30 novembro, 2005

Entender o amor

Amanhã é dia de festa e canta a minha alma, porque o menino acbelix faz meio século de existencia. Ora para entender o amor que sempre dei e quis dar aos outros, para entender o amor que damos e recebemos, mal alguém que me é especial e querido, se propos a contactar o meu mais antigo e melhor amigo (para além do meu pai claro), ele sem perceber que era para ser segredo a sua vinda ao porto se houvesse possibilidade, sem se fazer regatear, disse: ó pá, os teus 50 anos? então deixa la ver, éu tenho aulas na sexta que ca nao fazemos ponte, mas só se for e vier no mesmo dia (ele esta em lisboa), e se bem que uma atitude destes nao me surpreende visto ser ele apenas e somente o meu melhor amigo (ainda lhe devo muita guita), por outro lado, fico sempre surpreendido com os actos de amor que me dão, talvez porque sempre os tive com os meus amigos, mas nunca me habituei, e se calhar nao deixei que mos demonstrassem a mim, como se calhar eles sempre me deixaram demosntrar a eles.
É claro que também haverá pessoas que irão dizer que me amam, mas que por este ou aquele motivo nao aparecem, haverá pessoas que gostavem tanto mas tanto de mim, que quando eu deixei de lhes poder olhar para o umbigo, depressa esqueceram que eu era o seu melhor amigo, e outras, que eu fui amigo de muitos anos, mas só enquanto tive dinheiro e posição social, para eles se sentirem no céu a minha volta. Talvez por isso, talvez porque é nas alturas de maior dificuldade que se juntam os que nos amam, que para mim, mais valor tem de facto, os que estão presentes, e os ausentes por motivos que se sabem serem inadiáveis, e que nem por isso faço referencia como tendo duvidas da amizade deles, ou do amor que sempre partilhei com eles (partilhar é dar e receber). É claro que não estou a menosprezar ninguém, mas sim apenas e somente a valorizar algém que me deu varias provas da sua amizade e do seu amor, e que nao ficam duvidas nenhumas do amor que por ele também eu tenho, e que tenho provado ao longo destes mais de 30 anos que convivemos.
Obrigado Maló pela amizade que demosntras-te sempre, e obrigado pelo amor que patilhas-te comigo (sem cenas gays, lololol) e que se Deus quiser, ainda haveremos durante muitos e longos anos de partilhar.

2 comentários:

Marcia disse...

Miro mandei-te uma sms mas acho que esses teleles brazucas são um bocado estupidos eheheh mas de qualquer maneira quis reforçar os meus desejos pra ti nesse ano novo que tas a iniciar hj.És de sagitario és boa gente tal e qual a mim eheheh.Espero que Deus continue a te iluminar e a te conduzir nessa estrada da vida com muita luz e com muito amor.Que tenhas tudo que queres pq tens merecimento pra isso.Que hj nos teus anos e sempre tenhas muitas e muitas felicidades,paz, amor e saude.Saude e paz,o resto a gente corre atras!!!!!!!!!!!!!! Muitos abraços e beijos e Feliz Aniversario são os votos dessa tua amiga brazuca
Marcia

Maló disse...

Miro, isto não é para agradecer ... a amizade. Mas já agora também gostaria de dizer que não me esqueço (e espero que nunca venha a esquecer) as vezes que, em situação bem difícil para nós (ela que muito padecia e eu que a via naquele estado ...), vinhas ter connosco, percorrendo a mesma distância que desta singular vez percorri, sempre para nos dar alento, com a tua força, a tua alegria, o teu sorriso ... contangiante de tal forma que ela sempre ficava com mais força. Isto eu não esqueço.
Aquilo que vivemos que já dura há 30 anos, que parece efémero porque acabou quase tudo que à nossa volta girou, é afinal duradoiro e sólido porque aquilo que permanece é no fundo aquilo que interessa. Ah! e não esqueço os ovinhos estrelados às tantas da manhã em Rio Tinto na casa dos teus pais ...
Gostei muito de ter ido aí dar-te um abraço. Espero ter-te dado um pouquinho da força que tantas vezes me deste ...