28 junho, 2006

A dignidade

Não se prova dignidade, sem que para isso sejamos postos em confronto com ela. Como pode alguém dizer que é sério, correcto, digno, se nunca foi posto a prova? como pode alguém dizer que não é ladrão enquanto tem os bolsos cheios de dinheiro?
Naturalmente, para se provar que se é sério, é exactamente quando, como aconteceu comigo, não tinha de comer, não tinha dinheiro para nada, e nao roubei, nem burlei ninguem, apenas pedi. Não adianta dizer que somos fiéis quando tudo corre as mil maravilhas, mas, quando aparece alguem que mexe connosco, ja somos capazes de esquecer a dignidade, de esquecer a fidelidade, e passarmoºnos a comportar como meros abjectos que calcam tudo e todos em nome nao se sabe de que, mas quedeverá ser pela satisfação do ego, ou então pela vaidade de achar que podemos atropelar quem quisermos para satisfazer os nossos caprichos ou vaidades.
As provas estão sempre aí, e se as soubermos aguentar, muito bem, se nao as sabemos aguentar, então nao merecemos o lugar que nos estaria destinado, e deveremos aguentar-nos no sitio onde nos deixaram sair temporáriamente a ver se ja conseguíamos ser de facto correctos sérios e dignos das pessoas que connosco estavam.
Naturalmente que me refiro a quem esta no sua verdadeira capacidade, sem manipulação, ou seja, com o seu livre arbitrio em perfeitas condições de uso.
Se quisermos perceber onde nos levam as tentações, talvez nao seja dificil de analizar, que as vezes, somos empurrados para o erro, para a depravação ainda que seja pelo orgulho, ou pelo ego, mas nao deixa de ser depravação, pois não nos interessamos por uma pessoa pelo facto de poder vir a ser um companheiro com quem nos afinizamos, mas olhamos e pensamos nele como objecto de consumo social, pois acho que as vezes nem pelo aspecto sexual o é.
O que leva as pessoas a trairem-se umas as outras, e a nao terem respeito pelos que estão consigo? frustrações? egoísmo? vaidade? promiscuidade? que diferença fazem de alguem que se vende por dinheiro numa rua, ou de alguem que se vende por vaidade ou pelo ego? não será a mesma forma de se vender ainda que nao seja comercializável? afinal onde é que nós nos melhoramos moralmente? afinal o que esperamos da nossa vida, se andamos ca para limar as arestas, e caimos constantemente no erro? Esperamos assim conseguir a felicidade, quando apenas nos satisfazemos com a vaidade e o ego? quando apenas queremos mostrar que somos capazes de engatar ou de fazer interessar alguém vistoso (embrulho) mas que nao tem conteúdo, porque achamos que assim a sociedade nos olhará melhor? Será isto evoluir? será que andamos em frente? será que gostaríamos que nos fizessem o mesmo?
Bem, se agimos de livre arbitrio, teremos uma grande responsabilidade, se agimos coagidos sem sabermos, teremos uma responsabilidade menor, mas teremos sempre responsabilidade, pois foi-nos colocado a frente a possibilidade de recusarmos ser banais e curruptos, e nao soubemos lutar contra isso.

Ja agora vale a pena pensar nisto, e talvez assim entendam que quando estamos coagidosm fazemos mais merda do que imaginamos, e, perdemos o controlo das nossas actitudes, algumas das quais, deveríamos lutar contra elas.

beijos a quem é de beijos, e abraços a quem é de abraços, pois como disse, enquanto pensar que há manipulação devo tentar libertar, se não ha manipulação, devo fugir, pois pessoas perversas nao fazem parte dos meus gostos nem da minha apreciação.

Miro

1 comentário:

Anónimo disse...

I find some information here.