05 setembro, 2005

Cansaço dois

Estou cansado de não fazer nada
estou cansado de não mudar o mundo
estou farto de lutar de bandeira desfraldada
estou farto deste planeta imundo

estou cansado de viver esta vida
estou cansado de estar cansado
estou farto, de não ver conseguida
a minha cruz, que é um fardo pesado

estou cansado de amar, e de dar
estou cansado de saber e conhecer
estou farto de almoçar e jantar
e de não ter nada para comer

estou cansado de mim, e de ti
estou cansado de ser e de não ter
tudo o que gostava e que perdi
estou fartinho de me ver

estou cansado dos jogos, da podridão
estou cansado de não haver quem deite a mão
estou farto de pedir, em oração
estou farto de ouvir dizer que ainda não

estou cansado de tudo e de nada
estou cansado e não acho piada
que na televisão, se apoie sem razão
a infidelidade, o putedo, o intrujão

estou cansado de ver a traição
estou cansado de dizer a meu irmão
que a fé, e a esperança que temos na mão
nao a devemos perder nunca não

mas estou cansado de tudo o que vejo
estou farto disto e não antevejo
que haja mudança, com pejo
que a alegria solte um bocejo

estou cansado, mas resisto!
não sei fazer mais que isto
porque nao adianta, e persisto
por estar cansado, nunca desisto!

Mas mudo tudo a minha volta
mudo de poiso de lugar
e quero ter a minha vida solta
e nao te vou procurar
porque estou farto,
e o mal foi eu enfartar

beijos a quem é de beijos!

3 comentários:

Undisclosed disse...

Quando os outros se atiram duma ponte nós não vamos atrás, quando os outros fazem asneira e não querem ver o que é evidente nós não vamos atrás, se os outros não mudam podemos ficar tristes por isso, mas no fim temos sempre que olhar para nós e pensar que já fomos assim ;)
As coisas mudam, tudo muda, usas é um relógio diferente do dos outros!
Abraço

acbelix disse...

Adorei a parte do relógio.... mas ... como sabes nem relógio uso... mas de facto o meu relógio é diferente... talvez metafóricamente ele seja biológico.
Mas ... mais uma vez. mostras que estas atento, e que valeu a pena puxar por ti, porque hoje estas lá! e sabes como estar. Um grande abraço meu berdinho numero 1 quem bem mereces!

Tecas disse...

Li o teu post e só me apeteceu transcrever um poema da Sophia de Mello Breyner, que é o seguinte:

"Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão
Porque os outros têm medo mas tu não.

Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos
Porque os outros calculam mas tu não."

Beijocas, continua sempre a seres tu mesmo...