dignos das pessoas que connosco estavam.
Naturalmente que me refiro a quem esta no sua verdadeira capacidade, sem manipulação, ou seja, com o seu livre arbitrio em perfeitas condições de uso.
Se quisermos perceber onde nos levam as tentações, talvez nao seja dificil de analizar, que as vezes, somos empurrados para o erro, para a depravação ainda que seja pelo orgulho, ou pelo ego, mas nao deixa de ser depravação, pois não nos interessamos por uma pessoa pelo facto de poder vir a ser um companheiro com quem nos afinizamos, mas olhamos e pensamos nele como objecto de consumo social, pois acho que as vezes nem pelo aspecto sexual o é.
O que leva as pessoas a trairem-se umas as outras, e a nao terem respeito pelos que estão consigo? frustrações? egoísmo? vaidade? promiscuidade? que diferença fazem de alguem que se vende por dinheiro numa rua, ou de alguem que se vende por vaidade ou pelo ego? não será a mesma forma de se vender ainda que nao seja comercializável? afinal onde é que nós nos melhoramos moralmente? afinal o que esperamos da nossa vida, se andamos ca para limar as arestas, e caimos constantemente no erro? Esperamos assim conseguir a felicidade, quando apenas nos satisfazemos com a vaidade e o ego? quando apenas queremos mostrar que somos capazes de engatar ou de fazer interessar alguém vistoso (embrulho) mas que nao tem conteúdo, porque achamos que assim a sociedade nos olhará melhor? Será isto evoluir? será que andamos em frente? será que gostaríamos que nos fizessem o mesmo?
Bem, se agimos de livre arbitrio, teremos uma grande responsabilidade, se agimos coagidos sem sabermos, teremos uma responsabilidade menor, mas teremos sempre responsabilidade, pois foi-nos colocado a frente a possibilidade de recusarmos ser banais e curruptos, e nao soubemos lutar contra isso.

Ja agora vale a pena pensar nisto, e talvez assim entendam que quando estamos coagidosm fazemos mais merda do que imaginamos, e, perdemos o controlo das nossas actitudes, algumas das quais, deveríamos lutar contra elas.

beijos a quem é de beijos, e abraços a quem é de abraços, pois como disse, enquanto pensar que há manipulação devo tentar libertar, se não ha manipulação, devo fugir, pois pessoas perversas nao fazem parte dos meus gostos nem da minha apreciação.

Miro

26 junho, 2006

O poder oculto

Ontem deram-me uma indicação para procurar num livro, uma referencia a influencia a que estamos sujeitos externamente, pelos espiritos errantes. Peguei no livro, e nao consegui fazer ver a alguem o que pretendia para poder esclarecer, o que é normal quando as pessoas estão minimamente obsidiadas, os obssessores nao deixam que o esclarecimento apareça, pois isso seria denuncia-los e po-los a mostra. A parte do texto do livro dos espiritos de ALAIN KARDEC, é a seguinte:

458. Que pensam de nós os Espíritos que nos cercam e observam?

“Depende. Os levianos riem das pequenas partidas que vos pregam e zombam das vossas impaciências. Os Espíritos sérios se condoem dos vossos reveses e procuram ajudarvos.”


Influência oculta dos Espíritos em nossos pensamentos e atos

459. Influem os Espíritos em nossos pensamentos e em nossos atos?

“Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que vos dirigem.”

460. De par com os pensamentos que nos são próprios, outros haverá que nos sejam sugeridos?

“Vossa alma é um Espírito que pensa. Não ignorais que, freqüentemente, muitos pensamentos vos acodem a um tempo sobre o mesmo assunto, não raro, contrários uns dos outros. Pois bem! No conjunto deles, estão sempre de mistura os vossos com os nossos. Daí a incerteza em que vos vedes. É que tendes em vós duas idéias a se combaterem.”

461. Como havemos de distinguir os pensamentos que nos são próprios dos que nos são sugeridos?

“Quando um pensamento vos é sugerido, tendes a impressão de que alguém vos fala. Geralmente, os pensamentos próprios são os que acodem em primeiro lugar. Afinal, não vos é de grande interesse estabelecer essa distinção. Muitas vezes, é útil que não saibais fazê-la. Não a fazendo, obra o homem com mais liberdade. Se se decide pelo bem, é voluntariamente que o pratica; se toma o mau caminho, maior será a sua responsabilidade.”

......................................

Assim sendo, quando as vezes pensamos que somos nós a comandar, dependendo da nossa actitude, somos é comandados, e, ou temos dentro de nós vontade de fazer o bem e de ser boas pessoas, ou então, dificilmente nos livraremos dessa influencia que nos arrastará para a lama, com a respectiva conseuencia fisica.

Posto isto, se uma determinada pessoa estiver nestas condições, seria como se estivesse cheia de feridas a sangrar, e, nessa altura, nao se pode abandona-la, mas sim, estar ao lado ainda que sejamos repelidos, pois só assim essas chagas que nao se veem podem ser curadas, de outra forma, seria a mesma coisa que abandonar alguem ferido na berma de uma estrada sem lhe prestar auxilio.

Ja agora vale a pena pensar nisto
Beijos a quem é de beijos e abraços a quem é de abraços.

Serei sempre o

Mi(ro)

25 junho, 2006

O poder do vil metal

Estava a abrir um programa para nao perder o meu pseudónimo, quando li o seguinte:

"Depois de a última árvore sem frutos, o último rio envenenado, o homem perceberá que dinheiro não se come."

Isto fez com que mais uma vez eu olhe para o mundo e sinta que esta tudo as avessas, que os valores estão alterados, e que toda a gente se dá no direito de atropelar em função do estatuto, ou em função do dinheiro que tem, em vez dos valores, esses sim tesouros reais e que poderemos transportar sempre connosco conforme disse o Mestre Divino.
Os atropelos a que estamos sujeitos por causa da ganancia, da vaidade, do egoismo, do orgulho, e de muitos outros defeitos que possuímos, fazem da nossa passagem por este planeta seres que só provam que ainda teem muito de caminhar, e de sofrer para mudar de comportamentos, e limar as arestas que nao nos deixam ser felizes.
As pessoas valorizam mais a cagança, o status, a posição social, o pavonear-se para os outros a mostrar o que se tem, para encobrir a infelicidade, e a falta de amor que as perseguem, em vez de pensarem que é exactamente ao contrário que a felicidade nos cerca. A humildade, o carinho, a ternura, a sesibilidade, logo o amor, deveriam ser os valores por onde nos deveríamos reger, e propagar aos que nos estão proximos, em detrimento da imagem que querem deixar passar, ou de tentar compensações monetárias para encobrir a felicidade.
Há muitas formas de nos evadirmos da solidão, da falta de amor, da falta de carinho, da falta dos reais valores, e uma delas naturalmente, é entrarmos num centro comercial, e ja que nao podemos ter o que nao se compra, vingamo-nos no que podemos comprar, para poder ter o ego la em cima, ou seja, nao tenho o amor que preciso, mas compro merda até nao precisar dela, e descarrego as minhas emoções no superfulo, e assim sentem-se compnesados por isso.
Quantas famílias vivem nestas condições a mostrar o lado errado, em vez de tentarem ser o correcto? quantas familias vivem desarmoniosamente exactamente porque trocaram os valores? em vez de trocarem carinho e amor, trocam palavras e confirmar que teem poder e conseguiram comprar mais uma quantidade de merdas que nao lhes faz falta.
Na minha familia, sempre se trocou amor, companheirismo, dádiva, sempre nos preocupamos imenso com os outros, sempre trocamos amor, talvez por isso para mim, embora tenha necessidade do dinheiro para viver, embora sem dinheiro nao possa realizar algumas coisas, como dizia, para mim, é muito mas muito mais importante o amor, porque foi com amor que ultrapassei as minhas maiores dificuldades, e foi no amor que ouvi as maiores precupações comigo, como por exemplo, ir fazer uma viagem, e ter alguem que me telefonava as 4 da manha, a perguntar se tudo estava a correr bem. É disto que se trata, de amor, de fraternidade, de carinho e preocupação com o outro, que devemos preencher o nosso coração, e caminhar certo, ainda que por linhas tortas!

Beijos a quem é de beijos e abraços a quem é de abraços, eu continuo a preferir o amor!

Miro

Uma questão de lógica

Sendo eu alguem com pouca formação académica, sempre fui muito ligado a matemática, e portanto sou uma pessoa em que seja la o que fôr tem de ter lógica, senão nao me convence. Assim sendo, nao costumo atribuir razoes as coisas de uma forma leviana, mas tento percebelas de uma forma profunda, ou seja, com lógica.
Imaginemos que Deus na sua infinita bondade, precisava de resolver para bem de muita gente, um assunto que me faria sofrer, mas ao mesmo tempo me traria vantagens, e a seguir muita felicidade, pois arrumava a casa e afastava todas as pessoas más que me rodeavam, e portanto, criava-se uma situação em que alguem iria fazer mal a uma determinada pessoa, para que essa pessoa se afastasse, e logo de seguida o mal cairia sobre ela. Na altura em que essa pessoa fez o mal, é dificil apercebermo-nos do que esta para além da vontade divina, e apenas perguntamos porque é que temos de sofrer mais uma vez, nas mesmas condições, logo, um "deja vu". Será que um pai dá pedras a um filho que lhe pede uma sopa? Deus que é pai, também nao o fará, a menos que isso sirva para melhorar a pessoa em causa, e se calhar o sofrimento que lhe causa é bastante mais benéfico do que o prazer que iria ter. Mas voltando a questão, se a pessoa fez mal, vai ter de pagar pelo mal que fez, e aí, imaginemos que pede a alguem para ser ajudado e para lhe eliminar as dores ou as doenças, e alguém que ela conhece, lhe fará isso, nesse caso, será que a pessoa que fez o mal pensa que pode ser curada sem primeiro mostrar arrependimento do mal que fez? não! então como é que as coisas aconteceriam? Bem, imaginemos que o mal foi por exemplo afastar alguem da vida de outra pessoa, e agora se ve forçada pelas circunstancias, a ter de pedir a pessoa a quem fez mal, para a ajudar? Não será que quando isso acontecer, a pessoa que foi magoada, vai obrigar a que a pessoa que faz mal, se redima e diga todo o mal que fez e a quem, e nesse caso, imaginemos, a verdade teria de vir ao de cima, e portanto nao seria mais possivel esconder fosse o que fosse, pois as pessoas envolvidas, estaria de livre e espontanea vontade ali, e então a pessoa que fez mal, ser obrigado a dizer porque o fez, nesse caso seria pedoado, e seria reencaminhado, pois, nao se consegue esconder durante o tempo todo, e nesse caso, a pessoa quando se ve sem saidas, aí, tem de tomar uma decisão, e depois vai ter de assumir os seus erros, e pela minha experiencia nestes casos, a coisa resolve-se, na boa!
Por isso é que se diz, Deus escreve direito por linhas tortas!

beijos a quem é de beijos

24 junho, 2006

Sentir a verdade, DENTRO DE NÓS

Quando alguem nos faz mal, quando alguem tenta afastar-nos de alguem, quando tudo indica que uma determinada situação em que houve alguem a querer que nos afastemos de alguem, devemos ouvir o que esta dentro de nós, e pensar porque é que apesar de pensarmos que nao estamos bem com determinada pessoa, sentimos dentro de nós que algo está errado e que nao conseguimos entender bem. Por isso, é muito importante que possamos deixar que o nosso interior nos responda, depois de fazermos um pedido para que os que nos influenciam nao estejam presentes, e sejam os nossos guias a intuirnos das coisas, e acabaremos por verificar que a cara nao diz com a careta. Como pode alguem sentir que nao quer estar com alguem, e num momento de libertação, ainda que efemero, diga e sinta que nao queria sair do sitio onde estava??, como é possivel ter dois sentimentos num pequeno minuto, e logo de seguida um sobrepor-se ao outro? Será que nao temos inteligencia para perceber o que se passa e que algo de errado esta? Será que nnao somos suficientemente esclarecidos para saber o que é uma manipulação?
Por mim, sempre tentei ouvir a minha chama interior e seguir o seu rumo, se bem que ha momentos em que o cansaço e a fadiga mental e sentimental, nos faz desistir e andar em frente, ainda que saibamos que poderiamos vencer com o tempo, mas a resistencia psicológica começa a trair-nos e a fazer com que nao consigamos vencer a derradeira batalha, a menos que a intleigencia das pessoas venha ao de cima, e colaborem nessa caminhada que nunca poderá ser feita por ninguem a nao ser pela propria pessoa.
Estejam atentos a vossa vida, e se virem mudanças bruscas de comportamento (ao longo de meses), então a pessoa nao será ela a tomar as actitudes, mas sim alguem esta a manipula-la.
Fiquem bem, e ja agora,

Vale a pena pensar nisto, e façam por atingir a felicidade.

22 junho, 2006

Egoísmo e egocentrismo

Ja escrevi algures no meu blog, uma quantidade de posts atras, que uma vez uma amiga me disse, que quando alguem se esta para afogar ate beija os pes de quem o salvar, mas quando se apanha em terra firme, nem olha para tras para ver quem a salvou. As pessoas são muito simples e dóceis quando tem dores, quando sofrem e são ajudadas, quando teem pessoas a nao as deixar andar em frente, e a travar-lhes os passos, mas mal se apanham com dois dedos de confiança, la caminham sobre areia movediça, escancarando a porta a infelicidade, provando que afinal, nao eram mesmo dóceis nem meigas, nem humildes, e assim em vez de ultrapassarem as suas provas, entram a força toda na lama e no lodo. Se efectivamente cá andamos para limar as nossas arestas, seria normal depois de algum conhecimento, depois de alguma aprendizagem, seguirmos pelo caminho estreito, conforme disse Jesus, porque pelos caminhos largos, larga é a perdição humana, pois largos são os defeitos que temos. Naturalmente que quando fazemos as nossas opções, somos responsáveis por elas, e aí, cada actitude nossa, cada comportamento errado, cada falta, terá de ser feita a reparação, e não é quem faz o bem que a tem de reparar, mas sim, quem faz o mal, ou então, quem em vez de andar pelo caminho estreito, prefere caminhar pelo da ilusão, da vaidade, do orgulho e do egoísmo, em vez da humildade, do amor, da sensibilidade etc. Se quem é faltoso tem de pagar, não devemos ter grandes preocupações com quem sofre as faltas, pois esse será recercido de tudo, mas aquele ou aquela que comete as faltas, esse, terá contas a ajustar, exactamente porque tudo tem de ser pago até ao ultimo tostão, para que só depois, o amor divino desça e nos conceda os nossos desejos e os nossos pedidos, pois nao me adianta pedir por uma pessoa que faz mal, e nao pede perdão a quem faz mal, pois não me adianta pedir por alguem para que lhe corra bem alguma coisa, se em contrapartida essa pessoa é faltosa e tem comportamentos incorrectos. Lá em cima conseguem ver aquilo que nós não vemos aqui, e é claro que, podemos enganar meio mundo cá em baixo, podemos tentar enganar muito tempo, mas é impossivel enganar o tempo todo, e muito menos os que estão acima de nós. Assim sendo, só espero que as pessoas pensem nas suas actitudes de egóismo, de egoncentrismo, e de vaidade, e que reflitam o seu comportamento, e depois, que não digam que estão a sofrer, porque nao fizeram mal a ninguém, etc e tal, e que sofrem sem explicação. Não devemos lembrar-nos de Santa Barbara quando troveja, mas sim devemos lembrar-nos sempre dos que nos dão tudo para que nós possamos andar em frente, e caminhar na senda da perfeição!
Podemos la chegar pelo amor, infelizmente eu como era renitente, céptico, teimoso, tive de la chegar pela dor, e o engraçado é que por mais que queiramos evitar a dor a alguém, a vaidade e o materialismo, o orgulho e a mentira, fazem com que nao possamos escapar da dor para crescer. Eu já paguei a minha factura, como diz a canção, ando devagar porque ja tive pressa..... e ja chorei demais.


beijos a quem é de beijos, abraços a quem é de abraços, e, a responsabilidade dos actos é de quem os tomam.

Miro

19 junho, 2006

Ter fé

Nós somos mesmo homens de pouca fé. Quando estava com os meus problemas finananceiros mais graves, dizia eu que um dia tudo se resolveria, demorou muitos anos, desgastou-me, fez de mim uma pessoa diferente, a olhar o mundo de maneira diferente, e, como sentia que tinha de lutar, lutei, baixei os braçoes a espera da luz, e agora que a recebi, nao desperdiço um só raio, no sentido de poder avançar e conseguir o que pretendo.
No que respeita aos problemas que tenho com as pessoas, e que também foram maquinados, esses, também seria fácil desistir, deixar de querer, deixar de tentar e de lutar, mas aí nao se provava amor, aí nao se provava a capacidade de enfrentar os problemas emocionais, assim como tive que provar que aguentava os problemas materiais. Naturalmente que os meus amigos me dirão, eu nao faria isto, eu nao aguentava aquilo, e porque? porque somos orgulhosos, somos vaidosos, e pomos sempre o orgulho e a vaidade acima de tudo, porque queremos que olhem para nós como seres fortes, vencedores, mas fortes e vencedores, pela atitude de rudeza, de afirmação machista, e não pela afirmação da sensibilidade e do amor, e por isso, aos olhos da sociedade, aquele que nao toma medidas de força, nao é forte, nao é corajoso, mas é um banana.
Posso ser tudo o que quiserem, como dizia no seu poema o José Carlos Ary dos Santos, posso ser o que quiserem, mas maldoso não, podem dizer o que quiserem, mas mal formado não, e só por isso digo que graças a Deus a minha fé tem aumentado, e sinto que dei mais um passo na minha caminhada, porque me queriam provar que eu poderia fazer mais do que faço, e isso, ja aprendi, que afinal sou capaz de fazer o que pensav ainda nao ter capacidade, e só por isso, mais uma vez, valeu o sofrimento, porque Deus escreve ditreito por linhas tortas.
Como disse, eu sou uma pessoa de fé, embora vacile muitas vezes, mas, depressa volto aos carris, e isso dá-e a esperança de tudo conseguir, e a fé aumentada, de que quem está no caminho, nada deve temer, pois tudo entrara nos eixos e a felicidade estará nas nossas mãos, ainda que pareça que tudo está a ruir, como aconteceu com os meus bens materiais. A nossa falta de fé, é que nos faz perder, porque como Jesus disse, tivesses tu fé do tamanho de um grão de mostarda, e dirias aquela montanha afasta-te e ela se afastaria, assim eu consolidando a minha fé, posso dizer ao mal que se afaste, pois sei que tenho os meus guias a dar-me essa força, e dar-me esse talento.

Beijos a quem é de beijos, e abraços a quem é de abraços

Miro

18 junho, 2006

Regresso

Será que voltas-te meu amor
será que te libertas-te da dor
que para mim me sufoca e rói
e que para ti faz sofrer e dói

será que limpas-te a tua alma
do negro véu que te colocaram
que te foi arrastando pra lama
sem que soubesses quem eram

foi tanta, mas tanta prece que fiz
para que Deus te ajudasse muito
a libertar dessa negra sorte infeliz
que me deixou sem força e em pranto

que a luz te ilumine o coração
que te faça ver a maldade
e nao permitas nunca não
que te enganem pela vaidade

Do amor ninguem te fala
ninguem pergunta se tem
so querem ver-te em gala
sem sentimento de alguem

que todos os algozes se afastem
que te rodeiam e te mal fazem
que a esperança seja renovada
e que voltes a ser a minha amada

e o que tudo que é junto por Deus
ninguem ha-de poder separar
por mais que peçam aos céus
o amor ha-de sempre triunfar!

Miro

as 2;11 da madrugada de domingo dia 18 de Junho de 2006

Beijos a quem e de beijos, e abraços a quem é de abraços

17 junho, 2006

A historia repete-se

Estive a ler os textos do meu blog que datam de um ano atras. É engraçado como tanta coisa se repete, que ate parece que é uma fotocopia, e que me faz pensar que as pessoas ganham doenças exactamente pela maldade que teem. Alguns deles são poemas que revelam um estado de espirito momentaneo, mas que pelos vistos se repete, até que se acabem as provas, as minhas e as de quem comigo esta.
Naturalmente que a nossa função é de ajudar a vencer as provas e darmos a nossa mão a quem dela precisa, mas ninguém pode fazer o caminho de ninguém, se se nos poeem provas a ver como nos comportamos, se nao as vencermos nao evoluiremos, e teremos de as repetir. Se nao somos capazes de vencer os vicios, se nao somos capazes de sermos sérios, de sermos correctos, de não trairmos, nao mentirmos, enfim, toda uma panóplia de provas que nos são dadas, e que muitas vezes, tentamos passar ao lado, quando seria fácil ultrapassa-las, e vence-las, no entanto, a maioria das vezes optamos pela sedução, pela vaidade, pelo orgulho, e aí a queda é evidente.
Tenho andado irrequieto, e com vontade de resolver as maldades da forma mais simples que é enfrentando-as, mas de facto se assim fizer, nao deixo que as pessoas as passem, porque ao interferir na sua conduta, nao deixo que se revele o amor, ou a dor, o amor ainda que sofrido, ou a dor pelo que teremos de suportar pelas escolhas erradas. Hoje pedi a Deus que me desse calma, paciencia, e mais uma vez ele atendeu-me, porque o meu coração estava frio e apetecia-me chegar a beira de uma certa pessoa, ou encontra-la pelo caminho, e deitar-lhe as maos aos colarinhos, mas graças a Deus acalmei, e consegui dominar esses inpulsos, por forma a que todos se revelem, e ao revelarem-se, demonstram o caracter e a qualidade de pessoas que são, e aí, mais uma depuração se faz na minha vida, que tenho efectivamente de agradecer a Deus, pois estas provas servem exactamente para tirar da minha frente gente que nao presta, e, entregar-me de mão o que de facto merecer a minha companhia.
Foi dificil aceitar mais uma vez a situação de ver alguem manipulado e perdido, a pensar que quer uma coisa por estar manipulado, e depois quando acorda, chora, pois da-se conta da manipulação, e se forem como eu, ficarão horrorizados por se terem metido com pessoas que nao escolheram mas que alguem escolheu por eles.
É nestas circunstancias que devemos deixar clarear as situações, acalmar e deixar que a depuração tenha lugar, deixando que as pessoas deixem vir ao de cimo todo o seu mau ou bom caracter, para em seguida sabermos se serão certas essas pessoas para nós ou não.
Peço desculpa por ter estado perturbado, peço a Deus que me continue a aconselhar e a guiar, e que me de força para cada vez mais entender os seus designios, e que nunca me desampare na intuição, para que eu posso ajudar outros, como aconteceu hoje num supermercado, de sentir uma pessoa que estava muito mal, e nao aguentei sem ter de me dirigir a ela e dizer-lhe que pedisse ajuda espiritual, pois ela estava muito mal, ao que a senhora me respondeu, que estava a pensar ir para as caraibas, e eu disse que nao, que fosse antes a um centro espirita para de la poder receber ajuda.
É assim que eu quero continuar, a ajudar quem precisa, a dar aos outros o que sei e posso, a ver familias que estavam desfeitas a ficarem unidas, e se nao se souberem manter, então a escolha que foi feita e porque nao é boa!

Beijos a quem é de beijos.

A Maldade com cariz de amor

Uma das coisas que mais me arrepia, em termos de actitudes de pais para filhos, é a necessidade que as maes, na grande maioria dos casos, são capazes de fazer aos filhos, para que aconteça o que elas querem em detrimento da vontade deles.
Ontem numa reunião que tive, a ler um texto, entre muitos paragrafos do evengelho estava lá este que demonstra muito bem o quanto é nociva a actitude de algumas pessoas, ainda que lhes queiramos dar um cunho de amor.
..."A culpabilidade é sempre relativa ao grau de compreensão, mas o mal é sempre o mal e todos os nossos sofismas não transformarão em boa uma acção ruim."...
Quer isto dizer que, não adianta eu querer dar um cunho de amor a uma actitude, dizendo que estava a tentar proteger a pessoa de quem eu gosto, ao fazer uma macumba para desviar, ou amarrar alguém a favor de alguem ou contra alguem.
Não adianta eu dizer que queria o melhor, porque apenas queria impor a minha vontade, queria que o meu orgulho e a minha vaidade se mantivesse, que em termos sociais, e pudesse dizer ao mundo que controlei e nao deixei que acontecesse o amor, porque era diferente, porque isso é FAZER MAL, e não adianta tentar meter floreados pelo meio, pois o mal é sempre o mal.
Ora, quem faz o mal, tera a sua factura para pagar, e naturalmente, começará a pesar-lhe a maldade sobre os ombros, e se calhar, só mesmo quando tiver dôr demais, ou quando nao tiver alternativa, virá a anular o mal feito.
Se estais a perguntar porque será que uma mãe faz isto a uma filha ou a um filho, a resposta será simples, porque efectivamente as pessoas ainda nao estão elevadas moralmente, e se são infelizes e sobrevivem aos casamentos sem felicidade, acham que o devem impor aos seus, desde que a sociedade esteja em acordo.
Será que haverá pior maldade do que aquela em que, como aconteceu comigo, poderemos casar com alguem contra a nossa vontade, embora nao o saibamos, para depois sermos infelizes toda uma vida? Será que uma mãe estará a dar amor quando faz uma macumba para afastar o que ama a sua filha, para a empurrar para o colo de alguém que nao ama, mas que a faz pensar que sim, devido aos efeitos externos? Será que isso é amor?
Como disse naquela pequena frase, não adianta andar com sofismas, pois o mal é sempre o mal, ainda que o queiramos vestir de outra coisa.

Arrepiado com o mundo que cada vez mais não é o meu, deixo no ar estas situações para que meditem e pensem em nunca deixar que vos façam e, que nunca façais aos vossos filhos.

Miro

16 junho, 2006

O branco e o negro

Branco Negro

Alguém que te ama Alguém que te engana e te usa
Alguem que pensa em ti Alguem que pensa nele
Alguem que sofre por ti Alguem que te bajula e sorri
Alguém que se dói com as tuas dores Alguém que te diz, isso não é nada
Alguém que reza por ti Alguém que reza por ele
Alguém que cede por ti Alguém que te convence por ele
Alguém que te valoriza Alguém que se valoriza
Alguém que pede por ti Alguém que pede por ele
Alguém que chora por ti Alguém que te sorri e te suga


Eram 5 e um quarto da manha, e so sentia que tinha de escrever algo que iria fazer bem a alguém, e que era uma mensagem de alerta. A todos os que me leem, e principalmente aos que precisam, estou a lembrar-me de um verdinho, espero que isto sirva de alento e de esclarecimento, para que se percebam aqueles que nos rodeiam.

Beijos a quem é de beijos, e abraços a quem é de abraços

Miro

14 junho, 2006

Preconceitos e infelicidade

Esta sociedade já é menos agressiva com os preconceitos, no entanto, ainda muito há a limar. Estava eu sentado num parque á espera de quem nunca aparece, e vi uma moça branca, mais branca que eu, agarrada a um moço negro, feio diga-se de passagem, mas, aos abraços e beijos com ele, que até me eterneceu. Não fora a sociedade ter tendencia a ultrapassar os preconceitos, e se isto acontecesse a 30 anos atrás, teríamos os transeuntes, a mandar bocas tipo... sai daqui ó preto e vai para a tua terra... mete-te com o carvão deixa os lençois em paz.. enfim, uma panóplia de merdas, como assisti uma vez aos meus 17 anos no comboio, um negro que por acaso era muito educado e até charmoso, a ser maltratado por um ser acabadinho de chegar de angola ou moçambique, e que eu, me intrometi e nao deixei que o sacana do branco, estivesse a injuriar o de cor. Se fosse só por aqui que os preconceitos funcionassem, ja era um pequeno avança, mas a verdade é que ainda há gente de mentes mesquinhas, e vou citar um falecido comandante da policia que vivia no alentejo, quando por la andava eu noutras andanças, e porque tinha uma namorada mais nova que eu 20 anos, ele disse:... hoje é o primeiro burro que comprimento... querendo fazer alusão que como namorava uma moça mais nova, estava a ser estupido porque estaria a ser usado, e que se queriam aproveitar era de mim porque eu tinha posição social ainda, e só mais tarde fiquei mesmo muito mal financeiramente, e não eram capazes de ver, que, o amor nao escolhe idades, nem escolhe raças, como diz a canção do Martinho da Vila. Claro é que com estas situações, se num lado me diziam que ela se estava a aproveitar de mim, noutros, diziam que era por eu ter dinheiro que ela andava comigo, se eu nao tivesse ela nao andava, enfim, noutros ainda, diriam que, eu me estava a aproveitar dela porque era ela coitada ainda nova e eu ja experiente, estava a manobra-la. Bem, deixando estas peripécias de lado, acabamos por verificar que afinal, as pessoas teem e querem sempre meter o bedelho onde nao devem, e nao olham para a merda das suas vidinhas, e como normalmente são pessoas frustradas, se veem alguém feliz, a que maldizer, criticar, em vez de construir, e dizerem, olha ali vai um casal que esta feliz, apesar das diferenças, mas nao o dizem porque são elas infelizes, e, a inveja nao as deixa dizer. Seria bonito que toda a gente ficasse como eu fiquei, de lagrima no olho ao ver o casal da moça branca com o de cor, enternecidos e cheios de amor, que ate me apeteceu chegar a beira deles e perguntar-lhes se precisavam de uma mobilia para se casarem que eu oferecia.
É claro que a maioria das pessoas não olha para a felicidade, e olha para a posição social, para a cagança. para o conveniente socilamente, e depois são infelizes, mas estão de bem com a sociedade, gastam dinheiro nos psicologos por causa da merda dos casamentos falhados, mas para o mundo sao casais exemplares, tentam-se matar, como conheço alguem que assim tem os pais, mas, socialmente nao se separaram, ainda estão casados, e porque? porque efectivamente nao foi o amor que os uniu, mas sim o socialmente bem.
A felicidade esta sempre na nossa mão e depende apenas das nossas escolhas e decisões, as vezes, deixamos por preconceito, por receio da sociedade, por imensos motivos perder essa possibilidade, e depois, queixamo-nos de que afinal era fácil, mas, nao quisemos escolher o amor, e preferimos escolher a dor.

Por mim, sem preconceitos avanço, e onde estiver o amor, aí estou eu.

Ja agora vale e pena pensar nisto

Miro

13 junho, 2006

BPI de Valbom

Um dia destes, fui tentar abrir uma conta no balcão do BPI de valbom, porque queria ajudar uma pessoa que é promotora externa desse mesmo balcão, e, depois de algumas tentativas falhadas, sugeri uma opinião de tentar com um amigo, ter uma conta conjunta e manobrar a conta em nome desse meu amigo, e criaram-se mais uma tonelada de dificuldades. Depois, no meio da conversa, la se falou em depositar dinheiro, e a conversa foi até ao ponto de o Gerente do Balcão, me dizer que se eu depositasse la 200.000 mil euros, ele me emprestaria a mesma importancia com um spread muito baixo, e eu pensei ca para mim, este andou na escola, para aprender a vigarizar as pessoas, mas, continuei, e depois de assitir aos empregados do balcão a tratar as pessoas a cuspir, e a falar tão alto que toda a gente sabia o que se la passava, remeti_me ao silencio. Depois de ir ao "sistema" verificou que eu ainda tinha uma divida (porque eu tinha dito que estava a sair de duas falencias) ao BPI rent, e que seria melhor ir ou ao campo alegre, ou, a rua da saudade tratar do assunto, uma vez que eu tinha mostrado vontade de resolver o problema. Depois de todas estas peripécias, nao abri a conta porque era melhor o meu amigo cancelar a conta que tinha no balcão do algarve (como se nao pudesse ter duas tres ou mais contas), e então depois abrir a conta nesse balcão, o que depois de o meu amigo ter cancelado a meu pedido a referida conta, esperamos (sentados felizmente) um mes, e, nao se podia abrir a conta que o sitema não permitia. Bem, la acabei eu por ir procurar o BPI rent para pagar as minha dívidas, e depois de apanhar uma chuvita, dei de caras com um balcão no campo alegre, em que me recebeu um senhor de meia idade, muito educado, muito humilde, muito esforçado (este nao era pinguim), e, lá me disse que eu nao podia ir ao BPI rente, porque todas as coisas sao tratadas pelos balcões e eles nao atendem o publico. Perguntei eu então como resolveria o problema, ao que me foi dito com a mesma simpatia e humildade, tem de recorrer a um balcão, e como o sr nao é cliente do banco, pode tratar em qualquer um. Posto isto e pela simpatia demosntrada, e pela competencia, la disse eu ao homem que me tratsse por favor então do assunto, que amanha la iria eu pagar os cinco mil euros que lhes devo ( a divida a 3 ou 4 anos era de 500, mas enfim, ninguem brinca com os senhores da guita, que nos xulam ate onde podem), e, eles dão o recibo com a referencia do processo.
Porque será que se junta tanta incompetencia num só balcão? Porque será que os empregados do balcão de valbom sao mal formados, e, pra la mandam um gerente incompetente a ver se aguenta um barco ja naufragado?
Enfim, eu que nao percebo nada disto, vou abrir um conta, nao pelo banco mas pelas pessoas que me atenderam, no campo alegre, porque as pessoas humildes sao sempre as que eu respeito, quantos aos outros, ficam com o brilho pepsodente, ficam com o sorriso de fode de mansinho, mas a mim, nao me veem.

Ja agora vale a pena pensar nisto.

Beijos a quem é de beijos!

12 junho, 2006

O bem tem de triunfar

Sabemos que estamos num planeta inferior, e só por isso, há mais gente má que gente boa, ainda que dissimulada, ainda como diz o evangelho, arvores de muito boa ramagem mas de maus frutos ou nenhuns até, o que quer dizer que, podem aparecer-nos as pessoas a frente todas cheias de boas fardas, e de bom ar, mas o que de facto conta, e o que de facto as valoriza, aí, olha-se para dentro e nao se ve nada. Claro que essas pessoas podem enganar durante muito tempo, podem faze sofrer algum tempo, mas o bem, o amor, sempre triunfou, e aí.... depois quando vier a factura, essas pessoas irão sofrer o suficiente para perceberem o quanto mal fizeram.
O planeta esta em mudança, esta em convulsão, e um dia destes, daqui a alguns anos, ja nao teremos tanta gente má por cá, e devagarinho isto ha-de lentamente tornar-se um lugar aprazivel onde possamos viver sem estarmos rodeados de gente má, a tentar manipular e a mexer em coisas ocultas, porque nao conseguem por mérito próprio resolver as coisas com caracter e com dignidade.
É natural que alguns milhoes de seres, sejam renegados para outros planetas ainda inferiores a este, porque de facto nao conseguem pelo menos abrir os olhos, e perceber que o mal que fazem, é a sementeira que fazem e que tem de dar a colheita, e quem semeia mal, um dia tera de o colher, porque o que semeares podes escolher, mas a colheita ja nao podes, porque se semeaste o mal, nao poderás receber o bem. Ora, quando a depuração estiver feita, voltaremos a poder ter as chaves nas fechaduras, porque ninguem se apossará do que nao é dele, e viveremos muito mais familiarmente com os vizinhos, do que vivemos agora, e poderemos partilhar as coisas muito mais que partilhamos, e aí talvez possamos ser felizes.

A energia do AMOR triunfa sempre! ainda que deixe mazelas!

Beijos a quem é de beijos, e abraços a quem é de abraços e que Deus tenha pena dos infelizes que fazem mal, pois nao queria estar na pele deles.

Miro

A inveja

A inveja é uma das pragas espirituais que é mais díficil de nos livrarmos dela, uma vez que basta que estejemos bem, que tenhamos alguma paz e tranquilidade, e nao falando no sucesso, porque aí então é que a inveja se afirma mais, basta estarmos em paz e tranquilidade, e ja nao nos livramos dos mesquinhos maldicentes e maldiciosos, que como levam vidinhas de merda com os namorados por-lhes os cornos, como teem como referencia os pais a quase matarem-se, depois, quando veem alguém feliz, nao conseguem viver com a felicidade dos outros, e tudo fazem para destruir o bom ambiente daqueles que estão em paz, dizendo que são pessoas preocupadas connosco etc e tal. Este tipo de gente é a pior que há, exactamente porque nao trabalha as claras, esconde-se numa falsa amizade, e depois, actuam pela sombra, desgastando lentamente ate atingirem o objectivo final que é o de verem os outros na merda como eles tambem estão.
Não é que ja nao tenha passado anteriormente por isso, porque quando conhecei a mulher por quem conheci o amor, a melhor (supostamente) amiga dela, queria destruí-la, e disse mesmo que queria que ela fosse mais desgraçada que ela, porque assim, sempre que saiam, poderia ela ser mais bem vista que a propria amiga, mais tarde, com outra pessoa que eu acarinhei, minou-me todos os amigos que eu tinha, fazendo com que eu estivesse de contra eles, mas como a amizade falou mai alto, ficou ele isolado, e agora, porque nao há duas sem tres, deu o meu carinho e o meu amor a alguém que me sorria, mas que me espetava facas nas costas, e porque? porque efectivamente nao sabe o que é amar, nao sabe o que é felicidade, não sabe sequer o que é a amizade quanto mais o amor.
É dessas pessoas que me quero livrar, e é dessas pessoas que os "meus amiguinhos" me vão depurando, e naturalmente nao me deram ainda mais oporunidades de estar feliz completamente, porque sabiam que as viboras andão aí, e poderia numa fase posterior ser ainda pior e detruir então a felicidade completa. Como costumo dizer, nada acontece por acaso, e aquilo que nao nos mata, torna-nos mais fortes, e só tenho a agradecer aos meus "amigos", por mais uma vez me colocarem á frente dos olhos, a merda que anda ao meu lado, porque de facto, quem caminha com Jesus e com amor, não há mal que lhe toque, no entanto, fica a esperança que um dia essa gente aprenda alguma coisa, e se eleve um pouco mais, e quem sabe, nessa altura, eu possa receber essa gente quando o veneno desaparecer todo, a custa naturalmente do sofrimento que terão de passar, e é por isto que antigamente eu errava, porque qualquer pessoa que estivesse mal eu interfria e ajudava, sem saber se era merecido o sofrimento, e agora.... agora sem saber se a pessoa o merece, nao mexo uma palha, porque aprendi que o sofrimento é que molda as pessoas e as faz melhores pessoas.

Já agora vale a pena pensar nisto, e, que Deus me livre de ter mais viboras a minha beira.

Sou quem sabes maria alice!
Miro

11 junho, 2006

A falta de caracter e personalidade

A sociedade é composta por grupos de pessoas, que normalmente se juntam, se vão conhecendo, e, na maioria dos casos, se vão tornando amigos. Ora aí é que está o cerne da questão, é que nós dizemos amigos, mas na verdade, o conceito de amizade que eu tenho, é muito profundo, e por isso exige que as pessoas crescam e sejam coerentes, tenham caracter e pesonalidade.
O problema é mesmo esse, falta de caracter, porque quando estão connosco imanam uma ideia, dizem-nos coisas agradáveis, mas pelas nossas costas, dizem exactamente o contrário, e, isso leva-me a pensar que não é só falta de caracter, mas sim falta de personalidade, porque a falta de caracter revela-se por ter uma opinião e a nossa frente dizerem-nos exactamente o contrário, e a falta de personalidade, é exactamente porque teem receio de transmitir o que pensam aos que supostamente seriam seus amigos.
É muito dificil lidar com pessoas assim, e por mais que lhes digamos que teem um percurso a fazer, e que quanto mais limarem os seus defeitos melhor, parece que só quando troveja é que se lembram de santa bárbara, mas depois, esquecem depressa os ensinamentos, e ficam mesmo absorvidos pela sociedade de consumo, e o que é importante é a figura, o que é importante é o dinheiro e a posição social, em detrimento dos valores morais, e dos sentimentos, e depois, queixam-se que conhecem de perto situações que não entendem porque, quando afinal era simples, se tivesse sido amor e nao interesse, carnal ou monetário, então se calhar a vida teria sido mais benevola, e teria confortado melhor essas pessoas, mas como as opcções foram exactamente a vaidade, o orgulho, tiveram a factura para pagar, com uma doze de infelicidade muito grande para eles, e para os que lhes estão próximos.
Se as pessoas optam exactamente pela falta de valrores, e apenas querem viver para a cagança, e mostrar aos outros que também teem, então o caminho está a ser feito por eles, mas se, por outro lado, o caminho é feito com o coração, com amor, então o resultado é também visivel, e aí, não há conflito que nao seja ultrapassado, não há dificuldade que nao seja vencida, nao haverá desarmonia numa casa onde foi semeado amor, mas onde foi semeado o orgulho, a vaidade, e o egoísmo, pela certa, quando chegar a altura da casa abanar, é ver qual deles se agarra ao ouro que tem mais proximo, e se debate em guerras para vencer mais até o seu irmao.
É claro que eu sei que este tipo de pessoas vai ter de crescer, e as vezes, dasse-lhe opurtunidades para o fazerem com inteligencia, sem ter de sofrer para aprender, mas a verdade é que sem sofrimento é dificil aprender, pois somos seres demasiado materialistas, e só com provas é que la nos vamos mudando, e moldando.

Ja agora, vale a pena pensar.... porque fazemos isso

Beijos a quem é de beijos, abraços a quem é de abraços!

Miro

10 junho, 2006

Ultrapassar provas!

A vontade de alguns de nós em andar depressa no caminho do melhoramento, para tentar daqui a uns milénios atingir a perfeição, faz com que muitas vezes, as caminhadas sejam muito mais dolorosas do que imaginamos. Se cá vimos para exactamente aperfeiçoar e limar as arestas da nossa imperfeição, então, quando vencemos uma prova, se calhar pedimos mais provas, convencidos de que afinal, isto é peace a cake, e, estamos logo a levar nas bentas de seguida, de tal forma que nao nos passa pela cabeça. É de facto muito violento nós repararmos os defeitos morais que temos, como a vaidade, o orgulho, o egoísmo etc e tal, que quando somos postos a prova, a primeira reacção é desertar, fugir para outro lado, e como sao provas que podemos fugir a elas, poderemos partir noutra direcção, sem termos de meter o orgulho no bolso, e deixar falar mais alto o amor.
É claro que como disse, isto são provas muito dificeis, porque estamos numa sociedade agressiva dos valores morais, e como tal, se uma pessoa tenta ser bondosa nesta sociedade, é considerado um frouxo, é considerado um parvo, e, ninguém pensa que afinal, ele esta a resistir, está a tentar superar mais uma prova que lhe puseram a frente, e, por cada prova superada, mais primor terá nas suas actitudes, e , naturalmente, mais facilidade nas coisas acontecerem segundo o seu desejo. Por exemplo, imaginemos um filho nosso que lhe damos uma tarefa para ver se ele a realiza, e, no fim se ele a conseguiu com dificuldade mas com mérito, lhe atribuímos outra, para ele caminhar em direcção ao conhecimento, por forma a ser capaz de se aguentar no meio desta sociedade de lobos famintos de carne podre, quais abutres que se escondem a espera que a vitima fraqueje, e a seguir se ele conseguiu, lhe damos um prémio. Logo a seguir, com a continuidade das realizações e com a maturidade alcançada, somos capazes de lhe entregar a chave de casa, e depois a do carro, e sucessivamente. Quando sabemos que o comportamento desse nosso filho, é um comportamento moral por excelencia, tendemos a confiar tanto, que lhe entregamos o segredo do cofre onde estão os nossos haveres, e se ele nos pedir algo, porque é responsavel e sábio, naturalmente tentaremos dar-lhe tudo o que pudermos para que ele concretize a sua prova de vida.
Nos planos superiores da vida, a mando de Deus, também assim acontece, e, quando é superada uma prova moral que nos é imposta para que possamos chegar um dia a felicidade suprema e a perfeição, nos é permitido pedir e obter, de tal forma, que até ficamos gagos, no entanto, isso também constitui prova, porque se muito nos é dado mais nos será pedido, mas, aí, por mérito da conquista, ja podemos conseguir o que pretendemos da vida, e poderemos atingir uma felicidade, apropriada ao planeta em que vivemos. Imaginemos só que depois de uma prova ultrapassada, e, com mérito tinhamos conseguido superá-la, e a seguir tinhamos necessidade de ajudar um familiar com uma doença, podem crer que se pedirmos com fé, e soubermos encaminhar a pessoa que está doente, ela se curará. Por outro lado, temos de saber que nao podemos interferir na evolução dos outros, porque muitas vezes a uns anos atras, quando chegavam a minha beira com problemas, eu pegava neles nos braços a resolvia-lhes os problemas, so que nao os estava a ajudar, porque se eles tinham problemas, é porque precisavam crescer, e sem sofrimento ninguem cresce, porque mal se apanham bem, abrem as asas e ja nao conhecem ninguém, só que depois, aparece uma torre, e batem com a testa na torre e ficam despedaçados, e a isto chama-se invigilancia, porque as pessoas cresceram, ganharam forças, ultrapassaram os problemas, e ja pensavam que poderiam mandar no mundo, quando deveriam pensar em .... mudar o mundo moralmente com exemplos de dignidade, e não querer mandar nele. As distrações, ou invigilancia, é isso que provoca, as vezes provoca situações tão mais graves que as anteriores, que, mais valia nao se terem livre dos problemas anteriores, pois por cada falta, os juros serão cobrados, porque uma coisa é nao saber, outra coisa e saber e ter conhecimento da lei divina.
Posto isto, o que vos desejo a todos, é que vigiem bem, nao se deixem levar por ilusões de grandesa, nao se leixem levar pela vaidade pelo orgulho e pelo egoismo, mas sejam sempre humildes, que esse é o caminho mais rápido para atingir a felicidade.

beijos a quem é de beijos, abraços a quem é de abraços!

Miro

09 junho, 2006

Vidas da vida

A vida prega partidas a toda a gente, mas, acho que estou um bocado atacado demais, pois são tantas as provas que tenho de ultrapassar, que estou a ficar mesmo cansado.
Sempre que conheço alguém, vou-me dando, vou criando laços de amizade, e as vezes, essa amizade torna-se em amor, sem mesmo estar a falar do amor carnal, mas sim amor fraternal, porque as pessoas enquanto estão fragilizadas e doridas, quando estão a ser usadas, ou quando estão deprimidas, entre outras, e então, vou-me dando, vou-me apegando as pessoas, e de um momenyto para o outro, o que era bestial porque ajudava, cuidava, dava força, dava alegria, etc e tal, quando a pessoas se encontram bem, abrem a asas, e, o que era bestial, passa a besta, para nao ser ainda mais objectivo.
Não é que eu fique mais pobre por as pessoas agirem assim comigo, porque fico é mais rico, mas é pela actitude delas, que é lamentável, triste, e que, como tudo na vida, se nao aprenderam de uma maneira, terão de aprender de outra, ou seja, se pelo amor nao chegaram lá, terão de chegar pela dôr, e depois quando a dôr se tornar mais forte, la pensarão então, em quam um dia apareceu, lhes deu e lhes entregou tudo o que tinha pra dar, mas, jé é tarde!
Sempre esperei o maximo de correcção de todos os que me rodeiam, e a alguns, qiue entretanto ja abriram as asas e refletiram, estão ainda no meu coração, os outros, enfim, são tão importantes, que ja nao sabem onde conseguem meter a importancia que teem. Para esses naturalmente só lhes desejo muitas felicidades, e que consigam obter os seus objectivos e serem felizes, porque como disse á pouco, eu fico mais rico, porque como nada fix para estar mal com as pessoas, Deus compensa, e me trará uma montanha maior que a anterior, o que me levará a dizer, as montanhas anteriores, que só lhes posso agradecer os gestos que tiveram para eu me afastar, porque assim, vai ficando a montanha cada vez maior, e a felicdade será defenitivamente porporcional!

Beijo a quem é de beijos,e abraços a quem é de abraços!

Miro

08 junho, 2006

Nem de propósito

Ontem fui ver umas roupinhas ao centro comercial Dolce Vita, e estava lá uma exposição de automóveis Volvo, que eu me aproximei, olhei, expreitei, e o vendedor sem ter nada que fazer, nao foi capaz de se aproximar de mim, a perguntar se eu precisava de ajuda em alguma coisa ou se precisava de algum esclarecimento, apenas ficou sentado na sua cadeira, com carinha a olhar para mim e por dentro a dizer... naaaaaa, este nao tem dinheiro para comprar o carro.
Porque será que assim é? será porque eu ia vestido de forma desportiva mas sem roupinha de marcas, e isso nota-se logo? Assim é, as pessoas sao cada vez mais materialistas, cada vez selecionam mais as outras pela aparencia externa, e fazem juízos de valor em função do seu aspecto exterior, depois acabam por verificar que se calhar perderam de vender um ou dois carros, exactamente porque nao souberam ser amaveis e delicados, portanto humildes, com aqueles que deles se aproximaram.
Outra das situações que me irritou hoje, foi o facto de o seguro da mota que fiz, ser mais caro porque nao sou casado mas sim divorciado, o que me leva a querer que as seguradoras estão a discriminar as pessoas em função do seu estado civil e não só, o que me leva a querer que um dia destes, so podemos viver em função da vontade externa e nao da nossa propria, mas enfim, como digo no tópico, se não falar contra o que está mal, rebento, e antes que o cheiro seja nauseabundo, prefiro falar.

beijos a quem é de beijos e abraços a quem é de abraços!

Miro

07 junho, 2006

Ser importante

Ontem ouvi uma palestra interessante sobre os selos e os carimbos que a sociedade coloca, e a importancia que as pessoas pensam que teem, só porque, ou teem um canudo, ou teem um titulo qualquer, que alguém lhe atribuiu, ainda que, seja um sacaninha, (tipo comendador porque enriqueceu, mas depois vai-se a ver, e é um grande vigário).
Não foi por ir de encontro ao que eu já pensava, ma sim, porque veio reforçar a minha opinião, sobre alguns cagões ou cagonas da nossa praça, que apesar de terem um canudo, e de terem andado a marrar anos a fio nas universidades, não faz deles mais cultos, ou melhores pessoas, ou até, mais informadas, senão para que, vejamos a quantidade de pessoas que sai das faculdades a pensar que sabem alguma coisa, e depois vão para a prática, e andam anos e anos na pratica a aprender e a limar as arestas, daquilo que pensavam saber defenitivamente, e é aí que eles podem tornar-se muito bons profissionais, se, quando saem das escolas, teem a humildade e não a cagança, de pensar que são os senhores mais importantes do mundo, e os mais sabidolas do universo, e, começam então a aprender, as vezes com quem tem formação básica, mas que passou muitos anos a estudar trabalhando na area e corrigindo os erros devagar.
Uma vez alguém me disse que a média escolar dos empresários era baixa, e que haveria poucos da area de economia a constituir-se empresários ou a montar empresas, e, se assim é, porque será que se criam grandes empresas, e que se fazem empresas de altissima qualidade com produtos reconhecidos mundialmente por pessoas que afinal nao passam de ter um ensino básico, e não são as pessoas que andaram a estudar engenharia, quimica, gestão, etc e tal, a montar as empresas e a criar essas referencias de um país?
Uma grande amiga que eu tinha, ou seja, a minha melhor amiga, dizia que, "toda a gente tem importancia, a partir do momento em que nós lha damos", e, assim é, um burro carregado de livros, que tenha um titulo, e, que tenha uma boa presença e uma boa argumentação, passa nesta sociedade estúpida, por ser um expert, um ser sui generis, alguém que, pode não saber fazer mais nada, pode nao saber mudar uma lampada, mas é considerado um génio perante os olhos da opinião pública, no entanto, um lavrador de baixa cultura académica, que passa o dia a ajudar as pessoas que teem entorses, que é capaz de aliviar as dores mais graves musculares que temos, ninguém lhe chama o seu nome com reverência, no entanto, são os médiocos do hospital que o mandam para lá, pois eles nao sabem resolver os problemas, e é claro, que ele passa a ser um senhor, no momento em que os médicos, sim eles próprios, quando teem problemas desse tipo recorrem a ele, para se aliviarem, e aí, ele é um mágico, ele tem um dom, ele é especial, ele é fora do vulgar, porque? porque um lavrador de cultura académica baixa, não pode saber tanto ou mais que eles de medicina? no entanto, eles esquecem-se, que para ele hoje saber o que sabe, noutras vidas, ele foi médico, um estudioso do corpo humano, e esse registo vem com ele no seu espírito, e, nao precissa de meios materiais ou radiografias para saber onde esta o mal, bastam-lhe a sensibilidade, e o amor que aquele homem pôe ao serviço dos que dele precisam.
Afinal que é que é importante? O que é ser importante? e que importancia afinal temos nós quando acabamos o nosso percurso aqui, e deixamos o nosso corpo? que importancia é que levamos connosco?

Ja agora vale a pena pensar nisto!

Beijos a quem é de beijos, e abraços a quem é de abraços

Miro

05 junho, 2006

Hoje recebi uma mensagem de alguém que veio ler o meu blog, que dizia: ola ... li e chorei...
O que diz a seguir não é importante para o que eu quero referir, porque de facto o importante está so nestas palavras... li e chorei... o que demonstra que as pessoas que as vezes julgamos até mais duras de sentimentos, afinal não são assim tão duras.
Eu sei que a maioria das pessoas que leem o que eu aqui escrevo, sentem como eu sinto todas as pequenas coisas da vida, lamentávelmente nao deixam comentários aqui, porque parece que teem vergonha, ou então, nao querem msotrar o que sentem, o que isso no meu ponto de vista é mau.
Mostrar sentimentos, contráriamente ao que as pessoas vulgarmente acham, não nos torna mais frágeis, nem mais vulneráveis, apenas nos torna parte de um grupo que deveria aumentar, é é por causa deste tipo de receios, de medos, que efectivamente não somos capazes de ajudar os outros a que se melhorem, porque se conseguissemos que mais uma pessoa a nossa volta disse-se o que lhe vai no coração e nao na cabeça, o que lhe vai na alma, então teríamos por força melhores pessoas, e uma sociedade muito mais bonita.
Para ti senhora magistrada, um grande beijo, fiquei contente de saber de ti, e, fico a espera que um dia venhas tomar um café!
Mil beijos... e já agora,
Façam o favor de tentarem ser felizes, porque eu nao procuro outra coisa

Miro

04 junho, 2006

Vigiar e orar

Quantas vezes aqui escrevi que se nao soubermos rezar e vigiar o que nos cerca, estamos sujeitos a sermos comidos pelos que nos cercam, que se intrometem na nossa cabeça, e no nosso coração, e nos fazem sentir coisas que nao deviamos sentir. Quantas vezes disse aqui, para que a almas menos atentas percebam que.... quem te sorri te engana e quem te ama sofre por ti... mas que de facto, as pessoas tão iludidas com o seu ego, e com o seu statos, se deixam envolver pelos embrulhos, e ficam deslumbrados com os embrulhos, até que os conteúdos se mostrem e provem que de facto valem os embrulhos que teem?
De facto, escrevi bastante sobre isto, e sobre muitas outras coisas, para que as pessoas saibam bem o que pretendem da vida, e nao se deixem enrolar, preterindo os sentimentos em prol da vaidade, e do orgulho, que esse é o caminho mais rápido para o sofrimento.
É claro que quando gostamos de alguém, seja amigo, amiga familiar ou não, nao queremos ver essas pessoas a encaminhar-se por caminhos de areias movediças, e que as levam direitinhas a onde nao devem, com o respectivo custo da desorientação que tiveram, e tentamos que elas nao tropeçem, que elas nao caiam no erro, quantas vezes, tocamos sinos de alerta, tocamos musica de fundo, pomos as sirenes a tocar, e somos mal compreendidos, mal estimados, mal amados, porque queremos o melhor para os que nos estão próximos, e eles normalmente cegos, não conseguem ver absolutamente nada, e ainda troçam ou escarneiam de nós.
É mesmo assim quando gostamos das pessoas, aguentamos o escarnio, aguentamos a dôr, aguentamos o sofrimento, mas, tudo tem limites, e, por mais que nos custe ver que determinada pessoa se vai estampar, que determinada pessoa se vai perder, nao podemos fazer mais que, por amor, esperar que a dôr seja pequena, e que a pessoa tenha aprendido com os erros, embora, ja nao estejamos mais com ela, nem ao lado dela, porque nao podemos permitir que as pessoas repitam os erros constantemente, e nos façam sofrer por mais que uma vez, e nós aguentemos pacientemente essa dôr, essa angústia de ver que somos impotentes para proteger quem amamos.
Por mim, tenho uma regra que sempre me fez andar pelo caminho certo que é, desde que tenha feito o que estava ao meu alcance para ajudar as pessoas, e tenha a minha consciencia tranquila de ter feito o que podia, a partir daí, saio da vida dessas pessoas, e espero que elas descubram o caminho por elas, com as respectivas cicatrizes, que não acontecem só aos outros, e que não é por hoje tudo nos correr bem, que amanha, não cai o castelo que se criou, e disso, infelizmente sou o melhor exemplo, porque tudo tinha, tudo andava bem, tudo funcionava e ganhava muito dinheiro, era estimado e considerado, e pelos pinguins bancários, com aqueles sorrisos treinados para melhor subirem enquanto formos escadas, mas quando estamos em dificuldades fogem a sete pés e nao nos conhecem, se temos muito dinheiro somos dons ou srs, se nao temos somos bagabundos, é assim que as coisas acontencem, e essas lições que aprendi, custaram-me nao ter comida, não ter dinheiro para nada, custaram-me a minha saude fisica, custaram-me a minha sanidade, mas graças a Deus, depois de ter passado a tempestade que nao desejo ao pior inimigo o que passei, esta tudo a mudar, ainda que as vezes pareça que ha coisas que teimam em nao mudar. Por estes motivos todos é que eu estou sempre a pedir, sempre a rezar para que aos meus amigos nao aconteça o que me aconteceu, porque nao adianta criar castelos, nem adianta ter titulos, que quando vier o vento, tudo cai.

Beijos a quem é de beijos, e abraços a quem é de abraços!

Miro

03 junho, 2006

"Tocando em frente"

É uma musica de uma beleza incrivel, que nos ensina muito, e que nos pode dar muito alento para prosseguir viagem.
"Ando devagar por que ja tive pressa"... ... "e já chorei demais", é uma expressão que me toca imenso, e se calhar tocará a maioria das pessoas neste planeta, pois sendo ainda um planeta inferior, todos os que cá habitam, ainda teem de ranger os dentes, e aguentar sofrimento. Talvez por isso mesmo, essa musica não foi colocada ao acaso, e, apesar de ser uma mensagem para os que aqui veem parar e ler este blog, é também ela uma mensagem para mim e para os meus, que estamos provavelmente a sair de uma das maiores aflições que tive na minha vida, e, por mérito desse sofrimento, hoje olho para o lado e digo, quando tenho vontade de chorar, "tocando em frente", porque é para a frente que é o caminho, e, um dia a roda vira, porque nao há mal que sempre dure, nem bem que nunca acabe, o que faz com que ultrapassemos as nossas provas, e conquistemos mais num degrau na nossa elevação em direcção á pureza.
Hoje, enquanto torrava ao sol na praia, lembrei-me de muitas coisas do passado, e as lagrimas queriam tomar conta de mim, só que, lembrei-me do tocando em frente, e como atras de uma montanha está outra ainda maior, indo em frente e esquecendo o passado e o que faz sofrer, tomamos conta de pensamento positivo, deixamos os pensamentos de baixa energia, e... "tocamos em frente", porque assim atingiremos a nossa meta.
Se para mim me serve de alento, espero que para vós sirva também, e que nunca vos deixe pensar em desistir.
Beijo a quem é de beijos, abraços a quem é de abraços

Miro

02 junho, 2006

Temos tanto que aprender

Nós, seres humanos, somos mesmo ainda tão atrasadinhos moralmente, que de facto nota-se que nao saímos a muitos milénios do reino animal. Ainda não há muito tempo, uma amiga minha me dizia, e com muita razão, que o ser humano reflete bem a característica de quando se está a afogar, beija até os pés de quem o possa salvar, mas mal se apanha em terra firme, nem olha para trás, e nunca mais conhece quem o salvou. Esta metáfora, já me aconteceu a mim, em vários sítios, ou seja em várias prais, e uma delas foi um grupo de estrangeiros, que se estava a descontrolar no mar em vila praia de ancora, e eu por conhecer as correntes levei uma toalha comigo para os puxar, para que não se agarrassem a mim, mas, mal se apanharam fora de agua, quase nao me conheciam, e ainda por cima olhavam as avessas para mim.
A capacidade do ser humano de ser humilde e de saber que só dando amor é que teremos a colheita do mesmo, e não estando á espera que nos deem para depois dar-mos nós, é quase nula, porque é ainda ligado ao reino animal, egoísta, orgulhoso, vaidoso, e, com dificuldade se vai melhorando. Normalmente, sou criticado porque as vezes parece que sou trouxa, que me levam para onde querem, que fazem de mim o que querem, porque infelizmente são coitadinhos, e não conseguem perceber que lhes estou a dar oportunidades sucessivas de eles se melhorarem, e de perceberem que lhes estou a dar amor, no entanto, como diz o ditado, o que é demais é moléstia, e com as moléstias eu nao aguento, e é aqui que as coisas as vezes descambam.
Quando é que será que as pessoas, todas sem excepção, percebem que é pelo amor e nao pela raiva e revolta que se constrói qualquer coisa? que não é exigindo dos outros mas exigindo de nós que as coisas melhoram? que não é culpando os outros dos nossos erros, mas sim admitirmos que erramos para andar-mos em frente? sabermos perdoar os erros dos outros, para que nos possam perdoar os nosos? ou será que já nos consideramos perfeitos? ou será que ja somos tão grandes e tão elevados que ja nao temos de dar a mao a nada?

Já agora vale a pena pensar nisto.

Beijos a quem é de beijos

01 junho, 2006

PARABENS JOANA


Feliz Aniversário!!!

Que esta data se repita por muitos, bons e longos anos repletos de muita felicidade, de muitos e verdadeiros amigos, de muito amor, de muita paz, e saude.
Quem consegue ter isto, tem o sucesso garantido! Portanto, o que te desejo também, é muito sucesso, pois acredito em ti, acredito nas tuas capacidades, acredito na tua força de vontade.

Mil beijos

Miro