20 setembro, 2018

Poder eu podia

Poder eu podia 

Podia cá estar, podia dizer
onde é que a vida nos vai meter
podia calar, podia rezar
e podia não ter mais que fazer


podia dançar, podia comer
podia amar e podia prazer
podia pular, podia beber
muita bebida para esquecer


poder eu podia, mas isso não queria
que a vida sem isso, tem imensa magia
não poder saber, nem sequer imaginar
o que ela nos tem para oferecer e p'ra dar


saltito aqui, rolando dali
rebolo sem ter rolo e sem ir a Bali
com passo de mestre, e de dança que ri
arranco o sorriso que queria de ti


de passo gingão e olhar bonitão
eu pisco e re pisco o olho pimpão
de braço a cintura, olhar de brandura
afago o teu corpo cheio de candura


poder eu podia, mas isso não queria
que a vida sem isso, tem imensa magia
não poder saber, nem sequer imaginar
o que ela nos tem para oferecer e p'ra dar


Miro Couto
20-09-2018

15 agosto, 2018

Esgotado

Esgotado

Primeiro soltas um suspiro e ninguém o ouve
depois, afagas os cabelos com as duas mãos e ninguem percebe
vais ruminando a amargura e o cansaço que alguém roube
e sempre pronto para te doares e toda a gente recebe


gastas a energia em simpatia, força e firmeza pétrea
alentas tudo o que se cruza e consegues ve-los
doas o teu coração e como numa chama éterea
afagas as tuas mãos numas bolas de pelos


resistes, hoje, amanhã, depois e muito tempo
ninguém vé, porque o suspiro é teu lamento
e isso não merece atenção, carinho ou cuidado
porque quem suspira, ainda não está desesperado


Resistes mais e mais dias sem esmorecer, sem cair
resistes até que alguém perceba e possa entender
o teu cansaço, a tua amargura, o teu sofrer
e só percebem, quando esgotado decides fugir


aí, aí sim, és um covarde, alguém que é queixoso
és um traste, es perdulário e pecaminoso
és fraco, convencido, canalha, vilão
és tudo o que eles quiserem, ou Não.


e quando decides optar por te manter em pé e dizes basta
todas as estruturas onde supostamente te apoias vão ruir
mas entre ficar doente, irritado, respondão à tua casta
foge, porque a única saída para sobreviveres é fugir
sem te afastares e sem deixares de dar o apoio que te resta
mas salvando a tua sanidade mental para o porvir


Antes doido, que louco. 

Beijos a quem é de beijos e abraços a quem for de abraços

Miro Couto
15-08-2018

03 agosto, 2018

Serás tu

Serás Tu

Vou andando por aí a procurar
a raiz da paixão que me refresca
a fragrância mais cheirosa que encontrar
é o cheiro da tua pele que me resta


no caminho que percorro a saltitar
e dos jardins floridos já colhi
mas nenhuma das flores tem o ar
que sempre respirei em ti


deambulo pensativo e errante
emerso num clamor de nostalgia
espreito essa frincha atentamente
mas nunca vestígios de ti via


quando à noite em sonhos me visitavas
com ofertas de amor em poesia
rasgava os sonhos que em mim sonhavas
e ficava a espera de viver esse dia


hoje já não sei em que acredito
se nos sonhos que outrora eu sonhei
se apenas alimentei um enorme mito
e só fui eu que te amei


e do amor que verti com vontade
a ferro quente marcado na minha alma
no coração guardado pela metade
pois é metade que me acalma


e nesta ou noutra vida quem sabe
voltaremos a partilhar esse aroma
ou quem sabe ainda saio do coma
e em breve outra maior janela se abre


Miro Couto
03-08-2018

21 julho, 2018

E foi amor

E foi amor

Foi encontro sem prever
que em mim fez nascer
Um amor forte e profundo
efémero momento lindo
que em meses se deu findo
mas do mais belo do mundo


Chegaste sem dizer nada
e de cabeça encostada
no meu ombro e na canção
fizeste o seu ritmo feliz
o compasso de firme raiz
que rasgou meu coração

Longe vão esses tempos
qual oração que fazias
que por mim também pedias
no esforço que passava
quando por nós eu lutava
e só eu sei que sofrias

hoje ainda reconheço
que quando os donos do berço
nos impõe as aparências
fica o amor amarrado
o sentimento destroçado
servil ás cruéis exigências.

O amor não tem barreiras
não tem idade ou fronteiras
não tem credo é colorido
tem o coração doado
tem a alma do seu lado
mesmo quando é partido.

Miro Couto
21-07-2018

08 julho, 2018

Quantas vezes vida

Quantas vezes vida

Quantas vezes apeteceu
quantas vezes que doeu
quantas vezes se ergueu
quantas vezes se perdeu

Quantas vezes se chorou
tantas quantas se amargou
quantas vezes se amou
quantas vezes se largou

quantas vezes se caiu
quantas vezes se fugiu
quantas vezes se pediu
quantas vezes te mentiu

quantas vezes são precisas
para atingir a paz e felicidade
quantas lições de vida necessitas
de levar para a eternidade?

quantas dores de parir
de te fazer renascer
te levaram a ruir
te levaram a entender

quantas escolas fizemos
ao longo das nossas vidas
somos sempre o que sabemos
nas metas por nós cumpridas.

Miro Couto
08/07/2018

06 julho, 2018

O errado devo ser eu

O errado devo ser eu.

O errado devo ser eu
torturam-se em arena animais
e a aprovação que se deu
faz-me sentir que estou a mais


A miséria instala-se com a indignidade
a dor nas famílias cheias de precariedade
o inverno que passaram frio que a EDP nos deu
vejo todos calados, e quem berra sou eu


Vejo a corrupção activa que nos destrói
vejo os hospitais num caos que nos dói
vejo banqueiros a roubarem os bancos
vejo assaltos a armas como em tancos


da justiça não se pode reclamar, dá prisão
que os juízes são quem manda na nação
e não nos permitem defender a nossa razão
prendem as pessoas por delito de opinião


dos governos sucessivos que espoliam o orçamento
vejo poucos a protestar contra, em descontentamento
e a maioria cala, consente sem reclamar, está no céu
e de certezinha absoluta que o errado só posso ser eu


e dizem as vozes supostamente contentes
que desligam de quem sempre reclama
que somos uns coitados permanentes
e quem protesta, quem berra, não ama


eu devo por fim dizer-vos que estou errado
quando defendo com clamor desesperado
uma vida de dignidade para todos nós
com verdade, justiça, saúde e pão
com humanidade que a constituição prometeu
mas já não tenho dúvidas, que quem está errado, sou eu


Miro Couto (a curtir o mau feitio com que nasceu)
06/07/2018

28 junho, 2018

És o meu fado

És o meu fado

Peguei no teu sorriso
meti no bolso e levei
e quando dele preciso
pego nesse teu sorriso
do bolso onde guardei
e quando dele preciso
pego nesse teu sorriso
do bolso onde guardei

há dias em que me embalo
cantando a nossa canção
mas a dor do intervalo
pede para cantar e calo
e rezo-te uma oração
mas a dor do intervalo
pede para cantar e calo
e rezo-te uma oração

Se te vejo a caminhar
nesse teu passo ligeiro
dou por mim a perguntar
como não se pode amar
o teu sorriso primeiro
dou por mim a perguntar
como não se pode amar
o teu sorriso primeiro

mal chega a noite suspiro
por te abraçar por inteiro
dos beijos que em ti respiro
e dos sorrisos que te tiro
são laços de corpo inteiro
dos beijos que em ti respiro
e dos sorrisos que te tiro
são laços de corpo inteiro

quando chega a madrugada
deitado ao teu lado e feliz
fica em mim sempre guardada
a tua alma em mim colada
nessa tua cara feliz
fica em mim sempre guardada
a tua alma em mim colada
nessa tua cara feliz

Se um dia perderes o sorriso
leva a chave do meu peito
e a lembrança que preciso
é saber que concretizo
e o que te fiz, fiz bem feito.
e a lembrança que preciso
é saber que concretizo
e o que te fiz, fiz bem feito.

Um dia talvez grave isto com guitarras e violas.
Miro Couto
28-06-2018

Luz Casal - Piensa En Mi

22 junho, 2018

Se eu morresse hoje

Se eu morresse hoje

Se eu morresse hoje, diria:
que tudo fiz para encontrar este mundo melhor quando voltar
Que ajudei aqueles que podia, mesmo quando a alma estava a rebentar
Nada me pesa na caminhada feita durantes estas décadas que vi passar
Os outros que perderam os seus sonhos, como eu, não deixei de acalentar
Ao desesperado grito dos desamados e combalidos sempre quis eu levantar
Aos que á minha frente iriam ser humilhados, eu não permiti humilhar
Aos viciados perdidos, tentei sempre encaminhar
Aos dementes enraivecidos, confrontei e tentei acalmar
Aos que se faziam vencedores dos  fracos, mostrei-lhes outro patamar
Aos ricos empedernidos, com egos indefenidos, mostrei-lhes o meu olhar
Aos pobres mais esquecidos eu gritei e fiz lembrar
dos muitos que são convencidos, consegui fazer chorar
Aos que choravam de dor, eu consegui alegrar
e a mim, enumeras vezes, do chão me fiz levantar
com as ajudas invisíveis, que me estão a ralhar
quando digo que já chega, do remédio que estou a tomar
que me deem outras tarefas, outras batalhas onde possa sustentar
a alegria contida, o humor amarrotado, e felicidade se amar.

Se eu morresse hoje, nada teria a lamentar.

Miro Couto

22-06-2018

21 junho, 2018

Uma história doce

Uma história doce

Do sorriso lindo dos teus olhos guardo imagem
quando no meu ombro a alma descansavas
em paz e sem guardas comigo estavas
pronta para comigo fazer longa viagem

A felicidade nas trocas de afectos sentidos
raiava a luz imensa que nem o sol consegue
eliminava a razão dos ânimos vencidos
gerava sonhos que todo o homem persegue

Eras flor, com asas livres e frescos aromas
eras rainha da razão que me vertia
era tábua de salvação da noite fria
que me roubava a dignidade nas suas brumas

foi efémero esse deleite abençoado
que me conquistou pela doçura de amor
que preocupado com o meu estado
auspiciava união de muito valor

Enquanto durou foi eterno foi, além
foi doce, paz, alento que desconhecia
pois nunca partilhei com mais ninguém
sentimentos que saíram de magia.

Hoje lembro os lábios doces de meiguice
as ternuras e carinhos abençoados
nos momentos curtos em que nada se disse
porque muito falávamos bem calados.

Um dia, ou noutra vida saberei
que verdade se impôs e a razão
que esfumou todo o amor que dei
mas quem ama, não necessita de perdão

Miro Couto
21-06-2018

30 maio, 2018

Nesse dia

Nesse dia

não sei o que a vida te diz a ti
nem sei o que mais posso esperar
só sei que tudo aquilo que vivi
doeu mas ensinou a despertar

não sei que mais alento posso dar
nem sei que mais fazer em oração
só sei que assim parado não irei ficar
porque a esperança me há-de dar razão

queria que ouvisses o meu grito
que sentisses o lamento em minha voz
da força de amar fiquei perito
mesmo quando amar é ficar a sós

Queria ter-te aqui sempre a meu lado
neste caminho sinuoso e muito agreste
queria mas não posso duvidar
das razões do caminho que escolheste

agora só a fé me indica o dia
para o alvorecer da minha alma
e apesar de a sentir muito fria
há-de chegar o calor que a acalma

nesse dia mágico brindaremos
em paz, amor e serenidade
dos abraços que um dia demos
e que deram imensos anos de saudade.

Miro Couto

16 maio, 2018

A Minha Quinta Sinfonia Paco Bandeira (com letra) with lyrics avec parol...





5ª SINFONIA



Paco Bandeira




Quando me lembro quem eras

Desse corpo que foi nosso

Desse amor que não deu certo

Era o tempo das quimeras

Das palavras em silêncio

Quando o mais longe era perto

Tinhas nos olhos a esperança

Os desejos de aventura

As ilusões que eram minhas

Nos momentos de ternura

Tinhas os seios a graça

Das primaveras que tinhas

E foste a música que em mim ficou

Quando a distância nos fez separar

Ando louco para te encontrar



Foste a quinta sinfonia

Fuga da nossa verdade

Sonata tocada em mim

Foste o meu sol afinado

Neste samba de saudade

Vinicius, Nara e Jobim

Foste verso de balada

Foste pintura abstrata

Meu bolero de Ravel

Foste música sonhada

Numa canção de Sinatra

Com um poema de Brel

E foste a música que em mim ficou

Quando a distância nos fez separar

Ando louco para te encontrar



Foste estrela de cinema

Minha dama de Xangai

Hiroxima meu amor

A minha grande ilusão

Eras fúria de viver

Quanto mais quente melhor

Grande amor da minha vida

Senso, silêncio, paixão

Buñuel, Fellini, Troffaut

Foste luzes da ribalta

Música no coração

E tudo o vento levou

E és ainda o que me faz sentir

Dentro da vida p'ra te cantar

Ando louco para te encontrar

Para te encontrar....

13 maio, 2018

Sonhem

Sonhem
que os sonhos e fantasias aconteçam
na vida de quem tem muita alegria
e que os santos todos a quem peçam
se juntem em perfeita sintonia

que pulem os cercados e ribeiros
de silvados selvagens e agrestes
que apreciem plátanos e pinheiros
e a beleza das folhas que os vestem

que a luz e o calor sempre fraterno
inunde a nossa alma fustigada
pois mesmo o tempo sendo eterno
a vida sem alegria e amor não vale nada

que chamas em pavios incandescentes
transmitam sentir mais humanidade
e o ar quente do amor que palpita a liberdade
seja a felicidade de que estamos carentes

Miro Couto

Caminhando

Caminhando

Caminhando
Vem, dá-me a tua mão
faz comigo a caminhada
mesmo que laves a calçada
com lágrimas do coração


vem, canta baixinho
faz o teu caminho
comigo de mão dada
e não desistas de nada

salta em colcheias de vibrato
embala-te no sal do desacato
do mar das emoções carnais
e brinda a vida como os pardais

Vê o explendor que luzia
quando nasce a luz do dia
e amanhece sem pedir
recomeça sem lamento
reforça o teu sentimento
de que tudo irás conseguir

Mas se quiseres chorar, chora
mas chora antes de vires embora
para abraçar a felicidade
mas vem depressa, corre
da passos firmes, e sonha
que os sonhos não tem idade

nada temas no caminho
nunca te deixo sozinho
na solução que resolva
a vida pode romper-te
pode esmagar e mover-te
ao passares por esta prova

mas no fim, sim no fim
verás o que conseguiste
das lutas que não fugiste
e que venceste sem fim

e poderás com alegria
levar com harmonia
o amor que conquistaste
esse que já encontraste.

Miro Couto
(esta foi para mim, e sim os dedos foram os meus)

21 abril, 2018

Ser livre

Ser Livre

Ser livre, é não estar preso a conceitos, a filosofias, a opiniões,
é poder ter conversas inteligentes falando com os nossos botões.
Somos prisioneiros escravos do "parecer bem e aceitar" da sociedade,
quando contra ela remamos, acaba-se a liberdade.

Miro Couto

A Rita

Porque é o teu aniversário
Porque mereces
Parabéns Ana Coelho

A Rita

A Rita, tem um coração que palpita
A Rita não é mulher esquisita
é jovial rebelde guerreira
e amiga p'rá vida inteira

Transforma a dor em sorriso
deixando sempre um aviso
aqueles que a tentam marcar
esquece mas não deixa de amar

Por si só ela é toda festa
ninguém com ela se presta
a ficar triste e enfadonha
e toda alegria sem vergonha

é musica, canto, rebeldia
coragem, força, alegria
viagem, cantiga, poesia
fulgor, jardim e magia

Sempre em guarda na canção
alegra o meu e teu coração
com a verdadeira amizade
toda ela é palavra liberdade.

21-04-2018
Miro Couto

18 abril, 2018

O que é nosso

O que é nosso
Dizem que o que é nosso
a nós há-de de chegar
venha depressa ou venha devagar
mas que virá sempre com muito amor
mas venha já que estou que não posso

embora saiba que o universo
não cria coisas como eu lhe peço
demora tempo a semente a germinar
mas o que vier há-de ser para ficar

É no momento e em má situação
que podes ver quem te quer dar a mão
sempre ao teu lado com o coração
seja em mau dia ou seja no bom

é essa gente que comigo quero ver
e serão essas almas que me irão ter
que tuas lágrimas limpam com a mão
e se estás preso eu estou na prisão

Se estas em festa eu estou em paz
se estas triste há tristeza em mim
se contigo trazes outro amigo atrás
a alegria será uma festa sem fim

e de mãos dadas, e de peito aberto
juntos teremos tudo a dar certo
será o amor que falará por nós
e quem tem amor nunca fica a sós.

Não quero ver mais lágrimas em redor
quero sentir amor a todo o vapor
sejamos todos unidos como as mãos
para por fim vivermos como irmãos.

Miro Couto

16 abril, 2018

Já basta

Já basta.

E quando te apetece dar asas à tua revolta
À tua indignação aos que governam este pais
E aos outros que no mundo não fazem falta
Lês uma mensagem que te faz assentar a raíz

Se os trafulhas desumanos que governam
Entendessem ou soubessem a dor que criam
Se não virassem para o lado quando assobiam
Teríamos um batalhão do povo que calavam

Mas Deus na sua infinita Justiça e Amor
Há-de com sabedoria calar a nossa dor
E mostrar a quem a cria com muita firmeza
Que não se pode semear miséria e tristeza.

Miro Couto
"E quando a gente menos espera a vida nos abraça outra vez e transforma todas as nossas incertezas em caminhos floridos de realizações. Confie!"
Marcely Pieroni Gastaldi

Tiranos de todo o mundo mudai

Ai ditos revolucionários de outras eras que lutam quimeras que eu nunca vivi
lutam a todo pano neste oceano em que nasci
fazem em coro promessas mas são tão dispersas que ninguém acredita
levantam punhos cerrados mas bastam uns trocados e e já ninguém grita

tanta amargura mostra aquele que posta neste e noutro jornal
desafia tiranos com escrita de enganos e se finge imortal
faz reuniões comezinhas a ver se alinhas por eles querer
Mas quando cai a desgraça, metem a mordaça e não querem saber.

Ah que saudades eu tenho da malta que comigo um dia seguia
eram desafoitados, eram companheiros e ninguém dormia
hoje não passam de sonhos, que acordados não queremos sonhar
ficaram todos cansados e acomodados não querem berrar

São assim os revolucionários efémeros com sonhos trémulos e sem confiança
que tanto prometeram e tanto disseram com toda a cagança
agora é vê-los enfeitados, com cores bem garridas mas sem investidas contra o poder
comem e bebem á Lorde, e o povo, esse que sofre, todos os mandam foder.

Queria tanto acreditar que gente com novo ar cheio de cidadania
pegava em ordens de voz, e com ar feroz vencia a tirania
mas vejo-os em mansos cordeiros, metidos em vespeiros de ar agoirento
e fico a pensar que em vez de lutar para tudo mudar, acho que rebento

gentes sem voz, daqueles que só são abandonados
esses que vergaram aços com a carne em pedaços libertaram algemas
deram a estes farsolas um poder enorme que nos consome por todos os lados
e sem razão, metem na prisão quem não cala e come, com duras penas

Um dia senhores, um dia, a voz de novo se levantará e vibrará de loucura e depois direis,
de forma pobre que foi culpa do PREC, a vossa dissimulada ditadura
e queixareis dos rebeldes, calados, que cruxificais todos os dias
de acções violentas, de mortes sangrentas, das vossas actuais covardias.

CANALHAS de toda a espécie, acordai, o vosso tempo está a chegar
e ninguém pode calar, a dor que aperta o coração humano
do que não pode com amor e carinhos a dignidade providenciar,
e depois em defesa estúpida e mesquinha direis que foi engano.

Miro Couto

Não posso morrer já

Não posso morrer já

Não posso desistir porque preciso de mim
não hoje, que estou farto e cheio de cansaço
mas no futuro em que voltar, em que aqui nasço
não encontrar este mundo imundo assim

Não posso desistir agora, de semear o futuro
de querer mudar este mundo tão duro
e torna-lo lugar melhor para habitar
onde em liberdade se possa verdadeiramente amar

Não posso ceder neste guerra, infernal e desumana
que tira tudo, a quem tem dignidade e não engana
mas que tudo dá a quem mutila a alma com dor
e nos tira o pão da boca mesmo ganho com suor.

Não posso ceder à tentação que me indigna
que me leva a ter uma ideia demasiado maligna
de vencer de maneira violenta esse poder
que humilha, maltrata, escraviza e esmaga o amor.

Não posso, porque ainda faço falta para a mudança
para ajudar na bonança que há-de vir a seguir
depois da tribulação que emerge, e ninguém ira rir
onde morrerá e cairá toda a imberbe cagança

Por vontade interior, da alma amarrotada
ja tinha dado dois murros, nessa canalhada
e deixar o resto da vida presa em cadeia
mas, em desespero me ilumina uma candeia
das almas que me protegem sem querer nada
e que a minha chama que se apaga, incendeia.

Nao posso desistir já, senhores do poder, CANALHAS
mas contem em por meu corpo em mortalhas
se tudo isto não mudar, como penso e sonho
se desumano continuar, na garganta as mãos vos ponho.

Miro Couto.

A canalhada que nos tem governado, e dedicado especialmente ao ministro da segurança social

Sou quem sabes maria alice.

04 abril, 2018

Sou alma



Não me tentem dobrar porque sou mola,
não me tentem partir que sou água,
não me tentem esmagar que sou vento,
não me tentem apagar porque tenho sol dentro de mim,
não me tentem enganar porque eu sei a verdade,
nunca me tentem trair porque é a vós que traís,
e quando receberdes de volta
tende a coragem de manter a cabeça levantada
enfrentando as dores e agruras por vós semeada.

Miro Couto

26 março, 2018

Não me bajules

Não me bajules
Não me faças o favor hipócrita de me dizer que estive bem
não me digas nunca um elogio se não foi do teu prazer
eu só conseguirei melhorar neste mundo de ninguém
se me criticares com sabedoria, ensinando a bem fazer

Não me veneres os passos que dou se forem falsos
os meus ou de alguém que aches mais importante
se não queres ser vitima da opinião que mente
e que te agride amanhã, e te controlará os passos


Age hoje com lisura e armonia sincera
A verdade é algo que toda a gente espera
mas poucos os que coragem tem para usar
só conseguirás a paz, que conseguires semear


Não me digas que fui bem onde falhei
diz-me antes que naquilo que errei
poderia fazer melhor se me ensinasses
combatendo a ignorância com saber
Humildemente me fará aprender
todo e qualquer saber que estudasses


Sim, repreende-me se me enganei
Diz-me em privado ou em segredo
da-me o direito de não estar de acordo
concede essa beleza e faz dela lei


e de mãos dadas podemos vencer
a nossa ignorância com saber
mas um saber muito partilhado
que cada um de nós só sabe um bocado.


Miro Couto

24 março, 2018

Não sei quanto tempo me resta, mas sei que os meus sonhos e a vontade de aprender me fazem sentir intemporal.

23 março, 2018

Assim chegou o amor



O amor chega em pés de veludo
é ciente, sereno, meigo e calmo
e cresce de um jeito absurdo
onde a partilha acontece palmo a palmo

O amor não é arrebatador por essência
No primeiro contacto pela aparência
chega e permanece de forma subtil
e transcende os jogos feitos ardil

O amor não inquieta, como paixão
nem se apropria da nossa razão
o amor não é só sexo, isso é tesão
é calor intenso é compaixão

É virtude, é cor. é alegria. é serenidade
é saber que quem amamos nos quer bem
é estar ao lado, e ver a outra metade
que é feliz e se sente muito bem

é cedência, elevação, cordialidade
é ter sempre um acto de bondade
nas alturas mais duras e penosas
quando o outro cai desamparado
sermos o chão que acolhe o amado
e oferecer-lhe um ramo de rosas

Amar é querer o melhor a quem se ama
não é esperar proveito ou fama
destaque de algum programa fatal
ou imagem em primeira pagina de Jornal

É partilha, dádiva, conforto
serenidade, ternura, atenção
é saber que há um bom porto
onde cabe o nosso coração

Miro Couto

21 março, 2018

Tempo


Não sei quanto tempo me resta, mas sei que os meus sonhos e a vontade de aprender me fazem sentir intemporal.

Miro Couto

Vida...



21 de Março dia mundial da síndrome de Down

Dia também da Poesia.

Viver

Viver é aprender dia a dia
seja com dor ou alegria
com balada ou sinfonia
sem quimera ou fantasia

é saber que somos todos
aprendizes semelhantes
sejam doentes, infantes
deformados ou toldados

crentes, ateus ou sábios
mestres, génios ou inchados
vigaristas, perdulários
carentes e mal amados

ladrões, vigaristas, falsários
religiosos, freiras vigários
políticos trafulhas, salafrários
e outros que roubam operários

Todos andamos a aprender
todos lançamos semente
que colhemos obrigatoriamente
No dia que Deus quiser

E o meu irmão "deficiente"
que aceitou ser diferente
na maneira de aprender
Trás com ele pendente
sabedoria eminente
que um dia lá na frente
nos dará como presente
a quem souber entender.

Porém nesta caminhada
Somos todos mais que nada
aprendizes até morrer
a amar todo o outro ser.

Miro Couto


20 março, 2018

Amor...

´

Amor...


O Amor não é paixão, desejo ou sedução
prazer, troféu, vangloriação
promessa cativa ou oração
prisão conceitual, dominação

é sentimento mais puro
mais calado, dedicação
e sentir sem negação
ainda que nos seja duro

é dádiva constante com prazer
orgulho do outro, compaixão
é calar ate o que nos faz doer
quando nos magoam sem razão

Amor só tem uma via
daquele que o semeia
e o retorno desse fruto
será sempre maré cheia

Amor é como calor
que irradia de quem dá
mesmo quando em seu redor
coabita gente má

Por isso amor é eterno
e nunca é egoísta
amor é sempre pleno
amor é ser altrusta

Miro

13 março, 2018

Que seja uma valsa




Que seja uma valsa

A  musica da vida toca
num ritmo acelerado
é fácil perder o tom
é fácil ficar atordoado
num rodopiar embalado
que as vezes não é bom
deixa o corpo emaranhado
sem se saber a razão

podia a vida ser fácil
se toda a gente quisesse
dançar a dança da vida
com quem nos apetece
sempre a querer melhor
em tudo o que nos enaltece
tornar radiosa como flor
sem eu continuar em prece

Fizessem assim os amores
fizessem assim os amigos
assim fizessem os senhores
até mesmo sem abrigos
e a vida que é de temores
seria só sempre sorrisos
na cara dos professores
ou nos alunos queridos

Vem dançar comigo a valsa
Vem rodopiar no meu céu
trás um pouquito de salsa
que eu levo o meu pitéu
corre com toda a gente falsa
trás o meu amigo e o teu
e todos dançamos a valsa
como os braços do orfeu

Dança comigo a sorrir
e com paixão pela vida
deixa  sempre fluir
o amor de uma querida
e se o querido assistir
e  se cuidar  da tua ferida
da-lhe em dobro o que pedir
da-lhe tudo desprendida.

Miro couto

11 março, 2018

Cansaço II

Ha muitas alturas em que me apetece desistir. Desistir de lutar, de alertar, de ensinar repetidamente valores e actitudes. Ha muitas alturas em que só me apetece dizer BASTA, basta de trafulhas, de gente perversa e má, de gente sem escrupulos, de gente sem humanidade. Ha alturas em que fico tão cansado, mas tão cansado da estupidez humana, da falta de amor ao proximo, da falta de humanidade das pessoas, que do alto do seu egoismo, do seu ego mal tratado, do seu nariz empinado, que nao olham para quem deitado no chão sofre. Ás vezes, de tao farto de ver este mundo barbaro e cruel, peço a Deus que me leve, para que eu possa reaver as forças para continuar em frente. Nesses dias mais escuros de cansaço, lembro-me das escolas, e dos professores, que dia apos dia, semana apos semana, mes apos mes e ano apos ano, repetem incansavelmente as liçoes aos alunos, ate que eles aprendam, e penso o que seria da humanidade se eles se cansassem como eu de poder transmitir aquilo que aprenderam aos outros, a desgraça que seria se isso acontecesse.

Sabendo que tenho imensas coisas para criar e para fazer, mas pela impossibilidade financeira nao as posso realizar me atira para o desespero e para a angustia de nada poder fazer, para ajudar este pobre planeta a ser melhor, a ser mais humilde e mais humano, e a tratar bem daqueles que vieram a ele para evoluir.

Se pessoas como eu, desistissemos pelo cansaço, se pessoas que sonham, desaparecessem por cansaço, se pessoas que amam, desaparecessem pelo cansaço, entao o que restaria ao planeta para se guiar? Quando penso que somos tão poucos, aqueles que tem dentro de si a informaçao capaz de ensinar a amar, de ensnar a perdoar, de ensinar a ajudar, entao o retrocesso seria abismal, logo, as minhas perguntas ficam cheias de respostas, pois se eu estou cansado e esgotado, tenho de continuar ate que haja alguem capaz de me dar paz, e de ajudar a fazer o trabalho que nos esta destinado, e que a grande maioria, resiste, endurece, e nao quer ver o óbvio, que é simplesmente encontraem amanha, e viverem amanha, a pele daquilo que semeiam hoje, e acreditem, da muito cansaço, da muita angustia, da muito desespero, mas a saida é essa, seguir em frente, ate que outros soldados estejam prontos para conrtinuar a baltalha, contra o egoismo, contra o desamor, contra e desumanidade, contra a barbarie, por isso, e pelo meu cansaço, peço-vos, abram os olhos, vejam e analisem, porque da mesma maneira que eu tenho pressa de vós para poder estar mais descansado, Deus precisa de nós urgentemente! Obrigado!

Porque lutas contra ti





Porque lutas contra ti

Porque lutas contra ti nas escolhas que fazes
porque resistes em dizer não à felicidade
Para que o mundo apenas veja o que trazes
e nunca o interior cheio de amor e liberdade

Porque resistes quando aceitas esta podre condição
que te faz esmagar o sentimentos e o coração
em vez de quereres amar sem sofrimentos
hoje, amanhã e sempre, em todos os momentos

Porque esmagas em ti a paz e a verdade do que sentes
para que os outros te acham normal e enquadrada
se eles são mais infelizes que tu, nesta vida, nesta estrada
e não servem de exemplo, até para os menos crentes.

Porque te trais quando negas o que a tua pele deseja
o que a tua alma fervorosa e ardentemente almeja
nas lembranças do passado que registas no amor
nas poucas passagens de tempo em que não sentiste dor.

Será que a lição que tens, não te faz entender
que não à riqueza maior que poder entardecer
junto de quem nos da paz, nos dá conforto
que nos cuida como vivos, até que esteja morto

E que lição neste mundo levas pelo que tendes
levas contigo o triunfo de teres vencido essa dor
ou levarás contigo a opinião dos que estão em teu redor
quando a tua vida é apenas a escola que aprendes

A felicidade é possível sim, e não será efemera
quando damos as mãos, de almas doces de mel
erguem-se castelos flutuantes de ternura
e não há ninguém que descole quando colamos a pele.

Sei quem sabes que sabes que eu sei... Maria alice.

Beijos a quem é de beijos e abraços a quem é de abraços e abreijos a quem é de abreijos.

07 março, 2018

A Vida é escola



A vida não é um castigo
a vida é uma lição
porque se fosse castigo
então Deus não seria bom.

E de lição em lição
de vida após vida
há enorme evolução

que sendo sofrida
tem sempre a explicação
mesmo em aberta ferida

e um dia percebemos
o que cá vimos fazer
e no dia que morremos
ficamos a perceber
o quanto nós aprendemos
a amar, a dar e a ser.

No tempo que me restar
vou continuar nesta senda
pois só quero semear

o que o futuro me dará
pois não recebemos a prenda
do que não fizermos cá

Miro Couto

06 março, 2018

Noites de Inverno



Noites de Inverno

Quando o inverno apertava
e o fogo da amizade ardia
as dores davam lugar à chama
do amor com que os recebia

eram irmãos, ou melhor, filhos
que tratei sempre como iguais
sempre os amparei nos trilhos
sendo rebeldes pardais

Não tinham horas, falavam
até ao raiar do novo dia
quase de tudo abordavam
fumavam, bebiam e comiam

Das tertúlias compartidas
das noites bem animadas
das amizades nutridas
deu lugar a pessoas amadas

Mas o inverno passou
e veio a primaveira rasteira
que com sopro tudo levou
e só deixou a poeira

Chega o verão em ousadia
e num sopro de calor
ama-se na noite e no dia
e perde-se depois o sabor

no outono bem presente
das relações de verão
há uma maneira diferente
que estranha sensação

e até que nova primavera chegue
até que o inverno volte a recolha
só na nossa história fica e segue
quem connosco está e se molha

e de penar em penar,
com um sorriso no rosto
as vezes fico a pensar
o porquê de tanto desgosto.

Mas mais alto que a bandeira
mais alto estará o sol
que há-de iluminar a cegueira
dos que me ficaram no rol.

Miro Couto
Abraços a quem é de abraços, beijos a quem é de beijos, e abreijos aos que são de abreijos, a quem não for, boa viagem e um queijo da serra.

01 março, 2018

Amanhã



Amanhã, quero as asas da alma
para poder voar as emoções contidas
onde reina o amor a paz e a calma
e jamais haverá lágrimas vertidas

Amanhã, quero amar como sempre amei
pleno, cheio de calor e ternura
amar com fé, com verdade e como um rei
que brota uma fonte de frescura

Amanhã, porque hoje, sinto o vazio
de ter dado vela e pavio
a quem não acendeu a chama
igual a outra alma que ama.

Amanhã, voarei pelas estrelas
como num sonho colorido
esquecerei o tempo sofrido
lembrando só as coisas belas.

Miro Couto
Beijos a quem é de beijos, e abraços a quem é de abraços, e abreijos a quem for de abreijos.

06 dezembro, 2017

Para a Natércia (Crua Ninfa) Anjos

tenta por palavras tuas
descarregar a dor mais profunda
que se expressa na imensidão dos olhos


Ainda que possam ser nuas
na alma os golpes que nos inunda
que nos fez vergar e andar pelos soalhos

Respira fundo e liberta a dôr
Sabendo que foi mais uma lição aprendida
e não um pedaço de castigo cruel vivenciado

Faz a paz com o teu espírito que sabes de cor
guarda e retém o que aprendeste sofrida
Será a luz que te guiará a todo o lado

Puxa as mazelas amarguradas da alma
Perdoando-te pelo mal que te fizeram
Rasga a memória da dor que te impuzeram
e levarás uma vida amada e calma.

Não carregues no peito as amarguras
Que nos teus olhos rechaçam sinais
Deixa que outros achem aventuras
e descargas de ódio venais

Pois tu és a mais importante história
que um dia terás de contar
E mesmo que hoje te falta a memória
Alguém te irá lembrar
que nos teus pés há a glória
que fizeste a caminhar.

Para ti, do coraçao!

Miro Couto

04 dezembro, 2017

Ser idoso ou ser velho

ser idoso ou ser velho

Ser idoso, é contemplar a vida com amor
Ser velho, é perder a vida num clamor
Ser idoso é saber que somos o que aprendemos
Ser velho é deixar de navegar nos sonhos
Ser idoso é contar as mais valias que a sabedoria nos dá
Ser velho é desistir da alegria, da felicidade de andarmos cá
Ser idoso é conhecer nossos erros, e tentar aprender sempre
Ser velho é achar que só os outros tem defeitos, na nossa mente
Ser idoso e perceber a vida e canta-la assim florida sem hesitar
Ser velho, é achar que jamais voltaremos a sorrir e a cantar
Entre ser idoso ou velho, eu por idoso me fico
Que velho são todos os trapos, com os quais não me identifico.

15 novembro, 2017

Porque o mundo me chama LOUCO

Porque o mundo me chama LOUCO


Eu sonho, como sonha um sem abrigo
sonho com bondade, sem miséria nem castigo
sonho com a felicidade, da natureza humana
que sofre de egoísmo, dessa doença insana

e neste mundo sonhar e querer algo mudar
somos chamados de loucos, dizem vai-te tratar
porque de almas vazias, que ja se pereceram
não entendem que outros sonhos aconteceram

sob pena de contagiar alguém com minha loucura
adoro ter sonhadores, como eu nesta aventura
que se chama vida, eu chamo evolução
onde só os sonhadores, possuem bom coração

porque sonham este mundo,
sem um pouco de maldade
cheio de amor profundo
repleto de felicidade

e a esses sonhadores, loucos por definição
junto as minhas ideias, junto o meu coração
enquanto puder lutar com toda a emoção
pela humanidade, por um sentimento são.

01 junho, 2017

Dia da criança

Hoje é o teu dia
e o dia detodos aqueles
que nao permitem 
que a acidez da vida
roube a doçura da infancia

Hoje é o teu dia,
liberta a dor que te acolhe
e faz permanecer a alegria
que destrói o que nos tolhe

Hoje é o teu dia criança
que sofres as amarguras
deste mundo insano
que sendo uma só raça
de muitas culturas
não se quer tornar humano.

Hoje é o nosso dia
daqueles que,  primeiro
aliviam a dor alheia
e que tecem a teia
rendada de amor e perfumado cheiro
numa fabulosa alquimia.

Hoje é o teu dia
Amanhã e depois também
porque todos os dias são dia
de quem te ama, te quer bem.Dia da criança

11 fevereiro, 2017

Convicções


As minhas convicções não estão erradas por serem de esquerda ou de direita, elas estarão erradas quando eu não defender a dignidade do ser humano, o amor e a liberdade a que todos temos direito.

15 dezembro, 2016

Com humildade

Como eu adorava que as almas se enchessem de poemas, feitos actos de humanidade sem reservas, nem contenções.
Como eu adorava ver o amor espalhado em poemas reais, pelas multidões
como eu adorava, que os poemas não fossem apenas palavras retidas pelo conhecimento
mas brasas abertas, de sentimento
Como eu adorava, mas como são frágeis os meus lamentos.

Miro Couto

27 novembro, 2016

Tenho urgência de mim






Tenho urgência de mim
este que vegeta neste corpo
não sou eu
Sei que a prisão que me cerca
não tem grades, nem algemas
apenas uma força invisivel
que me impede de prosseguir

Tenho urgência de mim
De poder dar voz aos sonhos
que me aquietam os dias
e que me faz pesadelos
pela espera que fabrica a ansiedade
que nos provoca o iriçar dos pelos

Tenho urgência de mim completo
Activo, tenaz em movimento
dando imagem á força que me impele
de criar, de fazer de dar alento

Tenho urgência de mim, livre
sem as limitações que o dinheiro impõe
para dar luz aos projectos desenhados
para dar voz aos seres esmagados
desta sociedade perversa ilusória
onde a animalidade se sobrepõe

Tenho tanta urgência de mim
por mim,pelos que me rodeiam
pelos que anseiam paz e amor
e fraternidade sem fim

Tenho imensa urgência de mim
Não do que fui
não do que sou
mas pró que aqui vim.

Miro Couto

07 novembro, 2016

A força de uma rosa






A força de uma rosa

Sentado num bar
onde deitava canções
inusitadamente vejo a entrar
três pessoas e dois corações


Meti conversa no meu italiano perro
e porque o meu inglês emigrou cansado
das mazelas feitas, forjadas em ferro
no braseiro da dor que tenho passado


Soltei uma canção,
reflectida da alma quando a torces
que só poderiam ser sentidas
por almas boas, sensíveis e doces 


Na face da senhora, uma lágrima luzidia
ocultada pelo sorriso de bondade
que mesmo saindo apressada, sorria
e não pensei que voltassem mais tarde.


regressou com uma rosa na mão
e um enorme sorriso estendido pelo peito
deu-ma, e tocou-me o coração
que até hoje lhe guardo respeito


Cantei o Adeus tristeza até depois
poema que sempre cantei magoado
sofrido, sentido e chorado
da minha vida que é um fado


mas na memória desse momento
desse encanto enternecedor
a rosa foi o sopro ternurento
De uma senhora mulher, feita flor


Obrigado Á Daniela e ao Mihai Gafencu se ainda se
lembrarem do momento

01 novembro, 2016

Esperança






É a minha cara

" A esperança tem duas filhas lindas, a indignação e a coragem; a indignação ensina-nos a não aceitar as coisas como estão; a coragem, a mudá-las.
Santo Agostinho

31 outubro, 2016

Fui de viagem







Fui de viagem

Fui de viagem até terras alfacinhas
Com uma espada à cintura
para matar saudades minhas

Fui de viagem,
e à minha espera um amigo
pronto para me levar até ao seu abrigo

Fui de viagem, e ele levou-me a jantar
Num pacato restaurante de fado
onde acabei a cantar

nas conversas que não acabo
porque não irão acabar
temos sempre um longo prado
que nos está a separar

e porque te sinto a falta
da conversa inquieta
das risotas sempre em alta
com malícia encoberta

Juro que quando puder
irei de viagem por certo
porque apesar de tão longe
nunca estivemos tão perto

PS: Para a minha gente do sul
Miro Couto

30 outubro, 2016

A hipocrisia das varias igrejas

Dizem-se seguidores dos evangelhos, mas nunca cumprem os preceitos que eles lhes deram, e rezam alto no meio de salas, com cantilenas, outros com sacrificios do senta e levanta, como se necessitassem de ser vista a sua religiosidade, para que se encubra a verdade, do bate com a mão no peito e depois podem tolher quem quiserem porque estão absolvidos. Como andam enganados e não há maneira de os fazer ver a verdade.



Mateus 6.5-15

    E, quando orardes, não sereis como os hipócritas; porque gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, para serem vistos dos homens. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa. Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque presumem que pelo seu muito falar serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque Deus, o vosso Pai, sabe o de que tendes necessidade, antes que lho peçais. 

Ser Livre




Ser livre

Ser livre é seguir a alma,
seguir o que de ti tens dentro
e não estar preso a religiões
partidos, ideologias ou filosofias
a esquerda ou ao centro

Ser livre é defender o que acreditas
sem tabus nem moralismos decadentes
sem algemas mentais, ou correntes
que calem os sentidos que gritas

Ser livre, é não pactuar
com aqueles com quem convivemos
que numa altura peculiar
se desviam deles mesmos

E porque os grupos encadeiam
toda a nossa vontade
Ser livre é que tudo o que leiam
saber retirar a verdade

Resistir ao atropelo
seja verbal ou físico
que num excesso de zelo
ou de um fim martinico

Ser livre tem alto preço
que a sociedade te cobra
e os podres poderes te dobra
se não tiveres coragem de sobra

Por mais doido que me chamem
lunático, louco e infiel
revoltado, demente, tarado
sempre a MIM serei fiel
e LIVRE, na minha pele

Miro Couto

29 outubro, 2016

Os que nos podem ensinar

http://www.semprequestione.com/2016/10/criancas-das-estrelas-choca-mae-ao.html?m=0#.WBReK8kdooK

28 outubro, 2016

Nenhuma sociedade quer que sejas sábio OSHO Liberta te!

Não sou especialmente fâ, mas esta explicação assenta como uma luva ao que eu sempre faço, e, em vez de usar palavras minhas, uso as dele. Aprendam, quanto mais se vergam mais eles vos esmagam.

24 outubro, 2016

citações

A tirania aumenta, quando os ultrajados em nome da bondade e da boa educação se calam e o permitem
Miro Couto

18 outubro, 2016





A indignação.deve ser proporcional à injustiça, sob pena dos carrascos não entenderem o acto vil que cometem.
Miro Couto

28 setembro, 2016

Anseio

Gostava de vos ver com brilho próprio
e não com camadas de verniz que reflectem a luz dos outros
que com humildade se vão vergando e como ópio
criam a ilusão desvairada que cresce aos poucos

Gostava de sentir que a talha que vão fazendo
elimina essa pétrea e rude forma primitiva
com apetite aguçado que tudo vai acumulando
em vez da força sublime que é o amor e a vida

Adorava que os olhassem nas suas imperfeições
capazes de os ensinar a moldar os mais duros corações
na perfeita sinfonia do amor condescendente e em paz
e que nas quedas de levanta-los seja capaz

Almejo uma humanidade fraterna, educada, amável,
sensivel, capaz de substituir o choro amargo da dor
num choro de êxtase pleno de imensa alegria afável
e que os dias negros de amargura, passem a cheios de cor.

Eu sonho com esse dia, é o meu sonho, a minha ambição
o dia em que deixa de haver preto, amarelo, gay ou machão
mas apenas seres humanos iguais, sem haver conotação
em que possamos dizer que o outro, todo o outro é meu irmão!

Miro Couto

08 setembro, 2016

A importância





A Importância

A importância tem estatuto velho
veste-se de finas sedas, e espartilhos
Calça sapatinhos de cristal sem atilhos
ou de fina flor mesmo nascida num quelho

A importância cresce e germina
em tudo o que é personagem que se afirma
enchendo o peito de ar e o fato de naftalina
na sua superioridade que legitima

Mas a todos sem excepção,
sejam pessoas ou intituições
fardas, postos e galões
só tem a importância, que lhe dão

A importância e sempre relativa
À importância que nós lhe damos
pode ser relevante ou negativa
mas foi culpada de haver amos.

Se te dou muita importância
Acredita que sou teu amigo
porque só dou importância
aos que se importam com os meus, e comigo.

Beijos a quem é de beijos

Miro Couto

02 setembro, 2016

Amanhã, Hoje não





































Amanhã, Hoje não
Amanhã, quando chorares
pelas escolhas que fazes
chorarei contigo, ao teu lado
pela pena que me dás hoje
de não entenderes o que escolhes.

Amanhã, quando sofreres,
estarei desolado, com compaixão
Apesar de todos os esforços que hoje
eu faço para que entendas a tua acção

Amanhã, terei a mesma dor
que hoje carrego no peito
porque a força do meu grito
não foi capaz de te acordar

Amanhã, terás mais uma lição
aprendida com chaga e gemido
porque a minha voz não foi capaz
de te ensinar o que ja tinha aprendido

Amanhã, serás maior do que és
com muita mais sabedoria
que adquiriste na forja das almas
que peregrinam pelas pedras, descalças
Amanhã, tentarás com o teu grito

Mostrar os erros aos teus amigos vindouros
Berrarás à força de 30 pulmões
E chorarás por cada um que te faz manguito

Amanhã, percebes o meu grito de hoje
mas amanhã, hoje, sentes o ego enorme
inchado de ar sem coisa nenhuma
da ilusão fugaz que a todos come.

Amanhã, se eu cá estiver,
não te direi eu avisei-te
Porque também eu aprendi
derramando leite.

Beijos a quem é de beijos e abraços a quem e de abraços
Miro Couto

12 maio, 2016

Esperança cretina




Pensei que o saco das lágrimas se tinha esvaziado
e que toda a turbulência pela passagem do cabo bojador
que o fizeram encher, aquele que tras a dor
ja tinha sido completamente ultrapassado

Pensei, porque pensar não é errado
se nos pensamentos nos ocorre o sofrimento
a dor lancinante de ficar paralisado
com as amarras que temos no sentimento

Guardei sempre a esperança,
essa cabra que me tortura
sem que me mostre a bonança
que possa aliviar esta amargura


Julguei que o tempo era chegado
que o fim deste suplicio se apresentava
dos sonhos que sonho acordado
cantavam num desfile que encantava

Mas ás vezes, sem entender a razão
das escolhas que fizemos nesta reencarnação
resultam das preces que outros farão
e percebemos que a tudo damos a mão

As vezes esgotados de força vital
de tanto dar por amor ao mundo
caímos em desespero profundo
neste mundo reles, animal.
Miro Couto
12-05-2016

25 abril, 2016

Jorge Carvalho (o Pisco)

Eu era dos que gritava cá fora.


Ganhaste a tua prisão
com o humor que fazias
da tua contestação
das palavras que dizias

Foste luz, foste candeia
em tempos de escuridão
deste força, foste a ceia
dos que gritavam em vão

mas nesse dia estóico
viste a muralha a cair
e te tornaste heróico
sem deixares de sorrir

Foram anos bem sofridos
aqueles que já passamos
Frios, duros, compridos
mas ainda ca estamos

E com toda a alegria
saúdo a tua história
de quem de si renuncia
em prol de uma vitória

Abraço Ao Jorge Carvalho, que conheci em 1972, juntamente com outros democratas, pela mão do Adriano Teixeira de Sousa, que me convidou para ir cantar a um convivio na senhora da Hora.
Miro Couto



25 de ABRIL NA CELA
Não sei o que tinha a noite,
Não sentia o frio nem o medo.
Do fundo da noite agitada pouco calma, chegava até mim um eco profundo parecia-me ouvir um grito de LIBERDADE.
Do fundo da noite crescia o rumor do eco da multidão, um grito oriundo do fundo dos tempos LIBERDADE, LIBERDADE LIBERDADE…
Quem? Quem gritava? Assim era o POVO, que enchia as paredes da minha cela, rasgando pela noite, e esta crescia com aquela palavra de ordem que me tornava em louco:
“MORTE À PIDE E A QUEM A APOIAR”, não, não pode ser, estou a ficar louco deve ser…
“VIVA A PIDE E A QUEM A APOIAR”
Durante a noite, as horas iam passando, a multidão ia engrossando e o coro enorme crescia, era um coro enorme que se aproximava cada vez mais da minha cela.
As portas batiam, mil vozes falavam, pides a correr e os guardas prisionais também corriam.
Eu estava a ficar doido, surpreendido, a minha própria voz, sobretudo as lágrimas e apetecia-me gritar e cantar…
“Vá camarada, mais um passo,
Já uma estrela se levanta,
Cada fio de vontade são dois braços,
E cada braço é uma alavanca…”
Contive os nervos, o meu respirar era de nervos, o eco da multidão impedia-me de ouvir a multidão e eu ansiava ouvir tudo e perceber o que se estava a passar.
A cela cada vez me apertava mais,
“ Vá, camarada, mais um passo
Já uma estre la se levanta…”
Tive medo, estava com medo!
Medo de loucura, medo que fosse mentira, medo de continuar preso, DE TUDO SER UM SONHO.
Mas quando as portas da minha cela se abriram pela manhã, outro grande susto apanhei.
Um pide e militares alguns com capacete branco PM, tremi novamente de medo e perguntei-me a mim próprio…
Será que me vêem buscar para o serviço militar?

“Vá camarada, mais um passo
Já uma estrela se levanta…”
AH mas o eco da multidão dava-me forças, só a minha voz me impedia de cantar.
Os nervos cada vez mais se apoderavam de mim, as lagrimas humedecem-me a garganta e eu repetia-me a perguntar:
O que se está a passar?
Informem-me, tirem-me desta loucura, eu quero respirar ar livre da minha LIBERDADE o ar da vida.
Continuava a ouvir a multidão gritar, barafustar e protestar. A multidão enchia-me de AMOR e de ALEGRIA, quando ouvi, FALTA UM, LIBERDADE PRO PISCO!
Eu queria abraçar aquele povo, queria respirar ABRIL, queria deixar de tremer na cela, só ansiava a minha LIBERDADE.
De súbito gelei por completo, quando fui àquela varanda e vi uma enorme multidão gritando LIBERDADE, LIBERDADE, não consegui dizer uma palavra tal era a emoção.
De seguida, enorme alegria ao sair daquele portão e abraçar a multidão,
Gritando com eles LIBERDADE, LIBERDADE e ouvia CAMARADA ESTÁS LIVRE e fui sob escolta militar para o quartel Militar.
Foi assim aquela longa noite de 25 para 26 Abril, noite fria e quente ao mesmo tempo.
Portugal tinha acordado antes da hora, acordou, quando ouviu a boa aurora.
E a noite, lentamente se fez dia!
Há um povo que canta, alguém que chora, mas tudo em manifesto de alegria.
Foi há 42 anos, essa data que todos hoje a recordamos e a relatamos.
Nem tudo foi bom dessa euforia, ainda há tanta coisa por cumprir.
Ainda há tantos rostos, sem sorrir.
Que para muitos, piorou desde esse dia.
A verdade é que estamos cada vez mais pobres, muito desiludidos e irresponsáveis.
Muito mais desconfiados dos senhores do poder.
Muito mais tristes e desarmados, desesperançados, desmotivados,
Parados no tempo e na historia e continuamos a eleger mentirosos e ABRIL POR CUMPRIR!
MAS,
HÁ SEMPRE UMA CANDEIA
DENTRO DA PRÓPRIA DESGRAÇA
HÁ SEMPRE ALGUEM QUE SEMEIA
CANÇÕES NO VENTO QUE PASSA
E fraseando Ary dos Santos
“DE TUDO O QUE ABRIL ABRIU,
AINDA POUCO SE DISSE,
E SÓ NOS FALTAVA AGORA,
QUE ESTE ABRIL NÃO SE CUMPRISSE!”
Resta-me continuar a perguntar ao VENTO QUE PASSA NOTICIAS DO MEU PAÍS!
25 DE ABRIL SEMPRE,
FASCISMO NUNCA MAIS!
Jorge Carvalho

02 fevereiro, 2016

Aos que me vem espionar

Sejam bem vindos aqueles que armados em espiões, e até pertencem ao ministerio da administração interna, por aqui aparecem a ler o que vou escrevendo.

Acho bem que leiam tudo, pode ser que aprendam a ser melhores pessoas, que sintam orgulho do Pais que vos acolheu e que não sejam cães subservientes ao poder, como se eles fossem donos.

Por mim, se é para me sentir intimidado, apenas vos digo que perdem o vosso tempo, os vossos colegas da PIDE/DGS não conseguiram meter-me medo, por isso, aproveitem a estadia, e leiam, tentem perceber o que escrevo, porque o que eu escrevo, não é para mentes comezinhas pequeninas, ou obtusas, por isso, esforcem-se, apliquem-se e quem sabe, poupam uma reencarnação no inferno a que se chama Terra.

Às pessoas que me seguem, apenas vos digo que este blog tem andado menos concorrido, porque a luta que o facebook dá é bastante grande, mas de vez em quando, cá virei ao desabafo, e como sempre, contra estes VIS CRETINOS que nos espoliam, que ROUBAM o erário público á força toda, e que ainda muitos não entenderam que tem uma arma fenomenal para arrumar com eles, que se chama votar, e até pode não ser votar em alguém, mas votar CONTRA ESTA CHUSMADE TRAFULHAS ASOLDO DO BILDERBERG. Sim Disse BILDERBERG, sabem o que é? São um grupo de escroques cheios de dinheiro que corrompem governos e cretinos apátridas, para depois emprestarem dinheiro aos países, ate que eles fiquem vergados a sua vontade. Sim perceberam bem, são esses escroques que dominam a Europa, o banco central europeu e a comissão europeia, mas que há muitos  parolos, muitos burros, que acham que eles, comissão europeia é que nos vai ajudar a ser aquilo que já eramos antes.

Enfim, esse bando, tem muitos sabujos nos vários países ao seu serviço, e os centros de espionagem em vez de servirem para defender PORTUGAL, servem para defenderos interesses financeiros desse gangue de criminosos.

Beijos a quem é de beijos, e abraços a quem é de abraços

Acbelix FARTO DE HIPOCRITAS


NB: Aqui fica o registo das visitas desses senhores