29 junho, 2006

Partilhar uma história

Na pior altura da minha vida em termos financeiros, estava eu com a minha namorada no pedagua, e, naturalmente como andam sempre por la os vendedores de flores, naquele dia, eu que estava bem romantico e em melaço com a minha gaija, queria oferecer-lhe uma rosa, e nao tinha nem um euro no bolso para poder comprar uma rosa que dentro de mim estava uma vontade enorme de oferecer, para que a minha gaija sentisse que de facto era importante para mim, mas, infelizmente nao o pude fazer.
Estava triste por dentro e a cantar por fora, como muitas vezes o fiz no pedagua, algumas delas com a alma a sangrar, mas, nao deixava exteriorizar esses sentimentos, e la anima eu uma montanha de gente, que nao tinha culpa dos meus problemas, e portanto ia la para se divertir e relaxar. Com tanto sofrimento interior por nao poder oferecer uma rosa, e ainda quando se aproximava algum deles ter de fazer o papel de quem nao esta de acordo com isso, era coisa que me matava por dentro, mas nunca disse nada a ninguém até hoje, e a minha surpresa, é que quando entra um indiano a vender rosas, com um sorriso lindo de uma pureza incrivel, e chega a minha beira, tira uma rosa, e eu, envergonhado, sem saber como fazer disse-lhe nao quero, e ele continuou com o sorriso e disse, eu ofereço-ta. Nao sabia onde me meter, mas, por dentro estava a dar gritos de alegria, por poder oferecer uma rosa a pessoa que estava comigo, e com quem partilhava um amor transcendente, que como alguem disse, nao era deste mundo, nem era para gente deste mundo compreender. A rosa essa, oferecia-a com todo o amor, o que foi feito dela a seguir, nao é importante, no entanto, levava uma carga emocional demasiado forte, para quem um dia tudo podia ter, e naquele dia, nem um euro tinha para comprar uma rosa, e que deus lhe pos no caminho alguem para ele poder satisfazer o seu desejo, e provar o seu amor.
Como sempre disse, nada é por acaso, e agora, esse vendedor de sorriso lindo, sempre que entra no pedagua, e eu posso comprar rosas, compro, nem que as ofereça a quem nao merece, mas pelo simples facto de que um dia ele me fez sentir o homem mais sortudo do mundo, e mais protegido por Deus.
Se ter fé é acreditar nas coisas boas da vida, se ter fé, é acreditar que todo o sofrimento que passamos é por um motivo bem mais importante para nós, se ter fé é acreditar que um dia seremos muito felizes, bem... eu tenho fé, e acredito que um dia, Deus compensa toda a nossa actitude de bondade para com os outros, e o amor que damos mesmo a quem nao o merece.
Sei que sou chato, mas, quando amo, nao brinco em serviço, e tudo faço para que a pessoa que amo, esteja bem e tenha o melhor.

beijos quem é de beijos, e abraços a quem é de abraços

Serei sempre MI(ro), mesmo depois de sair deste planeta que ainda tem tanto para evoluir, e como a vida nao termina, quero apenas dar continuidade ao amor que semear cá, mesmo que sejam poucos anos, mas isso comparado com a eternidade...... enfim, são só uns segundos os 96 anos que ca vou passar.

Miro

3 comentários:

Anónimo disse...

Um grande beijo de saudade, para ti.

acbelix disse...

so gostava de saber de onde ele veio... mas... fica guardado no meu coração

Florbela disse...

Quem dera tivéssemos, todos nós, uma história como esta para partilhar. Deveríamos todos conseguir partilhar, com alguns ou com muitos, acontecimentos que nos foram marcantes e nos trouxeram algum ensinamento e nos fizeram crescer, mas como já te disse, nem todos temos tua capacidade de escrever e, honestamente, não creio que seja apenas uma questão de praticar e praticar. De qualquer forma devo registrar aqui que acho bela tua capacidade de transmitir aos outros o que achas certo.