06 julho, 2008

Era uma vez









Alguém, um dia, casou e teve uma filha. Com a passagem do tempo, viu aquela coisinha fragil a crescer e ter vontade propria e seguir o caminho da aprendizagem da vida.
Um dia, esse alguém, quando essa criança era ainda pequena, pediu a Deus que durasse até aos 45 anos para poder ver crescer a sua filha e conseguir dar-lhe apoio até que ela se torna-se auto suficiente e pudesse sobreviver neste mundo cruel, com esse apoio, por nessa altura se tornar adulta, e Deus fez-lhe a vontade.

Mais tarde, com a sua criança já crescida mas não adulta e auto suficiente, esse alguém, assiste a duas situaçoes de concorrentes seus na area em que trabalhava, que perderam cada um deles um filho. Um deles perdeu um filho num acidente de mota, e o outro, perdeu a única filha num acidente de automóvel.

Vai daí, esse alguém, pede novamente a Deus, que lhe tirem tudo, mas que nao lhe tirem a filha, pois toda a sua essencia estava naquele ser que deitou ao mundo, e portanto, nada haveria de mais importante que esse ser na sua vida, e Deus mais uma vez lhe fez a vontade, não totalmente, pois embora não levasse a filha por morte fisica, fez a vontade, pois ela não morreu fisicamente, mas permitiu mesmo assim que ela fosse afastada por muito tempo, tanto que ainda não sabe se voltará a desfrutar da sua companhia, mas, pelo menos, permitiu que vivesse e seguisse em frente.

Esse alguém, um dia, depois de perder tudo, pede novamente a Deus que permita ter uma vida normal, uma vida sem atribulaçoes, para que possa amparar dentro do possivel, essa filha, e tentar dar-lhe o melhor, pois assim era o seu desejo, mas Deus assim não o permitiu porque outros valores mais elevados se levantariam, e provavelmente haveria necessidade de se passar por todas as provaçoes que tería de passar para conseguir aprender muito mais e de forma mais incisiva todas as coisas a que se propos, e a passar essas provas até uma mudança radical que se avizinha.

Esse alguém, lutou, esvaiou-se em cansaço, e sempre com fé, esperou conseguir os seus intentos, mas até hoje, não conseguiu, mas pelo menos, transmite energia com toda a sua capacidade, sofre por nao poder dar mais, mas nunca desistiu de o tentar conseguir.

Esse alguém, acredita que um dia, Deus lhe explicará porque teve de ser assim, e, com a explicaçao que lhe dará, verá que nada acontece por acaso, nem que nada estará desajustado no que se passa aqui neste planeta ou no universo. Deus explicará, porque teremos de passar por dores, experimentaçoes, maldades, crueldades, e que o que tiver de voltar a ser por ordem divina, voltará.

Isto aplica-se a tudo na nossa vida, tudo o que nos acontece, as pessoas que passam por nós, que ajudamos, que damos o nosso melhor, e que por crueldades alheias a nossa vontade nos fazem perder o que demais amamos, tudo o que tiver de voltar a ser, tudo o que estiver estipulado, pode tardar, mas não faltará.

O nosso tempo não é o tempo de Deus, mas, é o tempo mais perfeito, pois nós somos apenas aprendizes com raciocinio lógico, mas, nunca, ou pelo menos nos proximos milénios, perceberemos os designios de Deus, e o porque de tanta dôr e tanta amargura infligida sobre nós, pois, até com Jesus, temos exemplos de que o sofrimento que passamos, tem sempre um motivo maior, terá uma razão implicita, para que haja uma maior e maior felicidade, e se Jesus não tivesse sofrido o que sofreu, dificilmente hoje pasaríamos os seus ensinamentos uns aos outros, e a compreensão de que todos somos irmãos em espirito.

Esse alguém, continua a dedicar a vida a tentar ajudar e a empurrar os dias, até que chegue o fim, ás vezes sem vontade, ás vezes desfalecido por tanto cansaço, por tanto esgotamento, mas sempre com a firme fé, que tudo está em perfeita harmonia, e que seja la quando fôr (que seja breve) tudo estará no sítio a que pertence, e com as razões que nós próprios desconhecemos.

Ás vezes olho para esse alguém, e digo-lhe, é só mais um bocadinho, aguenta que tudo estará perto de acontecer, e outras vezes, choro com ele.

Hoje, estou cansado, mas amanhã, amanhã será outro dia que empurro com esse alguém, até que uma luz se faça e possamos voltar a sentir a alegria e a felicidade da partilha com queles que muito amamos, nem que seja do outro lado da vida, pois esta aqui, e como dizia um amigo, para esse peditório já demos, pois toda esta podridão em que vivemos não faz parte da minha maneira de ser, nem de sentir ou viver.

A todos os meus amigos a quem tenho dado alguma energia e força de continuar, espero que assim continuem, pois o fim desta merda de sociedade está proximo, e então como diz a cançao, entraremos num mundo novo e numa ordem nova, onde poderemos ser verdadeiramente aquilo que somos.

Beijos a quem é de beijos

Miro (um grande beijo ás Dianas da minha vida, pois também assim se chama a minha filha)

3 comentários:

Anónimo disse...

fica um abraço ;) miminho e beijinho
nhau

Shootingstar disse...

Bem... neste momento, só me resta fizer: FORÇA, MUITA FORÇA!!! Deus escreve certo por linhas tortas e um dia percebemos que era a melhor forma e, por mais dor que nos tenha causado, também chegará o nosso dia de ser felizes verdadeiramente e essa felicidade não se avabará pois é uma recompensa!!! FORÇA!!!! ;) Conta comigo, no sítio do costume, sempre!!!;)

dita disse...

Hey! Mirão,

olhos no caminho. não na meta!!!

beijo