04 novembro, 2005

Acreditar

Muitas das pessoas que passam por situações em que se "perdem", e depois se "encontram", ao fim de umas quantas conversas, ao fim de umas quantas noites passadas a conversar e a dar força, ao fim de umas quantas lagrimas e sorrisos largados, ao fim de uma quantidade de amizade dada, ficam com a sensação de que aqueles que estiveram dispostos a dar essa força, e a dar essa amizade, passam a ser dispensáveis a partir do momento que ficam robustas o suficiente para se pensarem autónomas, e logo por isso desprezarem de alguma forma, os lugares e as pessoas que fizeram a diferença, quando estavam "perdidos".
Não faltarão, já de seguida, algumas pessoas a perguntar se o recado é para mim, e poderia nomear muitas, logo portanto, nao nomeando nenhumas, percebem que se trata de mais um texto genérico, sem querer mandar recados a ninguém, mas que pode e deve ser como sempre, motivo da nossa reflexão, para que amanhã, quando estivermos outra vez perdidos, estejamos prontos a aceitar que as pessoas ja nao estejam de pernas abertas a primeira como estavam antes, dando portanto lugar a que as pessoas pensem muito bem nas actitudes que teem. Quero dizer que, uma vez, um determinado verdinho, com quem eu perdia imenso tempo a conversar, (e me dava e dá muito gozo) chegou um dia ao local do crime (pédagua), com as asas levantadas, e na altura só lhe disse que quanto mais ele alto voas, mais cuidado tens de ter com as torres, porque um dia podes esbarrar numa delas e se cais, ficas em pedaços... ora esse dito cujo verdinho, ao outro dia, apareceu a pedir desculpa, o que fez com que eu ficasse derretido, e que o admirasse como ainda hoje o admiro, pela humildade que ele demonstrou na altura, e da forma com que ele nao renegou os que sempre estavam dispostos a mostrar-lhe o caminho, e a ajuda-lo na tarefa complicada que é viver.
Outros há, infelizmente, que porque estarão naquela fase linda de serem os maiores e melhores, acharem portanto desprovido o sentido de estarem com os ditos cujos que na altura certa la estavam, e portanto, não precisam nem querem estar, ou partilhar com outros, o que receberam ou aprenderam.
O que eu acho lamentável no ser humano, é o egoísmo, é aquela coisinha feia, que eu agora estou bem, portanto quero é que se fodam, porque até sei que quando estiver mal, voces estão aí outra vez para me darem o que eu necessito, e posso perfeitamente deixar de aprender, pois ja sei tudo, e ja nao perco tempo com aqueles que até se preocuparam comigo, e que nem quero saber deles, nao vá eles lembrarem-me que ja estive na merda (digo eu em grego antigo).
É mesmo a esse tipo de pessoas que deveremos dizer-lhes que o mundo dá voltas e voltas, e o que nos parece ser uma coisa irremediávelmente segura, as vezes não é, e como dizem os chineses, nao se deve cuspir no prato que nos deu a comer a sopa, pois, quem sabe, um dia, se calhar la teremos de la ir outra vez, porque provavelmente ainda nao aprendemos a lição.
Sei que aqueles de quem gosto, os ataco com algum sentido moral, porque é de moralidade que o mundo precisa, e que alguns deles, nao querem deixar os charros, as grandes bubas, e portanto, o melhor é afastarmo-nos do que ouvir sermões, de alguém que gosta de nós e nos diz, façam o que quiserem, mas... pensem um bocadinho antes de fazerem seja la o que for que prejudique a vossa saúde, e pensem se são vossos amigos aqueles que vos arrastam para os charros e para as grandes bubas, e que felicidade é que essas pessoas, vos podem oferecer, e com que saúde.
Não quero parecer conservadorista, do tipo fatela, que nao admite as coisas que os jovens fazem, mas nao se esqueçam que quando era da vossa idade, fui demasiadamente assediado para me meter em charros, em marijuana, e outras merdas afins, que com 14 anos me chamavam de careta, mas, sempre preferi ser careta que uma pessoa sem personalidade capaz de dizer NÃO a merda que me tentam meter no corpo.
Gostava que parassem para pensar, que os vossos amigos, sao aqueles que se preocupam com o vosso bem estar, mas, que ao mesmo tempo são capazes de vos foder a cabeça quando estais fora do bom caminho, porque os que vos empurram para fora do bom caminho, são apenas carrascos da vossa futura vida, e esses, para além de pagarem a factura deles, terão de pagar a factura do mal que vos fazem também.

Pensem nisto, e como sempre decidam por vós.

beijos a quem é de beijos

5 comentários:

Carlos disse...

Olá Mirito,


Ao menos uma vez não tenho que enfiar a carapuça... que sensação boa!! eheheh

Comigo acho que aconteceu precisamente o inverso... quando mais precisava da tua ajuda, mais tentava afastar-te para bem longe de mim, colocando reticências a tudo o que tu (carregado de boas intenções) fazias... Não estava a 100%, é a única coisa que posso alegar em minha defesa...

Só quando consegui sair do buraco é que verdadeiramente fiquei teu amigo, sem quaisquer restrições.

Obrigado por nunca teres desistido de mim nos momentos mais sombrios... agora que estou do "lado solarengo da rua" a minha memória funciona melhor que nunca: há coisas que nunca se esquecem!

Um abraço gajo,
Carlos

Ana Coelho disse...

Ás vezes dá mesmo vontade de desistir! Por momentos há pessoas que não querem mesmo estar melhores e fazer melhor!
Aí o que resta é deixar que o destino o decida por elas.
Tu com o teu enorme coração abarcas o mais que podes e é obvio que irás sempre ter esses desgostos de ver mais uma "ovelha" dita inteligente abandonar um rebanho saudavel!
Se queres saber aqueles que estão e os que vão estando valem mais do que qualquer um que parta!
Beijos grandes

Undisclosed disse...

É como tu dizias, as pessoas não se podem lembrar dos outros só quando estão mal... Os amigos nao servem só para qd precisamos de mimos, ou se partilha tudo ou nao se partilha nada. Se nao se partilha nada entao alguma coisa nao faz sentido...

Vitor disse...

Eu tenho uns defeitos do crlh, entre eles o mau feitio destaca-se, mas nunca me esqueci de quem me ajudou quando precisei, como diz a minha mãe: "nunca me esqueço nem de quem me faz bem nem de quem me faz mal, fica tudo gravado"

Obs: Não posso postar como blogger pq não tou em casa e não me lembro da pass, só a tenho guardada no meu browser, mas sou eu o Vitor ;)

Mariana disse...

Espero não cometer esse erro pq os amigos são p os bons e maus momentos da vida.Como vos tive nos maus momentos espero ter-vos neste momento de felicidade.Vocês estão e estarão p sempre no meu coração.Fazem parte da minha vida.ADORO-VOS....!!!!