06 fevereiro, 2006

Um vazio, muito cheio

Olhamos para a vida e vemos imensidão,
através do pensamento,
construimos castelos de amor, com ilusão
que rolam pelo chão do desalento.

Criamos a nossa volta o imaginário
de uma felicidade que, transitória
nos fustiga e nos seduz bem arbitrário
e nos deixa numa mingua irrisória

transitamos na vida com energia
entregamo-nos com a força da razão
mas o que acontece todo o dia
é ter-mos de lamber bem o chão

apregoamos liberdade a boca farta
como se de liberdade se tratasse
e depois damo-nos conta num impasse
que nao é de liberdade que se trata

metem-nos pelos olhos dentro o que querem
dizem-nos como devemos sobreviver
e não raro, comem-nos o que nos derem
para que nao possamos contradizer

roubam-nos tudo, até a razão
roubam-nos a sede de justiça
roubam-nos ate o nosso pão
roubam-nos também a perguiça

nao somos mais nada acreditai
se nao afirmar-mos a razão
se nao o fizermos, então rezai
porque nao vejo salvação

estou cheio de vida e sem nada
de tudo o que eu fiz caiu no chão
agora que com alma amargurada
queria voltar a ter uma união

queira Deus e a minha fé
que eu consiga reaver
tudo o que perdi, e até
poder voltar a viver

Miro

3 comentários:

Anónimo disse...

Very pretty site! Keep working. thnx!
»

Anónimo disse...

This site is one of the best I have ever seen, wish I had one like this.
»

Anónimo disse...

I find some information here.