15 janeiro, 2008

Mudanças

Quando a tempestade avassala
quando o tempo passa e nada vês
quando parece que a vida resvala
quando ja não sabes bem quem és

perdes o sentido, a orientaçao
perdes o teu rumo nesta vida
e se alguém te dá a sua mão
não acreditas, estas ferida

quando os ventos e marés
veem contra a nossa caminhada
pensas em tudo o que vês
e já não acreditas em nada

mas um dia, aquele que é fatal
toda a névoa desaparece
e o que te parecia mortal
é tudo o que te enriquece

vira a roda, vira a vida
muda as cores do horizonte
vês no fundo uma saída
e até moves os montes

e quando a mão divina recai
num momento de piedade
o tua alma sofrida se esvai
em lagrimas de felicidade!

beijos a quem é de beijos

Miro

2 comentários:

Anónimo disse...

e esse dia que nunca chega!!!

Shootingstar disse...

Não imaginas o quanto me identifiquei com o teu poema. Parecia tanto, mas tanto falar de mim e para mim que.... até me arrepiei!!! lindo, lindo, lindo. Parabéns!!! Bjinhos