01 julho, 2006

Compreender a ajuda

Um dia estava um lavrador na sua quinta, que ficava perto de um rio, e começou a cair um tempestade de agua. O terreno do lavrador começou a ficar inundado, de tal maneira, que a agua ja lhe dava pelos joelhos, e nisto, junto a uma montanha que estava mesmo ao lado, passou uma pessoa de bicicleta que disse ao lavrador para sair do seu terreno, pois corria o risco de morrer afogado. Hora o lavrador era um homem de fé, e virou-se para o sujeito e disse-lhe que tinha fé e que Deus o iria proteger. Passadas umas horas, passou outro sugeito, e vendo o lavrador com agua pela cinta, disse-lhe que saisse dali depressa que senão poderia morrer afogado, mas o lavrodor insistiu e disse que era um homem de fé, e que nada lhe aconteceria. Passadas mais umas horas, chegou o helicopetero da protecção civil que queria tirar o homem da agua, pois estava só com a boca de fora, portanto quase a afogar-se, mas, o lavrador disse que nao ia, que tinha fé e que Deus o iria proteger. Bem, o homem morreu afogado, e quando passou para o lado de lá, ao encontrar-se com o guia dele, disse-lhe que nao compreendia porque é que Deus o tinha abandonado, ao que o guia lhes respondeu, que deixasse de ser burro, porque lhe enviou muita gente para ele se salvar, mas a teimosia, o orgulho, e a ligação aos bens materiais, foi que ditaram a sorte dele.
Na vida, temos muitas vezes ajudas, temos muitas vezes quem nos moa a paciancia para que sintamos o caminho que devemos seguir, mas na maioria das vezes, fazemos ouvidos moucos e seguimos por onde nao devemos, seguimos a porta larga, e depois choramos o mau caminho que percorremos. Se uma pessoa que gosta de nós e não nos quer mal, nos diz, afasta-te de certa pessoa depressa, nao será a mesma coisa que aconteceu com o lavrador? se uma pessoa que nos ama, nos diz que estamos mal e que esta preocupado connosco, e que sofre por nós, será que nao esta a fazer o papel das pessoas que avisaram o lavrador? Ao fazermos as nossas orações e perdirmos ajuda, se a ajuda vem e nao a sabemos ver porque vem por onde estamos manipulados para nao a aceitar, será que estamos atentos aos sinais?

Ja agora vale a pena pensar nisto, e todos os sinais sao bons

Miro

2 comentários:

Florbela disse...

Entendi e concordo com teu questionamento. Mas o que então fazer para que essa outra pessoa consiga perceber de quem e de onde vem a ajuda? Não vai estar nas mãos daquele que a quer ajudar. Talvez apenas a própria pessoa é que precise descobrir. E para alcançar isso, terá um longo e pedregoso caminho a trilhar e precisamos torcer para que não se "afogue" antes de chegar ao entendimento. Tou certa?

acbelix disse...

Exactamente. O problema é o tempo entre a ajuda que tem e a ajuda que aceita receber, aí se nao aceita, o afogamento é inevitável.
Como te disse, se não ha manipulação, deve-se simplesmente andar em frente, e deixar que cada um siga a sua vida, ainda que sejam espinhos que vão ter, mas nao podemos carregar a angustia sempre connosco. Se há manipulação, então devemos curar as feridas e depois de a pessoa estar curada, deixa-la seguir o seu caminho.