16 janeiro, 2012

Nao sei porquê, mas que tinha de escrever agora tinha.



Estamos em momentos dificeis, mas de facto ainda nao são muito dificeis, pois que a grande maioria ainda nao esta a passar problemas de subsistencia, e os que estao em situação de dependencia tem ate agora tido o apoio e a solidariedade dos semelhantes que tem dado exemplos de grande dignidade, Quantos mais precisam de apoio neste estado de miséria, mais aparecem a dividir o pouco que tem, enquanto os poderosos se aproveitam com ganhos excepcionais, sem contemplaçoes por aqueles que ja nada tem para repartir.

Sei que este ano é um ano de imensas dificuldades, mas, sei também que será um ano de reposiçao de verdade, e aqueles que muito tem sofrido, e que só tem ajudado os outros, serão beneficiados lentamente, e na verdade nao terão problemas sérios, porque o que lhes falta aparece sempre, ainda que na última hora.

Se há alturas em que as escrituras fazem sentido é nesta altura, acreditem que quando menos esperamos, se mantivermos a fé, aparece sempre algo que nos tira do fundo do poço, mas, claro que como sempre tenho dito, não haverá milagres, mas apenas a colheita do que foi semeado. Olhem as vossas consciencias, e se dentro delas estiver o sentido de que tudo fizeram pelos outros, que gostariam que vos fizessem, então o retorno estara eminente, pois o que esta em cima desce e o que esta em baixo subirá.

Pelo que já lemos sobre os maias, haveria lugar a acontecimentos nos anos que ja passaram, e que de facto aos olhos mais comuns pouco daquilo que estava escrito aconteceu, mas na verdade nao foi nem é assim. Tudo o que tem acontecido, pouco é visivel a olhos distraidos, e na maioria dos casos, as pessoas cegas com a ofuscação das coisas materiais e as suas vaidades e egoismos, nem se apercebem das mudanças que tem sido feitas neste nosso planeta, em que a vibraçao esta a chegar ao limite da resistencia humana, tal qual a conheciamos até aqui.

Acreditem se quiserem, mas, sentirmos pressao sobre os ombros, pressao arterial alta, dores musculares, dificuldades fisicas, choro inesperado e sem motivo aparente, são alguns dos sintomas fisicos da pressao a que estamos sujeitos neste momento. E porquê?

Numa transiçao, sejam lá ela qual fôr, há quem fique agarrado ao passado, e a esses, chamamos de conservadores. Pessoas a quem as mudanças fazem mal, que nao as querem, por variadissimos motivos. Perguntem a um rico se quer deixar de ter poder e juntar-se ao povo? Que acham que na maioria eles responderiam? Pois, é dificil a mudança, e ate para pessoas simples e humildes, mas que são egoistas e gananciosas, lhes é dificil aceitar a mudança, mas a mudança que aí vem, nao deixa espaço para quem quer ou não quer, vem e nao pergunta, e isso faz com que pela parte espiritual o mesmo seja verdade.

O que são espiritos senão nós mesmos quando deixamos o corpo!? Logo se somos nós, é normal que os sentimentos que abraçamos na vida espiritual seja igual ao que abraçamos na vida material, e, logo, as pessoas que sabem que teriam de ser mais amigas dos outros, que teriam de repartir o pouco que tem, nao querem e nao aceitam a mudança, fazendo então resistencia e procurando que o estado em que o nosso planeta está, se mantenha para que eles possam determinar as suas posiçoes e manter o pouco ou muito poder que tem, que na grande maioria é apenas o poder que pensam que tem, se é que nao é no seu todo, pois que poder há um só, o que depende da vontade de Deus.

Perante tais resistencias á mudança, os espiritos encostam-se a nós, pressionando com as suas energias mentais e fluidicas, de forma a que, quem tenha mediunidade e seja boa pessoa, se vai sentir um sapo cheio de ar, com o seu corpo inchado, como se alguem tivesse soprado por um qualquer orificio de encher baloes. É claro que isso causa dôr, que causa mal estar e nos faz sentir impotentes perante imensas situaçoes, mas, é também a forma de conseguir armonizar esses espiritos que andando connosco, acabarao por perceber que só há um único caminho e esse, é o da evolução, seja ela espiritual, na sua vertente moral e tecnológica.

Quando nos deparamos com informação ou programas de tv sobre a espiritualidade e sobre a mediunidade, muitos daqueles que nos acompanham percebem que afinal há vida para além da vida, e começam a perceber que só sairao do sofrimento quando utilizarem os seu pensamento para comunicarem com os seus guias (anjos da guarda) e com humildade lhes pedem ajuda, o que logo de seguida acontece e para além de serem esclarecidos, seguem o caminho que terao de percorrer, seja ele em escolas na espiritualidade, ou reencarnando neste ou noutros planetas onde a sua vibraçao melhor esteja enquadrada, para que a evoluçao seja mais rapida.

Assim, neste momento de transição, é particularmente dificil para aqueles que até hoje só praticaram o bem, e se sentem maltratados, levando-os quase a chegar ao ponto de desistirem de si próprios, ou muitas vezes deixando cair os braços e dando como certas as palavras de Jesus, quando disse que até os escolhidos se veriam com dificuldades.

Cabe-nos ter fé, cada vez mais, e se a fé é acreditar em Deus, ter esperança é que Deus nos traga um pouco da nossa sementeira, nestes tempos de mudança e dificuldade. Até lá... beijos a quem é de beijos e abraços a quem é de abraços

Miro

4 comentários:

Anónimo disse...

“…começam a perceber que só sairao do sofrimento quando utilizarem os seu pensamento para comunicarem com os seus guias (anjos da guarda) e com humildade lhes pedem ajuda, o que logo de seguida acontece…”
Sem dúvida que se é ajudado, mas o “logo de seguida”, não é bem assim, a noção de tempo… Na maioria das vezes as pessoas pedem ajuda em desespero e esse desespero é tal que não percebem quando a ajuda chega, quando lhes é apontada uma solução ou um caminho… nem sempre a ajuda que vem é aquilo que desejamos mas cabe-nos a nós perceber e por em uso o livre arbítrio, só que dificilmente percebemos uma ajuda que não vai de encontro àquilo que queremos porque normalmente aquilo que queremos é tão “miudinho” e raramente nos lembramos de Causas Maiores.
Quando temos de abrir mão de uma qualquer “coisa”, de certeza que não ficamos de mãos vazias, mas a nossa tendência é pensar no que perdemos e não temos a “tentação” de procurar encontrar o que nos depositaram nas mãos.
Que Deus nos ilumine!
MAP

Shootingstar disse...

Compreendo muito bem, amigo. Difícil é ter forças! Não está fácil! E depois, claro, surgem as velhas questões: será que sou mesmo uma pessoa boa? Perdi o dom? Por que não tenho forças? Por que não consigo reagir a nada??? :(

VIAJANDO E PULANDO disse...

amei seu blog ,parabens!!!!!!!!!

Anónimo disse...

O que são espiritos senão nós mesmos quando deixamos o corpo!?
Gostei!
escrevo pouco mas partilho dessa filisofia.
;-)