19 outubro, 2009

O véu do esquecimento




Ao ler um post num blog de uma amiga onde ela desenvolve um texto lindissimo sobre o amor e a sua capacidade de ter vizualizado o amor de uma outra vida anterior, despertou-me para escrever algumas coisas sobre exactamente a possibilidade de sermos contemplados com essa possibilidade de sabermos e de conhecermos pessoas que já amamos noutras vidas, mas ao mesmo tempo, esclarecer que essa possibilidade normalmente não é dada ás duas pessoas envolvidas pela simples razão das nossas provas puderem ser ultrapassadas, e podermos andar em frente na nossa caminhada.

É claro que para peceberem o que estou a dizer, seria necessário lerem primeiro a história que ela teve a coragem de relatar, ainda como anónima, para perceberem depois o que aqui vou escrever.

Quando é revelada uma vida passada, ou como neste caso um amor que já vem de outras vidas, é porque efectivamente serve os interesses da nossa actual reencarnaçao, e nos poe a prova o orgulho, ou a coragem, para podermos seguir em frente na nossa viagem, e por isso, sendo prova a quem é revelado, não o poderá ser revelado a outra parte, pois senão a prova nao existiria, porque se a outra parte também soubesse desse amor de outras vidas, poderia tomar a iniciativa e ir ter com a determinada pessoa, o que acabaria por comprometer a prova da pessoa a quem foi dada a possibilidade de conseguir vencer mais uma prova de coragem e uma prova contra o orgulho, ou o receio de perder essa pessoa que ainda hoje se ama.

Ou seja, imaginemos que a ela lhe foi dado a saber isso para que ela por amor tivesse a coragem de enfrentar os seus receios e o seu orgulho, mas se lhe fosse dado a conhecer a ele, e se ele se dirigisse a ela sabendo também que eles foram duas pessoas que se amaram perdidamente, seria juntar o fácil, porque com a memória do passado, saberiam que o amor de um pelo outro era indestrutivel, e portanto, nenhum deles teria dificuldade em dar o primeiro passo para se reencontrarem nesta vida.

O véu do esquecimento do passado é exactamente para seguirmos o amor, contra tudo e contra todos, sem tabus nem preconceitos, porque como ela e também eu digo, o amor não tem cor, o amor não tem idade, raça , relogião, pobreza ou fortuna, o amor é por isso e sómente, um acto sem ser premeditado de doaçao aos outros sem nada esperar em troca.

Quantos casos passam pelas nossas vidas parecidos com este caso? Ainda agora tenho mais uma amiga a passar por um caso identico, em que o pai nao quer que ela case e viva com o companheiro dela, e ela enfrenta tudo e todos para estar com quem ama, sendo pressionada por chantagens variadas, e de varias frentes, com o intuito de a demover de seguir a pessoa que ama, e ela, que me pediu ajuda por receio que algo lhe acontecesse, pois esse pai é desiquilibrado apesar de se ter feito passar por alguem de grande personalidade de grande moralidade, mas que ameaça por todos os meios, se as coisas nao correm como ele pretende, e no entanto, dou os parabens a essa amiga, pela coragem que tem, porque não pondo em causa o amor que tem pelos pais, não abdica se estar com quem ama, apesar de toda a chantagem emocional e ás vezes ultrapassando as barreiras da normalidade.

Como alguém disse... Se eles soubessem os mal que fazem a eles próprios, não levantariam um dedo contra os seus irmaos... pois irmãos somos todos uns dos outros, embora ás vezes sejamos pais de uns, e outras, irmaos ou filhos daqueles que foram ou são nossos filhos ou nossos pais.

Sem véu do esquecimento, não poderiamos amar alguém de quem gostamos hoje, e que foi na vida anterior nosso carrasco, nosso predador, nosso inimigo, e como a ideia é que nos amemos uns aos outros, demore o tempo que demorar, sem o véu do esquecimento, eu nunca amaria a minha filha se soubesse que ela tinha sido alguem que me maltratou na vida anterior, e que hoje reencarnou no meu seio, para eu ultrapassar essas contendas e a amar daqui para a frente, e esquecer as nossas contendas passadas.

Portanto e para terminar, como te disse querida amiga, avança com coragem e nao temas dizer que o amas, pois ele nunca se poderá lembrar que foi o teu protector, ou teu amigo, o teu amor de outra vida, e nao desperdices a possibilidade de ouvires da mesma forma um sentimento que para já é unilateral, para que no seu interior, despoletará o amor que já vem detras por ti.

Já agora vale a pena pensar nisto

Beijos a quem é de beijos e abraços a quem é de abraços

Miro

2 comentários:

Shootingstar disse...

Podes mesmo crer que me deixaste a pensar... de olhos rasos...

Iva disse...

Uma vez mais... me fizeste chorar a ler o que escreveste...